Diagnóstico de tuberculose: perspectiva do profissional de enfermagem da atenção primária

Mayane Gabrielle Borges Salzani, Sônia Aparecida da Cruz Oliveira, Maria Amélia Zanon Ponce da Rocha, Giselle Juliana de Jesus, Claudia Eli Gazetta, Silvia Helena Figueiredo Vendramini, Maria de Lourdes Sperli Geraldes Santos, Thais Oliveira

Resumo


Este estudo tem como objetivo analisar dificuldades no diagnóstico da tuberculose na perspectiva do profissional de enfermagem na atenção primária. Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo realizado em 2009 com profissionais de enfermagem. O instrumento usado foi o Primary Care Assessment Tool adaptado para tuberculose. Foram analisadas variáveis gerais e de acesso: sexo, profissão, anos na função, remuneração e local de trabalho, conhecimento da doença, convencimento do doente a coletar escarro, preenchimento dos impressos, sobrecarga de trabalho, acesso às informações, atualização, busca de sintomáticos respiratórios, visita domiciliar para entrega do pote de escarro, educação em saúde. Os dados foram armazenados no Software Statistica 8.0 da Statsoft e foi feita uma análise descritiva. Observou-se falta de conhecimento, dificuldade em preencher impressos e convencer o paciente a coletar escarro. A busca ativa é realizada, em detrimento da educação em saúde ou visitas domiciliares para entrega do pote. É necessário investir em educação permanente para profissionais da atenção primária, porta de entrada do sistema de saúde.


Palavras-chave


Tuberculose; Diagnóstico; Serviços de Saúde; Atenção primária à saúde

Referências


World Health Organization. WHO report 2011: global tuberculosis control. Geneva: World Health Organization; 2011.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde. O controle da tuberculose no Brasil: avanços, inovações e desafios. Bol Epidemiol. [Internet]. 2014 [citado em 15 nov 2012]; 45(2):1-13. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/maio/29/BE-2014-45--2--tb.pdf.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde. Especial tuberculose. Bol Epidemiol. [Internet]. 2012 [citado em 29 nov 2012]; 43:1-12. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2014/julho/23/BE-2012-43-Mar--o---Especial-Tuberculose.pdf.

Muniz JN, Rufino Netto A, Villa CS, Yamamura M, Arcencio R, Cardozo-Gonzales RI. Aspectos epidemiológicos da co-infecção tuberculose e vírus da imunodeficiência humana em Ribeirão Preto (SP), de 1998 a 2003. J Bras Pneumol. [Internet]. 2006 [citado em 19 nov 2013]; 32(6):529-34. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v32n6/a10v32n6.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132006000600010.

Villa TCS, Ponce MAZ, Wysock AD, Andrade RLP, Arakawa T, Scatolin BE, et al. Diagnóstico oportuno da tuberculose nos serviços de saúde de diversas regiões do Brasil. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 02 nov 2011]; 21(esp):[08 telas]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21nspe/pt_24.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692013000700024.

World Health Organization. Global tuberculosis report 2012. [Internet]. Geneva: WHO; 2012. [citado em 28 jun 2016]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/75938/1/9789241564502_eng.pdf.

Presidência da República (Brasil). Objetivos de desenvolvimento do milênio: relatório nacional de acompanhamento [Internet]. Brasília, (DF): IPEA; 2014 [citado em 12 nov 2012]. 208p. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/140523_relatorioodm.pdf.

Yamamura M, Zanoti MDU, Arcêncio RA, Protti ST, Figueiredo RM. Mortalidade por tuberculose no interior de São Paulo–Brasil (2006-2008). Ciênc Cuid Saúde. 2015; 14(3):1259-65.

Monroe AA, Cardozo Gonzales RI, Palha PF, Sassaki CM, Ruffino Netto A, Vendramini SHF, et al. Envolvimento de equipes da atenção básica à saúde no controle da tuberculose. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2008 [citado em 20 ago 2012]; 42(2):262-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n2/a07.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342008000200008.

Protti ST, Silva LMC, Palha PF, Villa TCS, Ruffino-Neto A, Nogueira JA, et al. A gerência da unidade básica de saúde no controle da tuberculose: um campo de desafios. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2010 [citado em 16 dez 2012]; 44(3):665-70. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n3/16.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300016.

Souza KMJ, Sá LD, Palha PF, Nogueira JA, Villa TCS, Figueiredo DA. Abandono do tratamento de tuberculose e relações de vínculo com a equipe de saúde da família. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2010 [citado em 28 out 2012]; 44(4):904-11. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n4/07.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000400007.

Sousa TF, Souza FBA, Carvalho FC, Villa TCS, Ruffino-Netto, A. Estratégia saúde da família e a construção do vínculo no controle da tuberculose pulmonar na Rocinha-RJ. Rev Pesqui Cuid Fundam. [Internet]. 2015 [citado em 14 nov 2012]; 7(2):2336-2348. Disponível em: http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3562/pdf_1543. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i2.2336-2348.

