A educação permanente e a literacia para a saúde: contribuições para a formação profissional

Marta Regina Farinelli, Claudia Helena Julião, Priscila Maitara Avelino Ribeiro, Luís Ângelo Saboga-Nunes, Rosane Aparecida de Sousa Martins

Resumo


Trata-se de um relato de experiência e reflexão sobre um curso sobre Educação Permanente em Saúde e Literacia para a Saúde. O objetivo é socializar reflexões e estudos da temática desenvolvida no Curso: Comunicação, educação e literacia para a saúde: estratégias para a promoção da saúde. Para isto se utilizou revisão bibliográfica, pesquisa documental, abordagem dialógica e sistematização do conteúdo de um dos encontros do referido curso. Verificou-se a participação ativa, integrada, e interesse dos participantes, que compunham um grupo multidisciplinar. As discussões ampliaram os conceitos de educação permanente em saúde e de literacia para a saúde. A educação permanente em saúde desempenha papel significativo na construção de estratégias que qualifiquem a atenção, gestão em saúde e o controle social. Como uma medida estratégica para este desafio encontra-se a literacia para a saúde, que poderá contribuir com impactos na saúde individual e coletiva da população.


Palavras-chave


Educação em saúde; Promoção da saúde; Educação continuada

Referências


Sarreta F, Bertani IF. Perspectivas da educação permanente em saúde. Rev Ibero-Am Estud Educ. 2009; 4(3):1-10

Paim JS. Modelos de saúde no Brasil. In: Giovanella L et al, orgs. Políticas e sistema de saúde no Brasil. 2ed. ampl rev. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2012.

Teixeira M, Oliveira RG, Arantes RF. Mudanças nas políticas do trabalho e da educação em saúde no governo Lula. In: Machado CV, Wargas T, Lima LD, orgs. Políticas de Saúde no Brasil nos anos 2000: continuidades e mudanças. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2012.

Almeida MGM, Souza RC, Justo AM, Baltazar, DVS. A Política de educação em saúde como estratégia de desenvolvimento de pessoas no Estado do Rio de Janeiro. In: IV Congresso CONSAD de Gestão Pública [Internet]; 2013; Brasília. Brasília: CONSAD; 2013 [citado em 15 maio 2016]. p.1-23. Disponível em: http://repositorio.fjp.mg.gov.br/consad/bitstream/123456789/835/1/C6_TP_A%20POL%C3%8DTICA%20DE%20EDUCA%C3%87%C3%83O%20EM%20SA%C3%9ADE%20COMO.pdf.

Ceccim RB, Ferla A. Educação permanente em saúde. In: Dicionário da educação profissional em saúde [Internet]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz, EPSJV; 2009 [citado em 15 maio 2016]. Disponível em:

http://www.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/edupersau.html.

Dias HS, Lima LD, Teixeira M. A trajetória da política nacional de reorientação da formação profissional em saúde no SUS. Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(6): 1613-24.

Ceccim RB. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface Comun Saúde Educ. set 2004/fev 2005; 9(16):161-74.

Cruz RG, Bigliardi RV, Minasi LF. A dialética materialista de Paulo Freire como método de pesquisa em educação. Conjectura: Filos Educ. [Internet]. 2014 [citado em 15 maio 2016]; 19(2):40-54. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/download/2061/1609.

Saboga-Nunes L. Hermeneutica da literacia em saúde e sua avaliação em Portugal (HLS-EU-PT). In: VIII Congresso Português de Sociologia; 2014; Évora. Lisboa: Associação Portuguesa de Sociologia; 2014. p. 2-15.

Saboga-Nunes L. Kiosk dos cidadãos: literacia para a saúde e promoção da cessação tabágica. In: III Congresso Internacional dos Hospitais; 2010; Lisboa. Lisboa: Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar; 2010.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v5i0.2263

Apontamentos

  • Não há apontamentos.