EDUCAÇÃO PREVENTIVA COM DEFICIENTES AUDITIVOS: DESAFIO PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E EDUCAÇÃO

Crhis Netto de Brum, Samuel Spiegelberg Zuge, Amanda Netto Brum, Luciana Carrion Carvalho

Resumo


RESUMO

O Programa de Saúde e Prevenção nas Escolas representa um marco na integração saúde-educação para os adolescentes e jovens. Este estudo tem o objetivo de relatar as ações educativas sobre a prevenção das DSTs/Aids e a promoção da saúde sexual e reprodutiva desenvolvidas em uma escola de estudantes do ensino médio e do Programa de Ensino de Jovens e Adultos (EJA) com deficiência auditiva. As atividades se desenvolveram por meio de dinâmicas e discussões, a partir da metodologia problematizadora. Dessas ações emergiram possibilidades para o preparo técnico e humanístico dos profissionais da saúde, para o desenvolvimento de trabalhos educativos com pessoas que têm necessidades especiais, no que diz respeito à saúde sexual. A aplicação da metodologia problematizadora no âmbito escolar proporcionou uma (re)construção do contexto em que os educandos estão inseridos, a partir de reflexões e discussões conjuntas.

Descritores: Educação de Pessoas com Deficiência Auditiva; Educação em Saúde; Enfermagem; Saúde do Adolescente.

 


Texto completo:

PDF

Referências


Ministério da Saúde. Ministério da Educação. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de DST e Aids (BR). Diretrizes para a implantação do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Fonseca AD, Gomes VLO, Teixeira KC. Percepção de adolescente sobre orientação sexual. Esc. Anna Nery [internet]. 2010 [acesso em: 30 mai 2012]; 14(2): 330-337. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v14n2/16.pdf.

Figueiredo TAM, Machado VLT, Abreu MMS. A saúde na escola: um breve resgate histórico. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2010 [acesso em 1 jun 2012]; 15(2):397-402. Disponível em http://www.scielosp.org/pdf/csc/v15n2/v15n2a15.pdf.

França ISX, Pagliuca LMF, Baptista RS. Política de inclusão do portador de deficiência:

possibilidades e limites. Acta Paul. Enferm. [internet]. 2008 [acesso em: 30 de mai];21(1):112-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v21n1/pt_17.pdf.

Ministério da Educação. Censo Escolar 2012 (BR). Portaria nº1413 de 17 de dezembro de 2010. Diário Oficial da União. Brasília; 2010. [acesso em 01/06/12]. Disponível em: http://www.educasensomec. inep. gov.br/basica/censo/default.asp.

Paula AR, Sodelli FG, Faria G, Gil M, Regen M, Meresman S. Pessoas com deficiência: Pesquisa sobre a sexualidade e vulnerabilidade. Temas sobre Desenvolvimento [internet]. 2010 [acesso em 1 jun 2012];17(98):51-65. Disponível em http://www.planetaeducacao.com.br/p ortal/artigo.asp?artigo=1816.

Bisol CA. Vulnerabilidade: HIV/Aids e pessoas portadoras de necessidades especiais. Agência de Notícias da Aids. 2008. [acesso em 21 mar 2010]. Disponível em http://www.agenciaaids.com.br/Notici as.asp?pagina=212.

Filho TRCP, Filho JCBS, Gonçalves ER, Dantas AMM, Hyppólito SB. Análise do Conhecimento sobre DSTs e Planejamento Familiar entre Deficientes Auditivos e Ouvintes de uma Escola Pública de Fortaleza. Rev.Bras.Educ.Espec. [internet]. 2010 [acesso em 2 jun 2012];16(1):137-50. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbee/v16n1/11.pdf.

Soares AHR, Moreira MCN, Monteiro LMC. Jovens portadores de deficiência: sexualidade e estigma. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2008 [acesso em: 30 mai 2012];13(1):185-94. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v13n1/22.pdf.

Zuge SS, Padoin SMM, Brum CN, Tronco CS. A Metodologia Problematizadora na Prevenção de Acidentes em Central de Material e Esterilizaçao. Cogitare Enferm. [internet]. 2012 [acesso em 24 mai 2012]; 17(1):162-5. Disponível em http://ojs.c3sl.ufpr.br/ ojs2/index.php/cogitare/article/viewFile/26392/17585.

Ayres JRCM, Paiva V, França Jr I. From natural history of disease to vulnerability: changing concepts and practices in contemporary public health. In: Parker R, Sommer M, organizadores. Routledge Handbook in Global Public Health. Abingdon Oxon: Taylor and Francis; 2011. p. 98-107.

Santos KFdos, Bógus CM. A percepção de educadores sobre a escola promotora de saúde: um estudo de caso. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. [internet]. 2007 [acesso em 30 mai 2012];17(3):123-33. Disponível em: http://www.revistasusp.sibi.usp.br/pdf/rbcdh/v17n3/12.pdf.

Brum CN, Lima MP, Carmo MLC, Zuge SS. Assistência de enfermagem: uma reflexão pautada na promoção e na educação em saúde. Rev Enferm UFPE on line. [internet]. 2010 [acesso em 24 mar 2012];4(1):429-435. Disponível em http://www.sumarios.org/sites/default/files/pdfs/32202_4138.pdf.

Pimenta RAF, Thomson Z, Melchior R. Adolescência: ações e percepção dos médicos e enfermeiros do Programa Saúde da Família. Interface – Comunic. Saúde, Educ. [internet]. 2008 [acesso em 30 mai 2012];12(25):387-400. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/icse/v12n25/a13v1225.pdf.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/