NEGAÇÃO, ILUSÃO E ESTRANHAMENTO NO ROMANCE DIE GLÄSERNE STADT, DE NATASCHA WODIN

Dionei Mathias

Resumo


RESUMO: Com seu romance Die gläserne Stadt, Natascha Wodin publica um texto que se baseia, em grande parte, sobre suas próprias experiências entre duas culturas. Nele, a protagonista reflete sobre sua construção de identidade entre as culturas alemã e russa. Na primeira, seu pertencimento lhe é negado; em volta da segunda, a protagonista tece uma rede de ilusões impassíveis de serem mantidas. Os dois espaços culturais, portanto, não servem como base para sua identidade. O terceiro espaço, o espaço pessoal do corpo, também se revela como insatisfatório, pois seu caráter estranho escapa a sua compreensão. Com essas coordenadas, a narração de identidade figurada no romance apresenta um elemento que surge nos três espaços centrais: a condição do não pertencimento. 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v10i1.2000

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)