FAKE NEWS NAS REDES SOCIAIS: EFEITOS DE SENTIDO DO BOATO NO CIBERESPAÇO

Autores

  • Gustavo Haiden Lacerda Universidade Estadual de Maringá
  • Luciana Cristina Ferreira Dias Di Raimo Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.18554/ri.v12i2.3776

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir e analisar as fake news enquanto prática discursiva digital, o que nos trouxe o desafio de pensar discursivamente sobre a ilusão de um sujeito-autor de fake news que busca produzir e fazer circular um efeito-verdade de uma notícia e se coloca como fonte e origem de um dizer. Para tanto, buscamos na Análise do discurso pecheuxtiana o embasamento para abordar a linguagem na sua relação contraditória com a história e a ideologia, particularmente aproximando e deslocando os conceitos de boato e memória, por meio de análises acerca dos processos de formulação e circulação das fake news pelo aparato digital. No/pelo movimento de análise acerca de uma notícia falsa a respeito de um suposto beneficiamento financeiro que a cantora Pabllo Vittar estaria recebendo da Lei Rouanet, observamos que os sentidos das fake news são produzidos a partir de uma tentativa de falseamento de posição no discurso, em que o sujeito “finge” se inscrever em uma formação discursiva com a qual não se identifica. Assim, compreendemos que o sentido da veracidade de um fato se desaloja e a falha irrompe tanto na produção de um efeito-texto (incompleto e lacunar) quanto nos pontos  onde as palavras/imagens, na imbricação verbal e visual, faltam e abrem brechas para a produção do equívoco.

Biografia do Autor

Gustavo Haiden Lacerda, Universidade Estadual de Maringá

Graduando do curso de Letras da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Luciana Cristina Ferreira Dias Di Raimo, Universidade Estadual de Maringá

Doutora em Linguística Aplicada (Unicamp) e professora do Departamento de Língua Portuguesa da Universidade Estadual de Maringá.

Downloads

Publicado

2020-09-25