ARQUIVAMENTO DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA NO ROMANCE TENDA DOS MILAGRES, DE JORGE AMADO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18554/ri.v10i1.2026

Resumo

A oposição entre mundos diferentes ? o da academia e da elite dominante: conhecimento científico, representado pela Faculdade de Medicina; e o do povo, dos saberes tradicionais, representado pelo Pelourinho, a “Universidade do povo” ? é tema central do romance Tenda dos milagres (1969). Nosso objetivo é apresentar uma análise da narrativa que demonstre pontos comuns com os procedimentos de arquivamento. A proposta é percebê-la como uma espécie de ficção do arquivo, não no sentido estrito, mas como esta literatura – um mosaico de gêneros, um “campo de fronteiras” – pode atuar como um arquivo, entendido no sentido foucaultiano e, no caso do romance estudado, permite recuperar uma memória cultural popular afrodescendente.

Biografia do Autor

Gustavo Tanus, UFMG

Licenciado em Letras/português, Bacharel em Letras, e Bacharel em Edição, mestre em Teoria da Literatura e Literatura Comparada na UFMG, é pesquisador do Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Alteridade, NEIA/FALE/UFMG.

Antonia Cristina de Alencar Pires

Doutora em Literatura Comparada pela Faculdade de Letras da UFMG, Mestra em Literatura Brasileira pela FALE/UFMG, Bacharel em Biblioteconomia pela Escola de Ciência da Informação da UFMG; é Técnica em Gestão, Proteção e Restauro do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais - IEPHA/MG.

Downloads

Publicado

2017-11-13