ACUMULAÇÃO, SABER E ERUDIÇÃO: A FORMA ÉPICA E O JORNAL DOBRABIL, DE GLAUCO MATTOSO

Autores

  • GUSTAVO SCUDELLER Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

DOI:

https://doi.org/10.18554/ri.v11i2.3422

Resumo

O Jornal Dobrabil (1877-1981) é provavelmente uma das obras mais significativas da poesia brasileira experimental dos anos 1970 e 1980. Imaginado como um jornal literário batido à máquina, fotocopiado e distribuído por correio, em que poesia e prosa se misturam a um acentuado trabalho gráfico com os tipos e a diagramação, tem como um de seus procedimentos centrais de composição a acumulação. Figura importante da tradição da poesia épica e, também, da literatura enciclopédica, ela mantém estreita relação com a erudição, a paixão pelos livros e com as aspirações da literatura por saber. No Jornal Dobrabil, recebe um tratamento variado e exaustivo, que é responsável pela impressão geral de anarquia e amontoamento que recobre toda a obra. Este trabalho procura recompor um pouco da trajetória dessa questão na teoria e na crítica literária moderna, apontando alguns caminhos preliminares de sua investigação.

Biografia do Autor

GUSTAVO SCUDELLER, Universidade Federal de São Paulo - Unifesp

Professor do Departamento de Letras da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - EFLCH/Guarulhos

Downloads

Publicado

2019-11-13