Entre suspiros e lágrimas: Nísia Floresta e José de Alencar

Gislene da Silva, Fani Miranda Tabak

Resumo


O objetivo principal deste estudo é a análise do poema A lágrima de um Caeté, de Nísia Floresta, e de seu diálogo com a tradição indianista no romantismo brasileiro. Posto que o mesmo estabelece parâmetros distintos no trato dado ao índio e, consequentemente, ao indianismo erigido, objetiva-se também a discussão de uma perspectiva nova para sua compreensão, pensada a partir do conceito de indigenismo presente na literatura da América Latina em geral.  

O fato de que a obra pertença a uma autora do século XIX, destaca ainda o papel feminino na criação literária e avalia a sua possível pouca divulgação. Relacionam-se, ainda, os fatores que distinguem a criação literária feminina da criação masculina e a importância dessa primeira para a ampliação dos conceitos até então conhecidos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v9i1.1849

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)