AVALIAÇÃO ENDOTELIAL MICROSCÓPICA ESPECULAR DE CÓRNEAS DE DOADORES COM MAIS DE 70 ANOS EM UM BANCO DE OLHOS DA SERRA GAÚCHA

Anderson Nunes Lopes, Hugo Diogo Folchini de Castilhos

Resumo


RESUMO

Objetivo: Avaliar a contagem de células endoteliais / mm2 de córneas de doadores com idade igual ou superior a 70 anos. Método: Estudo documental retrospectivo de caráter quantitativo com 71 córneas preservadas no período de junho a dezembro de 2016 em um banco de olhos da Serra Gaúcha. Resultados: Predominou o gênero masculino, 55% dos óbitos; a faixa etária de idade dos 70 aos 75 anos foi de 61%, dos 76 aos 80 anos 39%; de 71 córneas captadas houve aproveitamento de 28,16%, descartes por sorologia anti HBc reagente somaram 25,35%, um tecido 1,42% foi encaminhado para anatomopatológico por condições do tecido após a preservação e 45,07% expiraram o prazo de 14 dias de preservação. Conclusões:As córneas de doadores com idade igual ou superior a 70 anos apresentam boa contagem endotelial / mm2, sendo viáveis para transplantes, sendo a captação nestes doadores motivados pela expectativa de vida na região.

Descritores:Avaliação. Endotelial Microscópica. Córneas. Doadores com mais 70 anos.


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Shiratori CN, Hirai FE, Sato EH. Características dos doadores de córneas do Banco de Olhos de Cascavel: impacto do exame anti – HBc para hepatite B. Arq Bras Oftalmol. 2011; 74 (1): 17-20.

Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos. Registro Brasileiro de Transplantes: Dados numéricos da doação de órgãos e transplantes realizados por estado e instituição no período: jan / set 2016. [Internet]. [citado 2017 jan 8]. Disponível em: http://www.abto.org.br/abtov03/Upload/file/RBT/2016/RBT20163t-let.pdf

Almeida HG, Souza ACD. Perfil epidemiológico de pacientes na fila de transplante de córnea no estado de Pernambuco – Brasil. Rev Bras Oftalmol. 2014; 73 (1): 28-32.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 2.600, de 21 de Outubro de 2009. Aprova o regulamento técnico do sistema nacional de transplantes. Diário Oficial da União [da] República Federativa do Brasil. 2009 out 30; 146 (208 Secção 1): 77-118.

Fontelles MJ, Simões MG, Farias SH, Fontelles RGS. Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista Paranaense de Medicina. 2009; 23 (3): 1-8.

Turato ER. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev Saúde Pública. 2005; 39 (3): 507-14.

Brasil, Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução n 466 de 12 de dezembro de 2012: Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília (DF): MS; 2012. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso em fev. 2017.

Santos CG, Pacini KM, Adán CBD, Sato EH. Motivos do descarte de córneas captadas pelo banco de olhos do Hospital São Paulo em dois anos. Rev Bras Oftalmol. 2010; 69 (1): 18-22.

Araujo GX, Pereira JR, Mata LAL, Moura PF, Santos JZLV. Análise das doações de córneas do banco de olhos do Piauí. Revista Interdisciplinar. 2013; 6 (1): 9-16.

Freire ILS, Silva MF, Gomes ATL, De Vasconcelos QLDAQ, Araujo RO, Torres GV. Aproveitamento das córneas captadas e processadas para transplante em um banco de tecidos oculares do Nordeste. Ver Gaúcha Enferm. 2014; 35 (3): 14-20.

Santos NC, Bezerra VL, Melo EC. Características das doações de córneas no estado do Piauí. Rev Bras Oftalmol. 2014; 73 (6): 351-7.

Moura GS, De Oliveira GMP, Tognon T, Pereira NC, De Sousa LB. Complicações em ceratoplastia endotelial com desnudamento da Descemet (DSEK). Arq Bras Oftalmol. 2013; 76 (5): 288-91.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v6i2.2045

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/