PRESENÇA DE DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES EM ENFERMEIROS DE UNIDADES DE PRONTO ATENDIMENTO

Rayanne Ferreira da Silva, Sabrinne Ferreira da Silva, Naiara Mesquita Almeida, Thaizi Campos Barbosa, Fernando Rodrigues Peixoto Quaresma, Erika da Silva Maciel

Resumo


Os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho são uns dos mais comuns entre profissionais da saúde, caracterizando-se como um dos mais importantes e graves problemas de saúde pública e um dos principais agravos à saúde que resultam no afastamento do trabalho. Objetivo: Avaliar a presença de distúrbios osteomusculares em enfermeiros de duas Unidades de Pronto Atendimento do Brasil. Foram convidados a participar da pesquisa todos os enfermeiros das UPA norte e sul (n= 44, através do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares e questionário sociodemográfico. Participaram voluntariamente 35 enfermeiros, entre os resultados obtidos todos tiveram pelo menos um sintoma de dor ou desconforto musculoesquelético nos últimos 12 meses. A região pescoço/região cervical apresentou maior incidência (60,0%), seguida da dor lombar (54,3%). Conclusão: devem ser direcionadas ações de prevenção e intervenção por parte dos serviços de saúde, objetivando a redução de DORT e, consequentemente, uma melhora na qualidade de vida destes profissionais.

Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. Saúde no Brasil 1 - O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. Veja online. 2011;6736(11):60054-8.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc. saúde coletiva. 2010;15 (5 ):2297-2305.

Gubert BM. Observatório de políticas de segurança alimentar e nutrição. Universidade de Brasília.

Almeida PJS, Pires DEP. O trabalho em emergência: entre o prazer e o sofrimento. Rev. Eletr. Enf. 2007; 9(3):617-29.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Dor relacionada ao trabalho: lesões por esforços repetitivos (LER): distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort). Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012.

Rosa AD, Garcia PA, Vedoato T, Campos RG, Silva Lopes ML. Incidência de LER/DORT em trabalhadores de enfermagem. Acta Scientiarum. Health Sciences. 2008; 30(1):19-25.

Moreira AM, Mendes R. Fatores de risco dos distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho de enfermagem. Rev. enferm. UERJ. 2005; 13(1):19-26.

Nascimento RFMF, Cahet AQV, Silva ES, Barbosa MAS. Relação do processo de trabalho com a ocorrência de LER/DORT nos profissionais de enfermagem. Revista Eletrônica Estácio Saúde. 2014;3(2):61-7.

Codo W, Almeida MCCG. LER: Diagnóstico, tratamento e prevenção: Uma abordagem interdisciplinar. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

Barbosa MD, Santos RM, Trezza MC. A vida do trabalhador antes e após a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (DORT). Rev Bras Enferm. 2007;60(5):491-6.

Silva SM, Baptista PC. A incapacidade vivenciada por trabalhadores de enfermagem no retorno ao trabalho. Ciência, Cuidado e Saúde. 2013;12(3):524-30.

Pinheiro FA, Tróccoli BT, de Carvalho CV. Validação do Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares como medida de morbidade. Revista de Saúde Pública. 2002;36(3):307-12.

ABEP. Associação Brasileira De Empresas De PESQUISA. Critério de Classificação Econômica Brasil. São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.abep.org/criterio-brasil. Acesso em: 16 ago. 2016.

Duarte AF, de Souza AP, de Fatima Macedo A, de Araujo FF, Passos JP, de Aquino Pereira C. Fatores de riscos para distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. 2012; 7:53-6.

INSS. Ministério da Previdência Social. Normas Técnicas para Avaliação da Incapacidade. LER - Lesões por Esforços Repetitivos. Brasília: Ministério da Previdência e Assistência Social, 1993.

Oliveira JRG. A Prática da Ginástica Laboral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Sprint, vol. 01, 2006.

Lelis CM, Battaus MR, Freitas FC, Rocha FL, Marziale MH, Robazzi ML. Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em profissionais de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Acta Paul Enferm. 2012;25(3):477-82.

Ribeiro NF, Fernandes RD, Solla DJ, Santos Junior AC, Sena Junior AS. Prevalência de distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho em profissionais de enfermagem. Rev Bras Epidemiol 2012; 15(2): 429-38

Góes EP. Avaliação da prevalência de sintomas osteomusculares e fatores associados em trabalhadores de enfermagem de um hospital público do oeste do Paraná. Faz Ciência. 2014; 16(24):129-148.

Oliveira JR. A importância da ginástica laboral na prevenção de doenças ocupacionais. Revista de Educação Física. 2007;139:40-9.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v6i2.2081

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/