Avaliação da capacidade de acolhimento da demanda espontânea nos serviços de atenção básica

Maria Cristina Traldi, Laís Rabesco, Márcia Regina Campos Costa da Fonseca

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar o acolhimento dos serviços de atenção básica a partir das fichas classificadascomo não urgência na escala de Manchester. Estudo exploratório com amostra aleatória constituída por 384fichas azuis e verdes de crianças e adolescentes atendidos em serviço público de emergência. O endereçoinscrito nas fichas possibilitou identificar a Unidade Básica da região de residência dos pacientes. 20,6%tinham classificação verde e 79,4% azul. A mediana foi igual a oito atendimentos por Unidade de AtençãoBásica. Vinte Unidades (55,5%) obtiveram escore igual ou inferior à mediana, sendo considerados moderadosna capacidade de acolhimento e 16 (44,5%) ficaram acima da linha de corte e foram considerados como tendobaixa capacidade de acolhimento. O estudo concluiu que a capacidade de acolhimento de crianças eadolescentes foi moderada, com melhor desempenho das unidades que atuam na Estratégia Saúde da Família.

Descritores: Atenção primária à saúde; Acesso aos serviços de saúde; Humanização da assistência.


Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v4i2.1641

Apontamentos

  • Não há apontamentos.