ARQUIVAMENTO DA CULTURA AFRO-BRASILEIRA NO ROMANCE TENDA DOS MILAGRES, DE JORGE AMADO

Gustavo Tanus, Antonia Cristina de Alencar Pires

Resumo


A oposição entre mundos diferentes − o da academia e da elite dominante: conhecimento científico, representado pela Faculdade de Medicina; e o do povo, dos saberes tradicionais, representado pelo Pelourinho, a “Universidade do povo” − é tema central do romance Tenda dos milagres (1969). Nosso objetivo é apresentar uma análise da narrativa que demonstre pontos comuns com os procedimentos de arquivamento. A proposta é percebê-la como uma espécie de ficção do arquivo, não no sentido estrito, mas como esta literatura – um mosaico de gêneros, um “campo de fronteiras” – pode atuar como um arquivo, entendido no sentido foucaultiano e, no caso do romance estudado, permite recuperar uma memória cultural popular afrodescendente.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v10i1.2026

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)