CLASSIFICAÇÃO DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM PARA CRIANÇAS HOSPITALIZADAS: SUBSÍDIO PARA PRÁTICAS SEGURAS

Divanice Contim, Nayara Ramos Moreira, Delvane José de Souza, Márcia Tasso Dal Passo, Maria Beatriz Guimarães Ferreira, Ana Lúcia de Assis Simões

Resumo


Objetivo: caracterizar as crianças hospitalizadas nos serviços pediátricos de um hospital de ensino e classificá-las segundo o Sistema de Classificação de Pacientes (SCP). Método: pesquisa descritiva, observacional e exploratória, desenvolvida nas unidades pediátricas do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro. Participaram 48 crianças internadas no período de setembro a novembro de 2012. Os dados foram coletados utilizando-se instrumento de classificação de pacientes pediátricos e analisados por meio da estatística descritiva. Resultados: evidenciou-se predominância do sexo masculino e tempo de internação entre 8 a 12 dias. Quanto às causas de internação destacaram-se: respiratórias, gastrointestinais e hematológicas. O SCP apontou como demanda de cuidados de enfermagem: intensivo 8 (16,66%), semi-intensivo 5 (10,42%), alta dependên­cia 30 (62,50%) e cuidados mínimos  5 (10,42%). Conclusão: esses resultados permitem refletir sobre a assistência à criança no contexto hospitalar e subsidiam o planejamento e implementação de programas assistenciais.


Texto completo:

PDF

Referências


Feuerwerker LCM, Cecílio LCO. O hospital e a formação em saúde: desafios

atuais. Cienc Saúde Coletiva. 2007; 12(4): 965-71.

Fugulin FMT, Gaidizinski RR, Kurcgant P. Sistema de classificação de pacientes: identificação do perfil assistencial dos pacientes das unidades de internação do HU-USP. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2005 Jan/Fev; 13(1): 72-8.

Versa GLGS, Inoue KC, Nicola AL, Matsuda LM. Influência do dimensionamento da equipe de enfermagem na qualidade do cuidado ao paciente crítico. Texto contexto-enferm. Out/Dez 2011; 20(4):796-802.

Matsushita MS, Adami NP, Carmagnani MIS. Dimensionamento do pessoal de enfermagem das unidades de internação do Hospital São Paulo. Acta paul. enferm. 2005 Mar; 18(1):9-19.

Conselho Federal de Enfermagem (BR). Resolução n. 293 de 21 de setembro de 2004. Estabelece os parâmetros para dimensionar o quantitativo dos diferentes níveis de formação dos profissionais de Enfermagem para a cobertura assistencial nas instituições de saúde. [Internet]. Brasília: COFEN, 2004 [acesso em 23 set 2013]. Disponível em: http://novo.portalcofen.gov.br/resoluo-cofen-2932004_4329.html.

Santos NC. Construção de instrumento para identificação da carga de trabalho da equipe de enfermagem em unidades pediátricas [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2006.

Dini AP. Sistema de classificação de pacientes pediátricos: construção e validação de instrumentos [dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2007.

Ferrer APS. Estudo das causas de interna¬ção hospitalar das crianças de 0 a 9 anos de idade no município de São Paulo [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2009.

Ribeiro TSF, Fonseca MSS, Sousa NVS, Queiroz RCCS, Bezerra MLM, Queiroz LLC. Prevalência de internações em crianças de 0-2 anos em um hospital de referência, São Luís-MA, 2012. Rev. Ciênc. Saúde. 2012; 14(2): 127-32.

Zhao YL, Liu ZJ, Wang YC. Risk factors for recurrent pneumonia in children: a case control study. Zhongguo Dang Dai Er Ke Za Zhi. 2011 Dec; 13(12): 962-5.

Casanova C, Colomer C, Starfield B. Pediatric hospitalization due to ambulatory care-sensitive conditions in Valencia (Spain). Int J Qual Health Care. 1996 Feb; 8(1):51-9.

Oliveira RR, Costa JR, Mathias TAF. Hospitalizações de menores de cinco anos por causas evitáveis. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2012 Jan/Fev; 20(1):135-42.

Duarte JG, Gomes SC, Pinto MT, Gomes MASM. Perfil dos pacientes internados em serviços de pediatria no município do Rio de Janeiro: mudamos? . Physis. 2012; 22(1):199-214.

Caldeira AP, Fernandes VBL, Fonseca WP, Faria AA. Internações pediátricas por condições sensíveis à atenção primária em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Rev. bras. saúde matern. infant. 2011 Jan/Mar; 11(1): 61-71.

Sparremberger DAH, Luisi F, Azevedo AV, Ribeiro AET, Wiemann AFW, Conto BF, et al. Características epidemiológicas e influência da coinfecção por vírus respiratórios na gravidade da bronquiolite aguda em lactentes. Scientia Medica (Porto Alegre). 2011; 21(3):101-6.

Lejarraga H. La atención pediátrica de pacientes crônicos, una prática necesaria. Arch. argent. pediatr.. 2006 Feb; 104(1):62-3.

Gouveia MTO, Mendes MCS, Luz YPO, Silva GRFS. Classificação de pacientes pediátricos em um hospital de ensino de Teresina. Rev. Rene. 2010; 11(Esp.): 160-8.

Mendes PSA, Ribeiro JRHC, Mendes CMC. Tendência temporal da mortalidade geral e morbidade hospitalar por doença diarreica em crianças brasileiras menores de cinco anos no período de 2000 a 2010. J. Pediatr. (Rio J.). 2013; 89(3):315-25.

Oliveira BRG, Vieira CS, Collet N, Lima RAG. Causas de hospitalização no SUS de crianças de zero a quatro anos no Brasil. Rev. bras epidemiol. 2010 Jun; 13(2):268-77.

Dini AP, Fugulin FMT, Veríssimo MLOR, Guirardello EB. Sistema de Classificação de Pacientes Pediátricos: construção e validação de categorias de cuidados. Rev. esc. enferm. USP. 2011 Jun; 45(3):575-80.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/