MEMÓRIAS DE TROIA: “NO SECOND TROY” DE WILLIAM BUTLER YEATS EM CANÇÕES POPULARES IRLANDESAS

Mariese Ribas Stankiewicz

Resumo


Este artigo aborda as canções “Troy” de Sinéad O’Connor (1987) e “Yeat’s Grave” de Dolores O'Riordan (1994) no contexto dos estudos culturais e como uma forma de apropriação do poema “No Second Troy”, de William Butler Yeats, considerando, entre outros aspectos, os traços ideológicos dos diálogos entre eles. Assim, um dos objetivos principais é o de verificar como os autores trabalham com suas lembranças de acontecimentos passados e como suas compreensões dessas memórias estão em constante revisão e se misturam com novas tendências da contemporaneidade. Nesse sentido, a teoria de Mikhail Bakhtin, especificamente, suas ideias de dialogismo e seu conceito de discurso bivocal podem ajudar com algumas reflexões sobre como Sinéad e Dolores mostram situações históricas particulares em suas músicas que fazem o ouvinte prestar atenção à condição de presença / ausência da mudança que permeia a memória cultural de um povo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v10i2.2351

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)