Hospitalização e mortalidade em idosos institucionalizados

Thais Regina Machado de Freitas, Sandra Moreira Dutra, Claudia Kümpel, Elias Ferreira Pôrto

Resumo


O presente estudo tem como objetivo avaliar as causas e índice de hospitalização e mortalidade em idosos institucionalizados, entre 2013 a 2016, numa ILPI da região Sul da cidade de São Paulo. Este é uma pesquisa retrospectiva realizada com prontuários de idosos institucionalizados. Avaliados o atestado de óbito, dados relacionados ao perfil antropométrico pessoal, antecedentes de saúde, diagnóstico, medicação em uso, manifestações clinicas, histórico de quedas, fraturas e, hospitalizações. Utilizou-se 25 prontuários, distribuídos em dois grupos, G1 composto de 19 pacientes vivas e, G2 seis indivíduos que foram a óbito. 100% eram do sexo feminino. O tempo médio de institucionalização 4,8±3,9 anos, a idade G2 foi significantemente maior (p=0,028), proporção de dependentes (p=0,04) e de hospitalizações (p=0,028). O G1 tinha maior proporção de indivíduos independentes, que realizavam as AVDs (p=0,002). Concluiu que os fatores que predispõem a hospitalização e a mortalidade de idosos institucionalizados é a idade avançada, dependência para realizar as atividades de vida diária e perda de locomoção.

Palavras-chave


Mortalidade; Hospitalização; Idoso

Referências


Spijker J, Mac Innes J. "Population ageing: the time bomb that isn’t. BMJ. 2013; 347(12):6598-98.

Camarano AA. O novo paradigma biomédico. Ciênc Saúde Coletiva.2013; 18(12):3446-7

Vasconcelos AMN, Gomes MMF. Transição demográfica: a experiência brasileira. Epidemiol Serv Saúde. 2012; 21(4):539-48.

Dawalibi NW, Goulart RMM, Prearo LC.Fatores relacionados à qualidade de vida de idosos em programas para a terceira idade. Ciênc. Saúde Coletiva. 2014;19(8):3505-12.

Miranda GMD, Mendes ACG, SilvaALA. O envelhecimento populacional brasileiro: desafios e consequências sociais atuais e futuras. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016; 19 (3):507-19.

Chan KM, Pang WS, Ee CH, Ding YY, Choo P. Epidemiology of falls among the elderly community dwellers in Singapore. Singapore Med J. 1997; 38(10):427-31.

Cavalcante MLSN, Borges CL, MouraAMFTM, Carvalho REFL.Indicadores de saúde e a segurança do idoso institucionalizado. Rev Esc Enferm USP. 2016; 50(4):602-9.

Ferreira IDCO, Yoshie A. Prevalence and features of falls of institutionalized elders. Rev Bras Enferm. 2010; 63(6):991-7.

Campbell SE, Seymour DG, Primrose WRA systematic literature review of factors affecting outcome in older medical patients admitted to hospital. Age Ageing 2004;33 (2): 110-5.

Creditor MC. Hazards of hospitalization of the elderly. Ann Intern Med. 1993; 118(3): 219-23.

Siqueira AB, Cordeiro RC, Perracini MR, Ramos LR. Impacto funcional da internação hospitalar de pacientes idosos. Rev Saúde Pública. 2004; 38 (5):687-94.

Samantha L, Sundram S. To flee, or not to flee, that is the question for older as ylumseekers." International psychogeriatrics 2014; 26(09):1403-6.

Ferreira DCO, Yoshitome AY. Prevalence and features of falls of institutionalized elders.Rev Bras Enferm. 2010; 63(6):991-7.

Ní Mhaoláin AM, Gallagher D, O’Connell H, Chin AV, Bruce I, Hamilton F. Subjective well-being amongst community-dwelling elders: what determines satisfaction with life? Findings from the Dublin Healthy Aging Study Int Psychogeriatr. 2012;24(2):316–23.

Andrade FCD. Life expectancy without depression increases among Brazilian older adults. Rev Saúde Pública. 2016;50(12):16-24.

Xavier SO, Lucena RE, Ferretti-Rebustini, Eduesley SS, Lucchesi PAO, Hohl KG. Insuficiência cardíaca como preditor de dependência funcional em idosos hospitalizados. Rev Esc Enferm. 2015; 49 (5):790-6.

Gontijo RW, Leão MRC. Effectiveness of a preventive physical therapy program for the elderly. Rev Med Minas Gerais. 2013; 23(2):170-7.

Cordeiro J. Efeitos da atividade física na memória declarativa, capacidade funcional e qualidade de vida em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2014; 17(3):541-52.

Silva TO. Grupo de assistência multidisciplinar ao idoso ambulatorial: efeitos da abordagem fisioterapêutica. Rev Soc Bras Clín Med. 2014; 12(1):321-8.

Duca GF. Hospitalização e fatores associados entre residentes de instituições de longa permanência para idosos. Cad Saúde Pública. 2011; 26(7):1403-10.

Wehbe F, Coelho SC. Association of frailty in hospitalized and institutionalized elderly in the community-dwelling. Rev Bras Enferm. 2016; 69(4):691-6.

Nascimento JS, Tavares DMS. Prevalência e fatores associados a quedas em idosos. Texto & Contexto Enferm. 2016; 25(2): 360-75.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i0.2899

Apontamentos

  • Não há apontamentos.