DIFICULDADES VIVENCIADAS POR MÃES DE RECÉM-NASCIDOS PREMATUROS DURANTE PERMANÊNCIA PROLONGADA EM AMBIENTE HOSPITALAR

Divanice Contim, Cristina Ranuzi, Jurema Ribeiro Luiz Gonçalves, Carolina Feliciana Bracarense, Jesislei Bonolo do Amaral, Nara dos Santos Costa

Resumo


Objetivo: identificar as dificuldades vivenciadas pelas mães de recém-nascidos prematuros durante a permanência prolongada no ambiente hospitalar. Método: estudo descritivo, de caráter qualitativo, realizado em um Hospital Federal Universitário. Participaram nove mães de recém-nascidos prematuros. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturada. E o material submetido à técnica de análise do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: dos relatos construiu-se três discursos, sendo: Adaptação ao hospital; Sentimentos que envolvem a internação prolongada e; Preocupação com a família. Conclusão: as dificuldades encontradas pelas mães são a falta de experiência, insegurança, cansaço, estresse, ansiedade, saudade de casa, preocupação e a adaptação a rotina hospitalar.


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


World Health Organization. Born too Soon. The Global Action Report on Preterm Birth. Geneva: WHO; 2012.

Unicef Brasil. Consultoria: pesquisa para estimar a prevalência de nascimentos pré-termo no Brasil e explorar possíveis causas. Unicef Brasil; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Atenção à saúde do recém-nascido: gui para profissionais de saúde. Brasilía: Ministério da Saúde, 2011.

Menezes MAS, Garcia DC, Melo EV, Cipolotti R. Recém-nascidos prematuros assistidos pelo Método Canguru: avaliação de uma coorte do nascimento aos seis meses. Rev Paul Pediatr. 2014; 32(2):171-7.

Oliveira CS, Casagrande GA, Grecco LC, Golin MO. Profile of preterm newborn hospitalized in intensive care unit of high complexity hospital. ABCS Health Sci. 2015; 40(1):28-32.

Contim D, Moreira NR, José de Souza D, Dal Passo MT, Ferreira MBG, Simões ALA. Classificação dos cuidados de enfermagem para crianças hospitalizadas: subsídio para práticas seguras. Rev Enferm Atenção Saúde. 2014; 3(2):29-40.

Roso CC, Costenaro RGS, Rangel RF, Jacobi CS, Mistura C, Trivisiol da Silva, C et al.Vivências de mães sobre a hospitalização do filho prematuro. Rev Enferm UFSM. 2014; 4(1):47-54.

Souza MHN, Paz EPA, Farias SNP, Ghelman LG, Mattos CX, Barros RR. Integrality as a dimension of nursing practice in mother-baby welcoming. Esc Anna Nery. 2013; 17(4):677-82.

Costa MCG, Arantes MQ, Brito MDC. Neonatal ICU under the mother's view. Rev Eletr Enf [Internet]. 2010 [citado 2015 Jul 15]; 12(4):698-704. Disponível em: :http://dx.doi.org/10.5216/ree.v12i4.7130.

Fontanella BJB, Luchesi BM, Saidel MGB, Ricas J., Turato ER, Melo DG. Sampling in qualitative research: a proposal for procedures to detect theoretical saturation. Cad Saúde Pública. 2011; 27(2):389-94.

Lefevre F, Lefevre AM. Pesquisa de Representação Social: um enfoque qualiquantitativo: a metodologia do Discurso do Sujeito Coletivo. Brasília: Liber Livro Editora; 2012.

Araujo BBM, Rodrigues BMRD. Experiencias y perspectivas maternas en la internación del niño prematuro en unidad de terapia intensiva neonatal. Rev Esc Enferm USP. 2010; 44(4):865-72.

Balbino FS, Yamanaka CI, Balieiro MMF, Mandetta MA. Parent's support group as a transforming experience for families at a neonatal unit. Esc Anna Nery. 2015; 19(2): 297-302.

Gallegos-martinez, J; Reyes-hernandez, J; Scochi, CGS. The hospitalized preterm newborn: The significance of parents' participation in the Neonatal Unit. Rev Latino-Am Enfermagem. 2013; 21(6):1360-6.

Favaro MSF, Peres RS, Santos MA. Avaliação do impacto da prematuridade na saúde mental de puérperas. Psico-USF. 2012; 17 (3):457-65.

Antunes BS, Paula CC, Padoin SMM, Trogahn TC, Rodrigures AP, Tronco CS. Internação do recém-nascido na Unidade Neonatal: significado para mãe. Rev RENE. 2014; 15(5):796-803.

Fernandes NGV, Batoca Silva EM. Fathers' experiences during the hospitalization of the premature newborn in the Neonatal Intensive Care Unit. Rev Bras Enferm. 2015; 4(4):107-15.

Cruz ARM, Oliveira MMC, Cardoso MVLML, Lúcio IML. Sentimentos e expectativas da mãe com filho prematuro em ventilação mecânica. Rev Eletr Enf. [Internet]. 2010 [citado 2015 Jul 15]; 12(1):133-9. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n1/v12n1a16.htm.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v6i1.1684

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/