O MAL-ESTAR DO PRESENTE: CONSIDERAÇÕES SOBRE O TEMPO NARRATIVO EM AS ALIANÇAS, DE LÊDO IVO

Antony Cardoso Bezerra, Taffarel Bandeira Guedes

Resumo


O romance As Alianças (1947), do escritor brasileiro Lêdo Ivo, tem, no tempo narrativo, o seu principal fator de estruturação.  Mais que isso, o tempo é tematizado ao longo de todo o discurso romancístico.  Considerando-se instrumentais oferecidos pela Narratologia e tendo por pauta a leitura crítica da obra, estuda-se tanto como é arquitetado o enredo, quanto as maneiras por meio das quais as personagens – em especial, o casal Jandira e José – lidam com o passar do tempo e as angústias de que são acometidas.  No sentir das personagens, cuja expectativa é de estabilidade e de certezas, dominam um passado que se revela como airoso, em contraste com um presente e com um futuro de crescente mal-estar.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18554/ri.v7i1.947

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 ISSN 1981-0601

 Qualis B2 (LINGUíSTICA E LITERATURA/ Quadriênio 2013-2016)