DOMÍNIOS AFETADOS NA QUALIDADE DE VIDA DO PACIENTE RENAL CRÔNICO EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO: REVISÃO SISTEMÁTICA

Renata Alessandra Evangelista, Natália Cristina Pires, Cildiléia Santos Silva, Alexandre Assis Bueno, Luiz Almeida Silva

Resumo


Objetivo: Sintetizar o conhecimento produzido acerca das publicações na literatura nacional e internacional sobre os domínios afetados na qualidade de vida dos pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Método: Foi realizada uma revisão sistemática nas bases de dados, LILACS, MEDLINE e CINAHL, nos últimos 10 anos. Resultados: Foram analisados 9 artigos, a maioria dos estudos eram descritivos e transversais, apresentaram evidências sobre as relações das dimensões afetadas na qualidade de vida dos indivíduos em tratamento hemodialítico. Os achados revelaram baixos escores de qualidade de vida, principalmente no domínio físico, sendo o aspecto social aquele de melhor escore.A identificação dos itens impactantes da qualidade de vida dessa população permite, aos profissionais de saúde, repensar a assistência atualmente oferecida, minimizando as consequências negativas decorrentes desse processo. Conclusão: Revela-se que o cuidado dispensado aos pacientes deve englobar estratégias para melhorar a saúde e qualidade de vida dos pacientes.


Texto completo:

PDF PDF ENGLISH

Referências


Stockschneider FBM, Imhof S, Silva RMGS, Nerbass FB, Filho HAL, Vieira MA. Qualidade de vida dos pacientes renais crônicos em um intervalo de 4 anos. Saúde & Meio Ambiente. 2017; v.6, n.2, p.53-64.

Draibe, JT, Ajzen, PG. Manual de diálise. 4ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 2010.

Bastos MG, Kirstajn GM. Doença renal crônica: importância do diagnóstico precoce, encaminhamento imediato e abordagem interdisciplinar estruturada para melhora do desfecho em pacientes ainda não submetidos à diálise. Jornal Brasileiro de Nefrologia. 2004; 33 (01): 93-108

Marinho AWGB, Penha AP, Silva MT, Galvão TF. Prevalência de doença renal crônica em adultos no Brasil: revisão sistemática da literatura. Cad. Saúde Colet. 2017; 25 (03): 379-8.

Sesso RC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Martins CT. Inquérito Brasileiro de Diálise Crônica 2016. J Bras Nefrol. 2017; 39 (03): 261-6.

Silva RAR, Souza VL, Oliveira GJN, Silva BCO, Rocha CCT, Holanda JRR. et al. Estratégias de enfrentamento utilizadas por pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Esc Anna Nery. 2016; 20 (01): 147-4.

Madeiro AC, Machado PDLC, Bonfim IM, Braqueais AR, Lima FET. Adesão de portadores de insuficiência renal crônica ao tratamento de hemodiálise. Acta Paulista de Enferm .2010; 23: 546-1.

Cavalcante FA, Saar GQ, Ramos LS, Lima AAM. O uso lúdico em hemodiálise: buscando novas perspectivas na qualidade de atendimento ao paciente no centro de diálise. Revista Eletrônica da Facimed. 2011; 3: 371- 4.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Diretrizes Clínicas para o Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica – DRC no Sistema Único de Saúde/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. – Brasília (DF) 2014. [Acessoem:13maio2018]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_clinicas_cuidado_paciente_renal.pdf.

Fleck MPA, organizador. A avaliação da qualidade de vida: guia para profissionais de saúde. Porto Alegre. Artmed; .2008; 228p.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão Integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Contexto Enfermagem. 2008; 17 (4): 758- 4.

Aromataris E, Munn Z (Editors). Joanna Briggs Institute Reviewer's Manual. The Joanna Briggs Institute, 2017. Available from https://reviewersmanual.joannabriggs.org/

Assis DC, Resende DV, Marziale MHP. Associação entre turnos de trabalho, níveis de cortisol salivar, estresse e fadiga em enfermeiros: revisão integrativa. Esc Anna Nery. 2018; 22 (1).

