PERFIL DE GERENTES DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DE MINAS GERAIS, BRASIL

Álvaro da Silva Santos, Rodrigo Eurípedes da Silveira, Francielle Toniolo Nicodemos Furtado de Mendonça, Ana Luisa Zanardo Buso, Sarah Gazarra Ferreira Silva, Danielle Duarte Silva

Resumo


Objetivo: Conhecer o perfil dos gerentes da Atenção Primária à Saúde (APS) de uma cidade de Minas Gerais. Método: Pesquisa transversal realizada com 21 gerentes (58,3%) de APS em agosto e setembro de 2013. Resultados: sexo feminino (71,4%); com idade de 21 a 30 anos (35%); cor da pele branca (85%); casadas (47,6%); com ensino superior (81%), seguido de ensino médio (14,3%); cirurgião dentista (26,7%), enfermeiro (20%), administrador de empresas e fisioterapeuta (com 13% cada); com até 2 anos 11 meses e 29 dias de formação (33,3%); atuação em APS em até 1 ano (42,9%) e, até 1 ano como gerente (52,4%), e 52,4% informam ter formação em gerência. Conclusões: Verificou-se baixo tempo de graduação e atuação em APS deixando visível a necessidade de ações de capacitação e a revisão na inserção de gerentes sem experiência em APS e com formação em nível médio.

Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Jorge JC, Marques ALN, Côrtes RM, Ferreira MBG, Haas VJ, Simões ALA. Qualidade de vida e estresse de agentes comunitários de saúde de uma cidade do interior de minas gerais. Rev Enferm Atenção Saúde [Online]. 2015; 4(1):28-41.

Castro ALB, Machado CV. A política de atenção primária à saúde no Brasil: notas sobre a regulação e o financiamento federal. Cad Saúde Públ. 2010; 26(4):693-705.

Alves M, Penna CMM, Brito MJM. Perfil dos gerentes de unidades básicas de saúde. Rev Bras Enferm. 2004; 57(4):441-6.

Pinheiro ALS. Gerência de enfermagem em unidades básicas: a informação como instrumento para a tomada de decisão. Rev APS. 2009; 12(3):262-70.

André AM, Ciampone MHT, Santelle O. Tendências de gerenciamento de unidades de saúde e de pessoas. Rev Saúde Públ. 2013; 47(1):158-63.

Bazzo-Romagnolli AP, Gimenez-Carvalho B, Nunes EFPA. Gestão de unidade básica de saúde em municípios de pequeno porte: instrumentos utilizados, facilidades e dificuldades relacionadas. Rev Gerenc Polít Salud. 2014; 13(27):162-74.

Gomes KO, Cotta RMM, Araújo RMA, Cherchiglia ML, Martins TCP. Atenção primária à saúde: a "menina dos olhos" do SUS: sobre as representações sociais dos protagonistas do Sistema Único de Saúde. Cien Saude Colet. 2011; 16(Supl. 1):881-92.

Carvalho BG, Peduzzi M, Nunes EFPA, Leite FS, Silva JAM. Management of basic health units in municipalities of different size: profile and management instruments. Rev Esc Enferm USP. 2014; 48(5):907-14.

Ohira RHF, Cordoni-Jr L, Nunes EFPA. Perfil dos gerentes de Atenção Primaria a Saúde de municípios de pequeno porte do norte do Paraná, Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2014; 19(2):393-400.

Martins FS, Silva KM, Santos PS. Avaliação da qualidade de vida dos gestores das unidades de saúde da família do município de Aracaju/PE. Interf Científ Saúde Amb. 2015; 3(2):37-46.

Pinto ESG, Menezes RMP, Villa TCS. Situação de trabalho dos profissionais da Estratégia Saúde da Família em Ceará-Mirim. Rev Esc Enferm USP. 2010; 44(3):657-64.

Conselho Nacional de Educação (Br). Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União 2001; 9 nov.

Junqueira TS, Cotta RMM, Gomes RC, Silveira SFR, Siqueira-Batista R, Pinheiro TMM, Sampaio RF. As relações laborais no âmbito da municipalização da gestão em saúde e os dilemas da relação expansão/precarização do trabalho no contexto do SUS. Cad Saúde Publ. 2010; 26(5):918-28.

Mendonça MHM, Martins MIC, Giovanella L, Escorel S. Desafios para gestão do trabalho a partir de experiências exitosas de expansão da estratégia de saúde da família. Ciênc Saúde Colet. 2010; 15(5):2355-65.

Fernandes LCL, Machado RZ, Anschau GO. Gerência de serviços de saúde: competências desenvolvidas e dificuldades encontradas na atenção básica. Ciênc Saúde Colet. 2009; 14 (Suppl 1):1541-52.

Bergamini CW. O líder eficaz. São Paulo: Atlas; 2009.

Pinheiro ALS. Gerência de enfermagem em Unidades Básicas: a informação como instrumento para a tomada de decisão. Rev APS. 2009; 12(3):262-70.

Moura CS, Cardoso-Filho FC. Reflexões sobre a percepção do gestor quanto ao gerenciamento de uma unidade básica de saúde. Rev Interd. 2013; 6(2):108-16.

Ohira RHF, Cordoni-Jr L, Nunes EFPA. Análise das práticas gerenciais na Atenção Primária à Saúde nos municípios de pequeno porte do norte do Paraná, Brasil. Ciênc. Saúde Colet. 2014; 19(11):4439-48.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde. Programa de qualificação e estruturação da gestão do trabalho e da educação no SUS – ProgeSUS. Brasília : Ministério da Saúde, 2006. 60 p. : il. – (Série A. Normas e Manuais Técnicos) (Série Cadernos ProgeSUS; 1).




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v5i1.1392

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/