Mortalidade por suicídio na adolescência: uma revisão

Carlos Alexandre Schlichting, Maria Cecília Leite Moraes

Resumo


O suicídio entre jovens é um importante agravo que vem aumentando de maneira preocupante, tornando-se um problema de saúde pública mundial. Esta é uma revisão integrativa que tem como objetivo deste conhecer a produção científica acerca do suicídio em adolescentes no período de 1996 a 2013. Os descritores foram suicídio: adolescentes, tentativa de suicídio, suicídio. As bases de dados pesquisadas foram: Lilacs, Bireme, Scielo.e Pubmed. Foram selecionados 55 artigos, dos quais 14 foram excluídos por não atenderem a proposta da pesquisa. Os resultados sugerem associações com transtornos mentais, questões afetivas/emocionais, histórico familiar, problemas socioeconômicos. A maior prevalência de casos ocorre em indivíduos do sexo feminino, na faixa etária entre 15 e 19 anos. Acredita-se que a continuidade das investigações contribuirá para melhor entendimento sobre o tema.

Palavras-chave


Suicídio; Adolescente; Saúde pública

Referências


Dahlberg LL, Biroux B, Stouthamer-Loeber M, Van Kammen WB, editors; World Health Organization. World report on violence and health. Geneva: World Health Organization; 2002.

Abreu KP, Lima MAD, Kohlrausch E, Soares JF. Comportamento suicida: fatores de risco e intervenções preventivas. Rev Eletrônica Enferm. 2010; 12(1):195-200.

Ministério da Saúde (Br). Estratégia nacional de prevenção ao suicídio. Brasília: Ministério da Saúde; out 2006.

Vaz-Serra A, Pocinho F. Auto-conceito, coping e ideias de suicídio. Psiquiatr Clín. 2001; 22(1):9-21.

Martins LD. Sofrimento psíquico grave e risco suicida: uma análise pelo método de Rorschach. [dissertação]. Brasília, DF: Faculdade de Psicologia, Universidade de Brasília; 2008.

Brasil. Lei nº 8069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências [Internet]. D.O.U., Brasília, DF, 16 jul 1990 [citado em 10 mar 2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm

Borges VR, Werlang BSG. Estudo de ideação suicida em adolescentes de 15 a 19 anos. Estud Psicol. (Natal). 2006; 11(3):345-51.

Teixeira AMF, Luis MAV. Suicídio, lesões e envenenamento em adolescentes: um estudo epidemiológico. Rev Latinoam Enferm. 1997; 5:31-6.

Krug EG, Mercy JA, Dahlberg LL, Zwi AB. The world report on violence and health. Lancet 2002; 360(9339):1083-8.

Organização Mundial de Saúde. CID-10: Classificação Estatística Internacional de Doenças. São Paulo: Edusp; 1994. v. 1.

Abreu KP, Lima MADDS, Kohlrausch ER, Soares JDSF. Comportamento suicida: fatores de risco e intervenções preventivas. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. mar 2010 [citado em 10 mar 2017]; 12(1):195-200. Disponível em: http://fen.ufg.br/revista/v12/n1/pdf/v12n1a24.pdf doi: https://doi.org/10.5216/ree.v12i1.953711.

Lyra SMK, Goldenberg TBL, Iyda M. Mortalidade de adolescentes em área urbana da região sudeste do Brasil, 1984-1993. Rev Saúde Pública. 1996; 30(6):587-91.

Avanci RDC, Pedrão LJ, Costa Junior MLD. Perfil do adolescente que tenta suicídio em uma unidade de emergência. Rev Bras Enferm. 2005; 58(5):535-9.

Vieira LJES, Freitas MLV, Pordeus AMJ, Lira SVG, Silva JG. "Brokenhearted teenagers": adolescents that had gone through suicide attempt. Ciênc Saude Coletiva. 2009; 14(5): 1825-34.

Lopes P, Barreira DP, Pires AM. Tentativa de suicídio na adolescência: avaliação do efeito de gênero na depressão e personalidade. Psicol Saúde & Doenças. 2001; 2(1):47-57.

Teixeira AMF, Luis MAV. Psychiatric disorders, suicide attempts, lesions and poisoning among adolescents treated in an emergency room, Ribeirão Preto, São Paulo, 1988-1993. Cad Saúde Pública. 1997: 13(3):517-25.

Baggio L, Pallazzo LS, Castro A, Ganzo DR. Planejamento suicida entre adolescentes escolares: prevalência e fatores associados. Cad Saúde Pública. 2009; 25(1):142-50.

Bunney WE, Kleinman AM, Pellmar TC, Goldsmith SK, editors. Reducing suicide: a national imperative. Washington, DC: National Academies Press; 2002.

Botega NJ, Silveira IU, Mauro MLF. Telefonemas na crise: percursos e desafios na prevenção do suicídio. Rio de Janeiro: ABP; 2010.

Vásquez R, Piñero S. Psicopatología en madres adolescentes. Pediatría (Bogotá). 1997; 32(4):229-38.

Marcondes W, Filho, Mezzaroba L, Turini CA, Koike A, Shibayama EE, Fenner FL. Tentativas de suicídio por substâncias químicas na adolescência e juventude. Adolesc Latinoam. 2002; 3(2):1-5.

Hildebrandt LM, Zart F, Leite MT. A tentativa de suicídio na percepção de adolescentes: um estudo descritivo. Rev Eletrônica Enferm. 2011; 13(2):219-26.

Lara EM, Xavier MS, Gonçalves M. Perfil dos pacientes envolvidos em tentativas de suicídio por intoxicação exógena no pronto socorro de Taubaté. Psychiatry Online Brazil [Internet]. 2009 Set [citado em 15 maio 2017]; 14(9). Disponível em: http://www.polbr.med.br/ano09/prat0909.php

Souza LDDM, Ores L, Oliveira GTD, Cruz ALS, Silva RAD, Pinheiro RT, et al. Ideação suicida na adolescência: prevalência e fatores associados. J Bras Psiquiatr. 2010; 59(4):286-92.

Werlang BG, Borges VR, Fensterseifer, L. Fatores de risco ou proteção para a presença de ideação suicida na adolescência. Interam J Psychol. 2005; 39(2):259-66.

Sampaio D, Oliveira A, Graça Vinagre M, Gouveia-Pereira M, Santos N. Representações sociais do suicídio em estudantes do ensino secundário. Anál Psicol. 2000; 2(18):139.

Yunes J, Rajs D. Tendencia de la mortalidad por causas violentas en la población general y entre los adolescentes y jóvenes de la región de las Américas. Cad Saúde Pública. 1994; 10(Supl 1):88-125.

Rocha TC, Brust M, Souza SRL. Perfil dos pacientes com comportamento suicida encaminhados ao Centro de Atenção Psicossocial no município de Chapecó/SC. In: I Congresso Interdisciplinar em Saúde; 2010; Chapecó, SC. Chapecó, SC: UNOCHAPECÓ; 2010 [citado em 19 abr 2017]. Disponível em: https://www.unochapeco.edu.br/static/files/trabalhos-anais/Pesquisa/Sa%C3%BAde/Mateus%20Brust.pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i0.2922

Apontamentos

  • Não há apontamentos.