Prevalência de indicativos de depressão em idosos de uma unidade de atenção ao idoso

Pollyana Pagliaro Borges Soares, Nayara Araújo dos Reis, Bianca Gomes Peixoto, Amanda Ribeiro Gonçalves, Elisângela de Assis Amaro, Jurema Ribeiro Luiz Gonçalves

Resumo


Este é um estudo transversal, observacional e de abordagem quantitativa, realizado em Uberaba (MG), com o objetivo de traçar o perfil sociodemográfico e estimar a prevalência de indicativos de depressão em idosos. Foram incluídas na pesquisa pessoas com 60 anos ou mais, de ambos os sexos, que frequentam periodicamente a UAI. Dos 317 participantes, a maioria foi representada pelo sexo feminino, com 60-70 anos, viúvos, aposentados, com baixa escolaridade e baixa renda. A prevalência de indicativos de depressão foi de 30,9%. Estes dados mostram a necessidade de realizarem-se ações de diagnóstico e tratamento para a depressão, bem como de disponibilização de suportes para os aspectos psicossociais e emocionais dos idosos.


Palavras-chave


Depressão; Idoso; Centros de convivência e lazer

Referências


Bretanha AF, Facchini LA, Nunes BP, Munhoz TN, Tomasi E, Thumé E. Sintomas depressivos em idosos residentes em áreas de abrangência das Unidades Básicas de Saúde da zona urbana de Bagé, RS. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(1):1-12.

Silva GEM, Pereira SM, Guimarães FJ, Perrelli JGA, Santos ZC. Depressão: conhecimento de idosos atendidos em unidades de saúde da família no município de Limoeiro – PE. REME Rev Min Enferm. 2014; 18(1):82-7.

Verhoeven JE, Révész D, Epel ES, Lin J, Wolkowitz OM, Penninx BW. Major depressive disorder and accelerated cellular aging: results from a large psychiatric cohort study. Mol Psychiatry. 2014; 19(8):895-901.

Carvalho FF, Santos JN, Souza LM, Souza NRM. Análise da percepção do estado de saúde dos idosos da região metropolitana de Belo Horizonte. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2012; 15(2):285-93.

Wichamnn FMA, Couto AN, Areosa SVC, Montañés MCM. Grupos de convivência como suporte ao idoso na melhoria de saúde. Rev. Bras Geriatr Gerontol. 2013; 16(4):821-32.

Santos GS, Cianciarulo TI. Qualidade de vida de idosos na estratégia saúde da família. REFACS [Internet]. 2016 [citado em 12 mar 2017]; 4(3):218-26. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/1774. DOI: 10.18554/refacs.v4i3.1774.

Gutierrez BAO, Auricchio AM, Medina NVJ. Mensuração da qualidade de vida de idosos em centros de convivência. J Health Sci Inst. 2011; 29(3):186-90.

Yassuda MS, Silva HS. Participação em programas para a terceira idade: impacto sobre a cognição, humor e satisfação com a vida. Estud psicol. 2010; 27(2):207-14.

Carreira L, Botelho MR, Matos PCB, Torres MM, Salci MA. Prevalência de depressão em idosos institucionalizados. Rev Enferm UERJ. 2011; 19(2):268-73.

Cunha RV, Bastos GAN, Del Duca GF. Prevalência de depressão e fatores associados em comunidade de baixa renda de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Rev Bras Epidemiol. 2012; 15(2):346-54.

Lima TAS, Menezes TMO. Production of the knowledge on elderly people and social centers. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2012 [citado em 12 mar 2016]; 6(10): 2505-13. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/2847/pdf_1542.

Almeida OP, Almeida SA. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arq Neuropsiquiatr. 1999; 57(2):421-6.

Matias AG, Fonsêca MA, Gomes ML, Matos MA. Indicadores de depressão em idosos e os diferentes métodos de rastreamento. Einstein (São Paulo). 2016; 14(1):6-11.

Hott AM, Pires VATN. Perfil dos idosos inseridos em um centro de convivência. Rev Enferm Integr. 2011; 4(1):765-78.

Freire GV, Silva IP, Moura WB, Rocha FCV, Madeira MZA, Amorim FCM. Perfil de idosos que frequentam um centro de convivência da terceira idade. Rev Interdisciplin. 2015; 8(2):11-9.

Batista NNLA, Vieira DJN, Silva GMP. Caracterização de idosos participantes de atividade física em um centro de convivência de Teresina-PI. Enferm Foco. 2012; 3(1):7-11.

Rodrigues LR, Tavares DMS, Silveira FCO, Dias FA, Nayara Martins NPF. Qualidade de vida, indicativo de depressão e número de morbidades de idosos da zona rural. Rev Enferm Atenção Saúde. 2015; 4(2):33-44.

Rocha FCV, Paz LI, Nery NKB, Almeida GMB, Rocha LPV, Carvalho ML. Perfil de idosos internados no hospital de urgência de Teresina – PI. Rev Enferm UFPI. 2014; 3(3):32-8.

Yamakita M, Kanamori S, N Kondo N, Kondo K. Correlates of regular participation in sports groups among Japanese older adults: JAGES Cross–Sectional Study. PLoS ONE. 2015; 10(10): :e0141638.

Brown JP, Liu X, Sneed JR, Pimontel MA, Devanand DP, Roose SP. Speed of processing and depression affect function in older adults with mild cognitive impairment. Am J Geriatr Psychiatry. 2013; 21(7):675-84.

Leal MCC, Apóstolo JLA, Mendes AMOC, Marques APO. Depression among the elderly in the community, in day care centers, and in geriatric homes. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2015 [citado em 12 mar 2016]; 9(4): 7383-90. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/6616/pdf_7549.

Koch RF, Leite MT, Hildebrandt LM, Linck CL, Terra MG, Gonçalves LTH. Perception of depression in elderly in groups of familiarity. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2013 [citado em 12 mar 2016]; 7(9):5574-82. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/2897/pdf_3414




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i0.2002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.