A PERCEPÇÃO DO ACADÊMICO DE ENFERMAGEM SOBRE A LOUCURA

Marcia Cristina Barbosa, Claudia Ribeiro de Vasconcelos, Gleidson Brandão Oselame

Resumo


Objetivo: Compreender como o acadêmico de enfermagem percebe os transtornos mentais (TM), de que forma se deu esta constituição e se a graduação repercute neste processo. Métodos: Pesquisa de campo com abordagem qualiquantitativa, descritiva e transversal com 20 alunos de graduação em Enfermagem, sendo 10 que não cursaram a disciplina saúde mental (amostra A) e 10 que cursaram (amostra B. Resultados: Sobre imagens e sentimentos, a amostra A percebe o portador de TM como uma pessoa diferente, que desperta medo, dó e compaixão o que denotam vivências do senso comum em oposição ao conhecimento científico. A amostra B evidenciou a importância dos cuidados terapêuticos condizentes à prática do enfermeiro em saúde mental. As duas amostras associaram a construção da percepção sobre a loucura através da educação e observação. Conclusão: O aprendizado em saúde mental capacita o acadêmico para prestar um cuidado humanizado, científico e técnico condizentes ao papel do enfermeiro.


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


WHO. World Health Organization. International Council of Nurses. Atlas: nurses in mental health. Geneva.2007.

WHO. World Health Organization. Mental health atlas. Geneva.2012.

De Oliveira FB, Fortunato ML. Saúde mental: reconstruindo saberes em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2003;56(1):67-70.

Amarante P. Saúde mental, políticas e instituições: programa de educação à distância. Rio de Janeiro: Fiotec/Fiocruz, Ead/Fiocruz. 2003.

Brusamarello T, Guimarães AN, Paes MR, Borba LDO, Borille DC, Maftum MA. Cuidado de enfermagem em saúde mental ao paciente internado em hospital psiquiátrico. Cogitare enferm. 2009;14(1):79-84.

Oliveira AGB, Alessi NP. O Trabalho de Enfermagem em Saúde Mental: contradições e potencialidades atuais. Rev Latino-am Enfermagem. 2003;11(3):333-40.

Villela JC. O ensino de saúde mental na graduação de enfermagem na perspectiva do estudante [Dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2012.

Stuart GW, Laraia MT, Batista D. Enfermagem psiquiátrica: princípios e prática: Artmed; 2001.

De Lima RVM, Pedrão LJJ, Miasso AI, Da Costa Junior ML. Papéis, conflitos e gratificações de enfermeiros especialistas em enfermagem psiquiátrica e saúde mental. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2012;14(1):59-67.

Kantorski LP, de Araújo Pitiá AC, Miron VL. A reforma psiquiátrica nas publicações da revista “Saúde em Debate” entre 1985 e 1995. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2006;4(2):03-9.

Cavalheri SC, Merighi MAB, Jesus MCP. A constituição dos modos de perceber a loucura por alunos e egressos do Curso de Graduação em Enfermagem: um estudo com o enfoque da Fenomenologia Social. Rev bras enferm. 2007;60(1):9-14.

Bardin L, Reto LA, Pinheiro A. Análise de conteúdo: Edições 70, Lisboa; 2009.

Portaria GM 3088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de saúde (SUS) Diário Oficial da União. 2011.

Caixeta CC, Moreno V. O enfermeiro e as ações de saúde mental nas unidades básicas de saúde. Revista Eletrônica de Enfermagem. 2009;10(1):179-88.

Da Silva FLT, Silva GRFD, Macêdo-Costa KNDF, Barbosa GOL. O Ensino de Enfermagem em Saúde Mental: a visão dos discentes. Revista Saúde-UnG. 2009;4(1):53-60.

Dias BVB. Concepção do Acadêmico de Enfermagem sobre o Doente Mental: relato de experiência. Revista Eletrônica Acervo Saúde. 2013;5(12):448-55.

Amorim AMMNE, Cruz DKR, Cardoso MDLLO. Percepção do enfermeiro no cuidar ao doente mental: uma revisão de literatura/Perception of nursing care in the mental patient: a review of literature. Revista Multiprofissional em Saúde do Hospital São Marcos. 2013;1(2):53-62.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v5i2.1516

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/