Ponce MZ, Wysocki AD, Scatolin BE, Andrade RLP, Arakawa T, Ruffino Netto A, et al. Diagnóstico da tuberculose: desempenho do primeiro serviço de saúde procurado em São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. [Internet]. 2013 [citado em 22 jan 2013]; 29(5):945-54. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v29n5/12.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2013000500012.

Balderrama P, Vendramini SF, Santos MLSG, Ponce MAZ, Oliveira IC, Villa TCS, et al. Porta de entrada para o diagnóstico da tuberculose: avaliação da estrutura dos serviços. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2014[citado em 22 nov 2012]; 16(3):511-9. Disponível em: http://revistas.ufg.br/fen/article/view/21408/17541. DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i3.21408.

Antunes LB, Tomberg JO, Harter J, Lima LM, Beduhn DAV, Gonzales RIC. Sintomático respiratório de tuberculose na atenção primária: avaliação das ações segundo as recomendações nacionais. Rev RENE. 2016; 17(3):409-15.

Macinko J, Almeida C. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho dos serviços de atenção básica do sistema único de saúde (SUS) em nível local. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2006.

Villa TCS, Ruffino-Netto A. Questionário para avaliação de desempenho de serviços de atenção básica no controle da tuberculose no Brasil. J Bras Pneumol. [Internet]. 2009 [citado em 22 nov 2012]; 35(6):610-2. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v35n6/v35n6a14.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132009000600014.

Ferreira MBG, Felix MMS, Contim D, Souza DJ, Simões ALA. Caracterização do contexto de trabalho e qualidade de vida dos profissionais de estratégia saúde da família. Cogitare Enferm. 2015; 20(3):565-72.

Lopes LMG, Vieira NF, Lana FCF. Análise dos atributos da atenção primária à saúde na atenção à tuberculose no Brasil: uma revisão integrativa. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2015; 5(2):1684-1703.

Sá LD, Gomes ALC, Carmo JB, Souza KMJ, Palha PF, Alves RS, et al. Educação em saúde no controle da tuberculose: perspectiva de profissionais da estratégia Saúde da Família. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 22 nov 2013]; 15(1):103-11. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v15/n1/pdf/v15n1a12.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i1.15246.

Vendramini SHF. O programa de controle da tuberculose em São José do Rio Preto-SP: do contexto epidemiológico à dimensão social - 2005. [tese]. Ribeirão Preto: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo; 2005. 259p.

Morais MP, Martins JT, Galdino MJQ, Robazzi MLDCC, Trevisan GS. Satisfação no trabalho de enfermeiros em um hospital universitário. Rev Enferm UFSM. 2016; 6(1):1-9.

Sá LD, Oliveria AAV, Gomes ALC, Nogueira JA, Villa TCS, Collet N. Cuidado ao doente de tuberculose na estratégia saúde da família: percepções de enfermeiras. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2012 [citado em 22 nov 2012]; 46(2):356-63. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n2/a13v46n2.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000200013.

Silva-Sobrinho RA, Zilly A, Monroe AA, Pinto ESG, Silva RMM, Villa TCS. Ambivalência das ações de controle da tuberculose na atenção básica à saúde. Rev RENE. 2014; 15(4):605-12. 25. Cardozo-Gonzales RI, Palha PF, Harter J, Alarcon E, Lima LM, Tomberg JO. Avaliação das ações de detecção de casos de tuberculose na atenção primária. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2015; 17(4):1-8. Disponível em: http://revistas.ufg.br/fen/article/view/32846/20697. DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v17i4.32846.

Dantas DNA, Enders BC, Queiroz AAR, Coura AS, Silva MPM, Menezes RMP. Fatores associados à primeira escolha de local para o diagnóstico da tuberculose. Rev Gaúch Enferm. 2014; 35(3):75-81.

Santos MLSG, Villa TCS, Vendramini SHF, Gonzáles RIC, Palha PF, Santos NSGM, et al. Gerência das ações de controle da tuberculose em municípios prioritários do interior paulista. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2010 [citado em 28 nov 2012]; 19(1):64-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v19n1/v19n1a07.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072010000100007.

Nogueira JA, Anjos UU, Sá LD, Silva DM, Trigueiro, DRSG, Villa TCS, et al. A influência dos determinantes individuais no retardo do diagnóstico da tuberculose. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2014 [citado em 10 fev 2016]; 23(4):1022-31. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=71433508025. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072014001370013.

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Ciênc Saúde Coletiva. [Internet]. 2010 [citado em 25 fev 2013]; 15(5):2297-305. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15n5/v15n5a05.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000500005.

Façanha MC, Melo MA, Vasconcelos FF, Souza JRP, Pinheiro AS, Porto IA, et al. Treinamento da equipe de saúde e busca ativa na comunidade: estratégias para a detecção de casos de TB. J Bras Pneumol. [Internet]. 2009 [citado em 22 nov 2012]; 35(5):449-54. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jbpneu/v35n5/v35n5a10.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1806-37132009000500010.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i2.1791

Apontamentos

  • Não há apontamentos.