Capacidade funcional em indivíduos com paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao HTLV-1

Victor Augusto Cavaleiro Corrêa, Ádria Cecília Botelho da Rocha, Priscila Sarmento de Almeida, Denise da Silva Pinto, Luiz Fábio Magno Falcão, Hellen Thaís Fuzii

Resumo


Este estudo teve como objetivo avaliar a capacidade funcional de indivíduos com paraparesia espástica tropical/mielopatia associada ao vírus linfotrófico humano de células T do Tipo 1 (PET/MAH). A pesquisa incluiu 12 indivíduos diagnosticados com HTLV-1 de ambos os sexos, em acompanhamento no Laboratório de Estudos em Reabilitação Funcional (LAERF) da Universidade Federal do Pará (UFPA), através da aplicação do Health Assessment Questionnaire (HAQ). Este é um estudo quantitativo realizado em 2016. Dos participantes 58,3% eram do sexo feminino e 41,6% do sexo masculino. Apresentaram incapacidade moderada à grave 50% dos pesquisados, devido à dificuldade de deambular e alterações na postura e equilíbrio, necessitando assim de auxílio de terceiros e muletas e cadeiras de rodas. A problemática do viver com o HTLV-1 é abrangente e complexa, interferindo no cotidiano, estando relacionada a sintomatologia da doença e requerendo cuidados paliativos na capacidade funcional do dia-a-dia, principalmente, na funcionalidade que envolve os membros inferiores, as transferências de posturas e o equilíbrio.


Palavras-chave


Paraparesia espástica tropical; Capacidade funcional; Vírus 1 linfotrópico T humano

Referências


Tang SW, Ducroux A, Jeang KT, Neuveut C. Impact of cellular autophagy on viruses: Insights from hepatitis B virus and human retroviruses. J Biomed Sci. 2012; 19(92):1-11.

Glória LM, Damasceno SA, Rodrigues LR, Santos MSB, Medeiros R, Dias GAS, Pinto DS. Perfil clínico-epidemiológico de pacientes infectados pelo HTLV-1 em Belém/Pará. Cad Saúde Coletiva. 2015; 23(2):157-62.

Iwanaga M, Watanabe T, Yamaguchi K. Adult T-cell leukemia: a review of epidemiological evidence. Front Microbiol. 2012; 3:1-13.

Ministério da Saúde (Br). Guia do manejo clínico da infecção pelo HTLV [Internet]. Brasília, FD; 2013 [citado em 23 jun 2017]. Disponível em: http://www.sierj.org.br/artigos/htlv_manual_final_pdf_25082.pdf.

Semeão LES, Roque DR, Francisco Sobrinho T, Costa CKF, Dodorico M, Yamaguchi MU. Soroprevalência do vírus linfotrópico de células T humanas (HTLV) entre doadores de sangue em hemocentros de Maringá-Paraná e Boa Vista-Roraima. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(3):523-9.

Santos ACC, Soares DJ, Rivemales MCC. (Des)conhecimento, adoecimento e limitações impostas pelo HTLV: experiências de mulheres soropositivas. Cad Saúde Coletiva. 2017; 25(1):45-50.

Trindade BC, Sorgi CA, Nicolete LDF, Malta TM, Pinto MT, Takayanagui OM, et al. Leukotrienes are up regulated and associated with Human T-Lymphotropic Virus Type 1 (HTLV-1) - associated neuroinflammatory disease. PLos ONE. 2012; 7(12):1-11.

Leandro LA. Fatores associados ao desempenho funcional de idosos portadores da Doença de Parkinson. [Dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2011.

World Health Organization. Câncer [Internet]. [Geneva]: WHO; 2017 [citado em 01 ago 2017]. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/en/.

Twycross R. Cuidados paliativos. Lisboa: Climepsi; 2000. 184 p.

Silva RC. As atividades como recurso para a pesquisa. Cad Ter Ocup UFSCar. 2013; 21(3):461-70.

Boemer MR. Sobre cuidados paliativos. São Paulo: USP; 2009.

Palm RCM. Oncologia. In: Cavalcanti A, Galvão C. Terapia ocupacional: fundamentação e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2007.

Luz JD, Lima JAS, Monteiro LG. Automedicação do idoso. [Trabalho de Conclusão de Curso]. Escola Superior de Saúde, Universidade do Mindelo, Mindelo, Cabo Verde; 2013.

Camacho ACLF, Santos RC, Joaquim FB, Louredo DS, Morais IS, Silva EA. Estudo comparativo sobre a capacidade funcional de pacientes adultos e idosos com úlceras venosas. Rev Pesqui Cuid Fundam. (Online) 2015 [citado em 23 jan 2017]; 7(1):1954-66. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/viewFile/3505/pdf_1435.

Silva D, Lopes EL, Braga Junior SS. Pesquisa quantitativa: elementos, paradigmas e definições. Rev Gest Secr. 2014; 5(1):1-18.

Ferraz MB, Oliveira LM, Araujo PMP, Atra E, Tugwell P. Cross cultural reliability of the physical ability dimension of the Health Assessment Questionnaire. J Rheumatol. 1990; 17(6): 813-7.

Janssens X, Decuman S, Keyser F. Comparison of the belgian rheumatoid arthritis disability Assessment and Health Assessment Questionnaires as tools to predict the need for support measures in patients with rheumatoid arthritis. PLos ONE. 2016; 11(1):1-11.

Ebbevi D, Essen A, Forsberg HH. Persons with rheumatoid arthritis challenge there evince of the health assessment questionnaire: a qualitative study of patient perception. BMC Musculoskelet Disord. 2017; 18(189):1-10.

Santos EO. Caracterização molecular do Vírus Linfotrópico de Células T de Humano (HTLV) em pacientes com paraparesia espástica tropical / mielopatia (PET/MAH), portadores e gestantes em Alagoas. [Tese]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2013.

Oliveira EH, Silva FL, Silva ML. Perfil epidemiológico dos doadores de sangue infectados pelo vírus HTLV I/II, no Estado do Piauí. Rev Interdisciplin. 2015; 8(1):149-56.

Felix JC. Caracterização das variantes genotípicas do HTLV em um grupo de pacientes acompanhados em hospital universitário do estado do Rio de Janeiro. [Dissertação] Rio de Janeiro: Instituto Oswaldo Cruz; 2014. 77f.

Coutinho IJ, Castro Filho BG, Lima J, Castello C, Eiter D, Grassi MFR. Impacto da mielopatia associada ao HTLV / paraparesia espástica tropical (TSP/HAM) nas atividades de vida diária (AVD) em pacientes infectados pelo HTLV-1. Acta Fisiátrica. 2011; 18(1):6-10.

Melo AGC, Caponero RO. Futuro em cuidados paliativos. In: Santos FS. Cuidados paliativos: diretrizes, humanização e alívio de sintomas. São Paulo: Atheneus; 2011.

Henning RCV. Terapia ocupacional nos cuidados paliativos oncológicos. Joinville: FGG; 2010.

Rocha EF, Mello MAF. Os sentidos do corpo e da intervenção hospitalar. In: Carlo MMRP, Luzo MCM. Terapia ocupacional: reabilitação física e contextos hospitalares. São Paulo: Roca; 2004.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i1.2353

Apontamentos

  • Não há apontamentos.