Manutenção de Intervenções de Atividade Física: premissas para eficácia individual

Thomas Richard Wójcicki, Edward McAuley

Resumo


Esta é uma revisão que tem como objetivo apresentar investigações sobre atividade física examinando o aspecto Manutenção do modelo RE-AIM. Os estudos citados realizaram-se com adultos de meia-idade e idosos. Considerou-se manutenção ao nível individual, tipicamente representada, pelo grau em que as alterações iniciais no comportamento do participante são mantidas ao longo do tempo. Na maioria dos casos, isso reflete seis meses ou mais pós-intervenção. Em particular, foi analisada em que medida a auto-eficácia está relacionada com a manutenção da atividade física. Este trabalho sugere que as percepções de eficácia pessoal são importantes não só para adoção inicial deste comportamento de saúde, mas também para a manutenção por períodos maiores que cinco anos. É importante ressaltar que esses efeitos são sustentados quando o comportamento passado é controlado. Como a auto-eficácia é modificável, é possível aos intervencionistas traçarem estratégias para melhorar a eficácia maximizando assim a manutenção.

Palavras-chave


Exercício; Atividade motora; Autoeficácia; Estudos de intervenção; Comportamentos saudáveis

Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v2i2.1171

Apontamentos

  • Não há apontamentos.