Quais tipos de locais de trabalho participam de estudos para perda de peso?

Fábio Araújo Almeida, Sarah Stacy Wall, Russell Eugene Glasgow, Laura Ann Linnan, Brenda Marie Davy, Jennie Linn Hill, Wendy You, Paul Andrew Estabrooks

Resumo


O objetivo deste artigo é descrever o processo e os resultados associados com a adoção no estudo Worksite Weight Control (Controle de Peso no Local de Trabalho). Este é um estudo quantitativo  desenvolvido no Estado da Virginia nos Estados Unidos entre os anos de 2007 e 2010. Um total de 119 locais de trabalho foram identificados como potencialmente elegíveis com base em tamanho, no acesso à internet e vontade de realizar um questionário breve de saúde no local de trabalho. Setenta e três foram elegíveis, 28 (38,3%) foram inscritos, e 26 completaram os 12 meses de intervenção (35,6%). Estes locais incluíram quatro instalações médicas (14,3%), seis centros de distribuição e produção (21,4%), cinco grupos profissionais das áreas de direito, publicidade, engenharia, vendas e suporte de tecnologia da informação (17,9%), dois centros de atendimento (7,1%), quatro faculdades e universidades pequenas (14,3%), e sete agências governamentais (25,0%).  Não houve diferenças estatisticamente significativas nas taxas de adoção com base no tipo de local de trabalho. No entanto, houve tendências sugerindo que grupos profissionais e faculdades pequenas eram mais propensos a recusar a participação, sendo que as fábricas e agências governamentais eram mais aptos à participação. Os resultados sugerem que os programas foram aceitáveis para uma variedade de tipos de local de trabalho, mas programas aplicados pela internet podem não ser tão atraentes para grupos profissionais e faculdades de pequeno porte.

Palavras-chave


Promoção da saúde; Programas de redução de peso; Obesidade; Local de trabalho; Internet

Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v2i2.1168

Apontamentos

  • Não há apontamentos.