GABRIEL CONROY E O ÚLTIMO MOCINHO DO MUNDO OCIDENTAL

Mariana Luísa de Figueiredo

Resumo


Yeats, Lady Gregory e Synge escrevem sobre o passado mitológico da Irlanda e enaltecem a vida rústica enquanto James Joyce (1882-1941) disseca o cotidiano das pessoas que vivem na tumultuada Dublin da virada do século. Os camponeses são o tema de The Playboy of the Western World (1907) por Synge, mas é um engano pensar que a peça do dramaturgo nacionalista e o episódio de sua estreia no Abbey Theater estejam completamente distanciados do retrato da burguesia irlandesa e do altivo e cosmopolita no Gabriel Conroy de “The Dead”, o último e mais extenso conto da coletânea de histórias sobre os dublinenses, Dubliners (1904), incluído por Joyce na publicação quatro anos depois. O objetivo deste artigo é aproximar o conto “The Dead” e seu protagonista Gabriel Conroy da peça The Playboy of the Western World, e sua polêmica estreia, demonstrando como a peça reverbera de diferentes formas na escrita do conto de Joyce.

Palavras chaves: Synge, Joyce, nacionalismo, hibridismo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v8i1.1067

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)