Faces de Clarice Lispector

Pedro Thiago Souza, Gabriel Arcanjo Albuquerque

Resumo


Nesse trabalho propomo-nos a comparar a configuração literária das biografias “Clarice uma vida que se conta” de Nádia Battella Gotlib e “Clarice,” de Benjamin Moser, em cujas obras os autores assumem a complexa tarefa de narrar a vida de Clarice Lispector, organizando depoimentos, documentos e outros registros de forma a criar, consciente ou inconscientemente, uma personagem passível de análise, sem que para isso busquem a veracidade dos fatos narrados. Empregamos como quadro teórico as ideias propostas por Leonor Arfuch na publicação “O espaço biográfico” no qual a autora cria, por meio de estudos da linguagem e sociológicos, um espaço para o estudo biográfico que vai dos biografias canônicas até as formas mais contemporâneas de narrar a vida. Como resultado desse estudo, verificamos que as vivências e relatos narrados nas mencionadas biografias são passiveis de análise, por meio da configuração literária, e que temas referentes à intenção do biógrafo influenciam no ato de narrar a vida do artista. Esta investigação é realizada pelo proponente desse trabalho como pesquisador de iniciação científica, executada na Universidade Federal do Amazonas e orientado pelo professor doutor Gabriel Arcanjo Santos Albuquerque.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v8i2.1048

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)