Guerra-Guerrero V, Sanhueza-Alvarado O, Cáceres-Espina M. Qualidade de vida de pessoas em hemodiálise crônica: relação com variáveis sociodemográficas, médico-clínicas e de laboratório. Rev Latino-Am Enfernagem. 2012; 20(5): (09telas).

Kharame ZT, Zamanian H, Foroozanfar S, Afsahi S. Religious Wellbeing as a Predictor for Quality of Life in Iranian Hemodialysis Patients. Global Journal of Health Science. 2014; 6(4): 261-269.

Galvão TF, Pereira MG. Avaliação da qualidade da evidência de revisões sistemáticas. Epidemiol. Serv. Saúde. 2015; 24(1):173-175.

Kusumota L, Marques, Hass VJ, Rodrigues RAP. Adultos e idosos em hemodiálise: avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde. Acta Paul Enferm. 2008; 21: 152-159.

Grasseli CSM, Chaves EC, Simão TP, Botelho PB, Silva RR. Avaliação da qualidade de vida dos pacientes submetidos à hemodiálise. Rev Bras Clin Med. 2012; 10 (6): 503-507.

Cunha MS, Andrade V, Guedes CAV, Meneghetti CHZ, Aguiar AP, Cardoso AL. Avaliação da capacidade funcional e da qualidade de vida em pacientes renais crônicos submetidos a tratamento hemodialítico. Fisioterapia e Pesquisa. 2009; 16 (2):155-160.

Mortari DM, Menta M, Scapini KB, Rockembach CWF, Duarte A, Leguisamo CP. Qualidade de vida de indivíduos com doença renal crônica terminal submetidos à hemodiálise. Scientia Médica. 2010; 20(2): 156-160.

Silva KAL, Cargnin MCS, Ventura J, Paula SF, Groos JV. Qualidade de vida de pacientes com insuficiência renal em tratamento hemodialítico.Rev enferm UFPE on line. 2017; 11(11):4663-4670.

Liberati A, Altman DG, Tetzlaff J, Mulrow C, Gøtzsche PC, Ioannidis JPA, et al. The PRISMA statement for reporting systematic reviews and meta-analyses of studies that evaluate health care interventions: explanation and elaboration. PLoS Med [Internet]. 2009; Jul; 6(7)

Pagels AA, Soderkvist BK, Medin C. Health-related quality of life in different stages of chronic kidney disease and at initiation of dialysis treatment. Health Qual Life Outcomes. 2012; 10; 71– 1.

Kalender B, Ozdemir AC, Dervisoglu E, Ozdemir O. Quality of Life in Chronic Kidney Disease: Effects of Treatment Modality, Depression, Malnutrition and Inflammation. Int J Clin Pract. 2007; 61 (4): 569– 6

Ikonomou M, Skapinakis P, Balafa O, Eleftheroudi M, Damigos D, Siamopoulos KC, et al. The impact of socioeconomic factors on quality of life of patients with chronic kidney disease in Greece. Journal of Renal Care. 2015; 41 (4); 239– 6.

Pereira BS, Neimar ns, Melo nP, Renata Ar, Grincenkov FRS, Fernandes nMs et al. Beyond Quality of Life: a cross sectional study on the mental health of patients with chronic kidney disease undergoing dialysis and their caregivers. Bio Med Central. 2017; 15 (1): 02-10.

Lee YJ, Kim MS, Cho S, Kim SR. Association of Depression and Anxiety with Reduced Quality of Life in Patients with Predialysis Chronic Kidney Disease. Int J Clin Pract. 2013; 67 (4): 363– 68.

Frazão CMFQ, Ramos VP, Lira ALBC. Qualidade De Vida De Pacientes Submetidos à Hemodiálise. Rev. enferm. 2011; 19 (4): 577- 82

Cordeiro JABL, Brasil VV, Silva AMTC, Oliveira LMA, Zatta LT, Silva ACCM et al. Qualidade de vida e tratamento hemodialítico: avaliação do portador de insuficiência renal crônica. Rev. Eletr. Enf. 2009; 11 (4): 785- 83.




DOI: https://doi.org/10.18554/reas.v7i2.2987

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/