Prevalência de parasitas intestinais nas dependências de uma instituição prisional

Katymilla Guimarães Girotto, Amanda Ferreira Silva, Leiredayane Morais Silveira, Juliana Mendes Silva, Ceres Aparecida Vilela, Nawany Moura Daniel

Resumo


Este estudo teve como objetivo determinar a prevalência de parasitas intestinais em diversos locais (cantina, dos sanitários, do bebedouro e do pátio) de uma instituição prisional de uma cidade do interior de Goiás. As amostras foram coletadas utilizando uma fita adesiva transparente (tipo Durex ou Scotch), essa fita foi aplicada à superfície de cada local pesquisado e, posteriormente, recolocada sobre uma lâmina para a microscopia, as lâminas foram lidas por dois examinadores, diretamente, em microscopia óptica comum, em aumentos de 100 a 400 vezes. Ao todo, foram coletadas 177 amostras, sendo nove (5,1%) positivas para Ascaris lumbricoides, uma (0,5%) apresentou ácaro e outra (0,5%) apresentou cisto de Endolimax nana. Todas as lâminas positivas com Ascaris lumbricoides referiam-se à cantina (fogão, freezer, balcão, panela, cesto de verduras e, faca) e as amostras de Endolimax nana e ácaro estavam presentes nos sanitários (vasos sanitários). A instituição prisional analisada representa um local de risco para as pessoas que a frequentam.

Descritores: Parasitas; Prisões; Higiene; Manipulação de Alimentos, Parasitologia.


Referências





DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v4i3.1781

Apontamentos

  • Não há apontamentos.