PRATICA DO AUTOCUIDADO E DEMANDAS POR CUIDADOS DE ENFERMAGEM PELAS PUÉRPERAS

Sueli da Silva Riul, Nara dos Santos Costa, Maurícia Brochado Oliveira Soares, Mariana Martins Melo, Bibiane Dias Miranda Parreira

Resumo


Estudo com objetivo de verificar práticas de autocuidado e demanda por cuidados deenfermagem no puerpério. Tratou-se de estudo quantitativo, descritivo, transversal, realizadocom 212 puérperas maiores de 18 anos em um hospital público. Os dados foram obtidos pormeio de entrevistas entre outubro e dezembro de 2010 usando instrumento estruturado, sendoanalisados por estatística descritiva. Considerando o autocuidado como uma ferramenta depromoção à qualidade de vida, as respostas das práticas de autocuidado apresentaram-seadequadas: 83,5% para alimentação; 63,2% higiene; 83,5% sono e repouso; 70,3% bebidasalcoólicas e 85,4% tabagismo, mostrando conhecimentos a respeito de atitudes positivas nesteperíodo do ciclo gravídico-puerperal. Em relação às demandas por cuidados de enfermagem,estas foram por orientação, estímulo positivo, supervisão de autocuidado e acompanhamento.Conclui-se que as puérperas têm conhecimento sobre práticas corretas de autocuidado nopuerpério, transmitidos em sua maioria pela equipe de enfermagem, requerendo estímulospara que se concretizem.

Descritores: Autocuidado; Enfermagem; Período Pós-Parto.


Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

- Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Políticas para a Saúde. Assistência pré-natal: manual técnico. Brasília: MS; 2000.

- Costa MCG. Puerpério: a ambivalência das estratégias para o cuidado [dissertação]. Ribeirão Preto: USP/Programa de Pós Graduação em Saúde Pública; 2001.

- Silva LA, Nakano MAS, Gomes FA, Stefanello J. Significados atribuídos por puérperas adolescentes à maternidade: autocuidado e cuidado com o bebê. Texto Contexto Enferm. 2009; 18 (1): 48-56

- Moura MAV, Costa GRM, Teixeira CS. Momentos de verdade da assistência de enfermagem à puérpera: um enfoque na qualidade. Rev enferm UERJ. 2010; 18 (3): 429-34.

- Torre MAMD. Assistência em cuidado de enfermagem a puérpera numa perspectiva antropobiológica [dissertação]. Porto: Universidade do Porto/Mestrado em ciências de enfermagem; 2001.

- Martins AB, Ribeiro J, Soler ZASG. Proposta de exercícios físicos no pós-parto. Um enfoque na atuação do enfermeiro obstetra. Invest Educ Enferm. 2011; 29 (1): 40-46.

- Diaz CMG, Hoffmann IC, Costenaro RGS, Soares RS, Lavall BC. Vivencias educativas da equipe de saúde em unidade gineco-obstétrica. Cogitare Enferm. 2010; 15 (2): 364-7.

- Acosta DF, Gomes VLO, Kerbers NPC, Costa CFS. Influencias, crenças e praticas no autocuidado das puérperas. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(6): 1327-33.

- Odinino NG, Guirardello EB. Satisfação da puérpera com os cuidados de enfermagem recebidos em um alojamento conjunto. Texto Contexto Enferm. 2010; 19(4): 682-90.

- Ravelli APX. Consulta puerperal de enfermagem: uma realidade na cidade de Ponta Grossa, Paraná, Brasil. Rev Gaúcha Enferm. 2008; 29 (1): 54-9.

- Osis MJD, Duarte GA, Crespo ER, Espejo X, Pádua KS. Escolha de métodos contraceptivos entre usuárias de um serviço de saúde. Cad Saúde Pública. 2004; 20 (6): 1586-94.

- Brasil. Lei No 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 26 Jun 1986. Seção 1.

- Maggil RA. Motor learning: concepts and applications. 4 ed. Madison: Brown & Benchmark; 1993.

- Burgos MGPA, Bion FM, Florisbela C. Lactação e álcool: efeitos clínicos e nutricionais. Arch latinoam nutr. 2004; 54 (1): 25-35.

- Zuanon ACC, Benedetti KC, Guimarães MS. Conhecimento das gestantes e puérperas quanto à importância do atendimento odontológico precoce. Odontologia Clín-Científ. 2008; 7 (1): 57-61.

- Oliveira SMJV, Saito E. Saúde da mulher: manual de enfermagem. In: Brasil. Instituto para o Desenvolvimento da Saúde. Universidade de São Paulo. Ministério da Saúde. Manual de enfermagem. Brasilia: MS; 2001. p. 57-86 [acesso 2011 dezembro 13]. Disponível em: www.ids-saude.org.br/enfermagem

- Silva LR, Arantes LAC, Villar ASE, Santos IMM et al. Enfermagem no puerpério: detectando o conhecimento das puérperas para o autocuidado e cuidado com recém-nascido [online]. 2012. 4. [capturado 23 abr. 2012]; 2327-37. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3971627.

- Almeida MS, Silva IA. Necessidade de mulheres no puerpério imediato em uma maternidade pública de Salvador, Bahia, Brasil. Rev Esc Enferm USP. 2008; 42 (2): 347-54.

- Belentani LM, Marcon SS, Pelloso SM. Sexualidade de puérperas com bebês de risco. Acta Paul Enferm. 2011; 24 (1): 107-13.

- Vieira F, Bachion MM, Munari DB, Salge AM. Diagnósticos de enfermagem da NANDA no período pós-parto imediato e tardio. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2010; 14 (1): 83-89.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/