Mecanismos de enfrentamento utilizados por idosos residentes em instituições de longa permanência

Jurema Ribeiro Luiz Gonçalves, Gabriela Carvalho da Sillva, Erica Aparecida dos Santos, Pollyana Pagliaro Borges Soares, Carla Maria Silvano, Eliseu da Costa Campos

Resumo


Esta pesquisa teve como objetivo identificar as estratégias de enfrentamento utilizadas como mecanismo de adaptação por idosos institucionalizados. Trata-se de um estudo qualitativo, descritivo e exploratório, desenvolvido em uma instituição de longa permanência para idosos (ILPI) no interior de Minas Gerais. Da população de 48 idosos, cinco não tiveram declínio cognitivo, segundo o Mini Exame do Estado Mental (MEEM). Destes, três aceitaram participar da pesquisa. As falas gravadas foram transcritas. Os resultados mostraram predomínio do sexo masculino, com faixa etária de 60 a 69 anos, sendo a maioria dos entrevistados solteira e com renda de um salário mínimo. Foram observadas as seguintes categorias referentes às estratégias de enfrentamento: Participação nas atividades diárias da ILPI e Aceitação frente à ausência de atividades de lazer. A adaptação deu-se por meio da participação em atividades de rotina da ILPI, fazendo com que se sentissem úteis e aceitos no âmbito asilar.

Palavras-chave


Adaptação, Idoso, Instituição de Longa Permanência para Idosos

Texto completo:

PDF

Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v2i1.1145

Apontamentos

  • Não há apontamentos.