ABSTRATIZAÇÃO DE [TENER QUE + V-INF] NA HISTÓRIA DO ESPANHOL PENINSULAR

Ana Luiza Ferancini Nogueira, Sandra Denise Gasparini Bastos, Sebastião Carlos Leite Gonçalves

Resumo


Neste trabalho, analisamos o desenvolvimento diacrônico dos significados modais da construção perifrástica [tener que + V-infinitivo] no espanhol peninsular. Recorremos aos pressupostos teórico-metodológicos da gramaticalização clássica (HOPPER; TRAUGOTT, 2003) e buscamos comprovação para a hipótese de mudança que prevê que, no domínio da modalidade, valores epistêmicos, por serem mais abstratos, emergem na língua a partir de valores não-epistêmicos (BYBEE et al., 1994). Para tanto, analisamos dados diacrônicos dos séculos XIII ao XIX, disponíveis na plataforma CORDE (Corpus Diacrónico del Español), considerando, na análise da perífrase, o domínio semântico de modalidade (inerente, deôntico, epistêmico e volitivo) e a orientação do valor modal (para o participante, para o evento e para proposição) (HENGEVELD, 2004), correlacionados à animacidade do sujeito da construção modal. Os resultados das análises mostram que a expressão de valores epistêmicos é, de fato, temporalmente mais tardia que a dos valores não-epistêmicos e emerge na construção associada a sujeitos inanimados. Com base nos resultados, comprovamos que os valores modais da perífrase seguem um processo de abstratização diacronicamente atestado. 

Palavras-chave


Diacronia; Espanhol peninsular; Perífrase modal; Tener que.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, J. A categoria da modalidade. Uniletras. v. 10, p. 10-24, 1988.

BLAS DE ARROYO, J.; GONZÁLEZ MARTÍNEZ, J. ¿Qué tengo que/ de hazer?: variación y cambio lingüístico en el seno de las perífrasis de infinitivo de textos escritos de imprenta oral en el español clásico. Studies in Hispanic and Lusophone Linguistics, Amsterdam, v.7, n. 2, p. 241-274, 2014.

BRUNELLI, A. F.; GASPARINI-BASTOS, S. D. O comportamento do verbo modal poder no discurso de autoajuda: uma investigação no português e no espanhol. Estudos Linguísticos, v. 1, n. 1, p. 60-70, 2011.

BYBEE, J. Morphology: a Study of the Relation between Meaning and Form. Amsterdam: John Benjamins, 1985.

BYBEE, J. Language, Usage and Cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

BYBEE, J. et al. The Evolution of Grammar: Tense, Aspect, and Modality in the Languages of the World. Chicago/London: University of Chicago Press, 1994.

DALL’AGLIO-HATTNHER, M. M. Entre o poder e o dever: fatores intervenientes na expressão da modalidade nos discursos de posse presidencial. Gragoatá (UFF), v. 25, p. 155-168, 2009.

DALL’AGLIO-HATTNHER, M. M. et al. Uma investigação funcionalista da modalidade epistêmica. In: NEVES, M. H. M. (org.). Descrição do Português: definindo rumos de pesquisa. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2001. p. 103-143.

GISBORNE, N.; PATTEN, A. Construction grammar and grammaticalization. In: HEINE, B.; NARROG, H. (ed.) The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011, p. 93-104.

HEINE, B. et al. Grammaticalization: a Conceptual Framework. Chicago: University of Chicago Press, 1991.

HENGEVELD, K. Illocution, Mood and Modality in a Functional Grammar of Spanish. Journal of Semantics, [S.l], v. 6, n. 1, p. 227-269, 1988.

HENGEVELD, K. Illocution, Mood and Modality. In: BOOIJ, G.; LEHMANN, C.; MUGDAN, J. (ed.) Morphology: an International Handbook on Inflection and Word- Formation. Berlin/ New York: Mouton de Gruyter, 2004. p. 1190-1201.

HENGEVELD, K. The grammaticalization of tense and aspect. In: HEINE, B.; NARROG, H. (eds.). The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011. p. 580-594.

HENGEVELD, K.; DALL’AGLIO-HATTNHER, M. M. Four Types of Evidentiality in the Native Languages of Brazil. Linguistics: an Interdisciplinary Journal of the Language Sciences, v. 53, n. 1, p. 479–524, 2015.

HENGEVELD, K.; MACKENZIE, L. Functional Discourse Grammar. Oxford: Oxford University Press, 2008.

HOPPER, P. Emergent Grammar. Berkeley Linguistics Society, n. 13, p. 139-157, 1987.

HOPPER, P. On Some Principles of Grammaticalization. In: TRAUGOTT, E. C.; HEINE, B. (org.). Approaches to Grammaticalization. Amsterdam: John Benjamins, 1991. p. 17-36.

HOPPER, P.; TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization. 2.ed. Cambridge: Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

MIRANDA, N. S. Modalidade: o gerenciamento da interação. In: MIRANDA, N. S.; NAME, M. C. (org.). Linguística e Cognição. Juiz de Fora: EDUFJF, 2005. p. 171-195.

NEVES, M. H. M. Imprimir marcas no enunciado. Ou: a modalização na linguagem. In: NEVES, M. H. M. Texto e gramática. São Paulo: Contexto, 2006. p. 152-221.

NOGUEIRA, A. L. F. Uma investigação funcional da construção "tener que" no espanhol falado peninsular. Relatório de Estágio de Iniciação Científica apresentado à FAPESP (Processo 2014/08093-0). 2015. 51 p.

NOGUEIRA, A. L. F. Uma investigação diacrônica da construção modal "tener que" sob perspectiva da gramaticalização. 2019. 194f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, 2019.

OLBERTZ, H. Periphrastic Expressions of Non-epistemic Modal Necessity in Spanish – a Semantic Description. In: GARACHANA, M.; MONTSERRAT, S.; PUSCH, C. (ed.). From Composite Predicates to Verbal Periphrases in Romance languages (IVITRA Research in Linguistics and Literature). Amsterdam: John Benjamins, 2016. p. 1-25.

OLBERTZ, H. The Diachrony of Tener que and Other Possession-based Modal Periphrases in Spanish. In: ROCHA, N. A.; RODRIGUES, A. T. C.; CAVALARI, S. M. S. (ed.). Novas práticas em pesquisa sobre a linguagem: rompendo fronteiras. Araraquara: Cultura Acadêmica, 2018. p. 13-36. Disponível em: http://www.fclar.unesp.br/Home/Instituicao/Administracao/DivisaoTecnicaAcademica/ApoioaoEnsino/LaboratorioEditorial/serie-trilhas-linguisticas-n30---e-book.pdf. Acesso em: 20 out. 2019.

OLBERTZ, H.; GASPARINI-BASTOS, S. D. Objective and Subjective Deontic Modal Necessity in FDG – Evidence from Spanish Auxiliary Expressions. In: MACKENZIE, J. L.; OLBERTZ, H. (ed.). Casebook in Functional Grammar. Amsterdam: John Benjamins, 2013. p. 277-300.

REAL ACADEMIA ESPAÑOLA. Banco de datos (CORDE) [en línea]. Corpus diacrónico del español. [s.d.] Disponível em: http://www.rae.es. Acesso em: 03 out. 2019.

SWEETSER, E. From Etymology to Pragmatics: Metaphorical and Cultural Aspects of Semantic Structure. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

YLLERA, A. Sintaxis histórica del verbo español: Las perífrasis medievales. Zaragoza: Universidad de Zaragoza, 1980.




DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v13i1.4728

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)