O aspeamento em respostas de questão interpretativa-argumentativa

Ana Maria da Silva

Resumo


Subsidiado nos pressupostos da linguística textual e enunciativa, este estudo tem por objetivo identificar as funções do aspeamento no gênero resposta de questão interpretativa-argumentativa, verificando em que situação,  por que ele ocorre e como se constitui, por conseguinte, em uma forma de heterogeneidade mostrada. Para isso, toma-se como corpus de análise textos de alunos do terceiro ano do Ensino Médio de uma escola particular, produzidos a partir da leitura do romance Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto e da música Todo Carnaval Tem Seu Fim, de Los Hermanos. O estudo aponta que o aspeamento não é neutro, visto que permite perceber a polifonia de enunciadores utilizada para a elaboração da argumentação. Isso possibilita a visualização de uma intertextualidade explícita imprescindível para a coerência textual marcada pelo dialogismo ou “dialogização interna do discurso” que se formula pelo discurso da música nas situações interpretativas-argumentativas expostas, evidenciando a heterogeneidade mostrada. Consequentemente, é perceptível que respostas que não trazem o aspeamento como recurso gráfico, não causam o mesmo efeito de sentido que as outras.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v4i01.193

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)