Papéis Ocupacionais e Rede de Apoio Social de Idosas em Institucionalização Permanente e Residentes na Comunidade

Fernanda Laís Ribeiro, Grasielle Silveira Tavares Paulim

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar os papéis exercidos por idosas de uma Instituição de Longa Permanência (ILPI) e idosas residentes na comunidade, verificando a rede de apoio social e a importância na manutenção e criação desses papéis. Utilizou-se metodologia quantitativa descritiva, com a aplicação da Lista de Identificação de Papéis Ocupacionais e do Diagrama da Escolta em seis idosas, sendo três de uma ILPI e três da comunidade. Verificou-se predomínio de apoio formal para a ILPI, em que as idosas recebem mais apoio do que fornecem, diferente do encontrado para as idosas da comunidade, em que o total apresenta apoio informal, em que estas oferecem mais cuidado do que recebem, portanto, desempenham papéis mais complexos. Quanto à distribuição dos papéis ao longo do tempo, em papéis contínuos na ILPI houve predomínio de passatempo/amador e amigo, já na comunidade, de cuidador e religioso. Notou-se a diminuição do papel de membro da família em ambos os grupos. Em desempenho de papéis futuros, foi observada congruência na escolha dos papéis de: amigo, estudante, trabalhador, voluntário, serviço doméstico, familiar, religioso, hobby/amador. A pesquisa sugere ações de promoção da saúde, prevenção de agravos e reabilitação do indivíduo idoso em seus aspectos biopsicossociais no contexto de papéis ocupacionais que possam ser reassumidos ou mantidos. 


Palavras-chave


Apoio social; Idoso; Terapia Ocupacional

Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v2i3.1214

Apontamentos

  • Não há apontamentos.