PERFIL DE VÍTIMAS DE INTOXICAÇÕES EXÓGENAS AGUDAS E ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM

Renato dos Reis Santos, Omar Pereira de Almeida Neto, Cristiane Martins Cunha

Resumo


Objetivo: Descrever o perfil clínico epidemiológico de vítimas de intoxicações exógenas agudas atendidas em um hospital terciário, assim como a assistência de enfermagem a esses pacientes. Método: Estudo descritivo e retrospectivo, baseado na análise de prontuários.  Os dados foram tabulados e exportados para o Statistical Package for the Social Sciences versão 20 para Windows® e para análise descritiva. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa nº319/10. Resultados: A maioria dos pacientes eram mulheres adultas (60,27%) com transtornos mentais, envolvendo medicamentos por via digestiva (81,50%); Os atendimentos foram rápidos e a lavagem gástrica predominou como procedimento de enfermagem mais executado (21,23%); Grande parte dos prontuários (71,23%) não continha anotações de enfermagem. Conclusão: O enfermeiro necessita utilizar a anotação como ferramenta de trabalho, assim como ser membro ativo em atendimentos de emergência, sistematizando assistência. 


Texto completo:

PDF

Referências


Zambolim CM, Oliveira TP, Hoffmann NA, Vilela CEB, Neves D, Anjos FR, et al. Perfil das intoxicações exógenas em um hospital universitário. Rev. Assoc. Méd. Minas Gerais. 2008;18(1):5-10.

Matsumoto I. Intoxicacao exógena o que fazer [internet]. Fundação Educacional Serra Dos Órgãos - FESO. Disponível em: http://www.webartigos.com/articles/16207/1/INTOXICACAO-EXOGENA-O-QUE-FAZER/pagina1.html. [Capturado em 02 Junho 2015].

Martins HS, Damasceno MCT, Awada SBA. Pronto-socorro: diagnóstico e tratamento em emergências. Manole, 2ª ed. 2008.

Bortoletto ME, Bochner R. Impacto dos medicamentos nas intoxicações humanas no Brasil. Cad. Saúde Pública. 1999;15(4):859-69.

Silva ACS, Vilela FP, Brandão GMON. Intoxicação exógena por “chumbinho” como forma de autoextermínio no Estado de Goiás, 2003 - 2007Rev. Eletr. Enf. [Internet]. 2010;12(4):686-91. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n4/v12n4a13.htm. [Captura em 02 junho 2015].

Santos AS, Legay, LF, Lovisi, GM . Suicidios e tentativas de suicidios por intoxicacao exogena no Rio de Janeiro: analise dos dados dos sistemas oficiais de informacao em saude, 2006-2008. Rev. bras. epidemiol;16(2):387-387, jun. 2013.

Santos AS, Legay, LF, Lovisi, GM. Substâncias tóxicas e tentativas e suicídios: considerações sobre acesso e medidas restritivas. Cad. Saúde Colet., 2013, Rio de Janeiro, 21 (1): 53-61

Gandolfi E, Andrade MG. Eventos toxicológicos relacionados a medicamentos no Estado de São Paulo. Rev Saude Publica. 2006;40(6):1056-64.

Marques GQ, Lima MADS, Ciconet RM. Agravos clínicos atendidos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Porto Alegre – RS. Acta Paul Enferm 2011;24(2):185-91.

Lima AAA, Rodrigues RV. Automedicação - O uso indiscriminado de medicamentos pela população de porto velho. [on line] Disponível em: http://www.unir.br/html/pesquisa/Pibic_XIV/pibic2006 [Capturado em: 25.Abr.2014]

Schürhaus GH. et al. Sistematização da assistência de enfermagem em um serviço de urgência e emergência utilizando a cipe® (classificação internacional para a prática de enfermagem) Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

Jesus T de, Mota E. Fatores associados à subnotificação de causas violentas de óbito. Cad Saúde Colet. 2010 Jul.-Set;18(3):361-70.

Brasil. Ministério da Saúde. Gabinete do ministro. Portaria GM/MS nº 104, de 25 de janeiro de 2011. Define as terminologias adotadas em legislação nacional, conforme o disposto no Regulamento Sanitário Internacional 2005 (RSI 2005), a relação de doenças, agravos e eventos em saúde pública de notificação compulsória em todo o território nacional e estabelece fluxo, critérios, responsabilidades e atribuições aos profissionais e serviços de saúde. Diário Oficial União 2011; 26 jan; Seção 1:37-38.

BRASIL. Sistema de Informação de Agravos de Notificação Intoxicação Exógena. Brasília, 2009. Disponível em: http// www.saude.mt.gov.br/arquivo. [Capturado em 02 junho 2015].

Silva CCS, Souza, CK, Marque, MFL. Intoxicações Exógenas: Perfil dos Casos que Necessitaram de Assistência Intensiva. R bras Ci Saúde 2011; 15(1):65-68.

Martins EHK, Farias AJC, Gonçalves, CSM. Intoxicações por aldicarb no estado da Bahia, Brasil. Ver Bai Sal Publ.2010;29(1): 77-88

Oliveira CS, Ferreira AP. Perfil Epidemiológico das Ações De Vigilância em Saúde das Populações Expostas aos Agrotóxicos. Interfaches 2012; 7(1):1-16.

Reis LM, Martins BF, Gavioli A, Mathias TAF, Oliveira MLF. Saúde Do Homem: Internações Hospitalares Por Intoxicação Registradas em um Centro de Assistência Toxicológica. Esc Anna Nery. 2013; 17 (3):505 – 511.

Oliveira MLF, Arnauts I. Intoxicação alcoólica em crianças e adolescentes:

dados de um centro de assistência toxicológica. Esc. Anna Nery Rev.

Enferm. 2011 Jan/Mar; 15(1): 83-9.

Mota DM, Melo JRR, Freitas DRC, Machado M. Perfil da mortalidade por

intoxicação com medicamentos no Brasil, 1996-2005: retrato de uma

década. Ciênc. saúde Coletiva. 2012 mai; 17(1): 61-70.

Seleghim MR, Bellasalma ACM, Mathias TAF, Oliveira MLF. Caracterização

das tentativas de suicídio entre idosos. Cogitare enferm. 2012 abr-jun;

(2): 277-83.




DOI: https://doi.org/10.18554/

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/