Promoção da saúde no ambiente escolar: desenvolvimento de materiais didáticos

Milene Morais Lannes, Fúlvia Fabíola Franks, Evellin Damerie Venâncio Müller, Márcia Cristina Teixeira Martins

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar o desenvolvimento de materiais didáticos para a promoção de hábitos alimentares saudáveis valorizando o uso de alimentos in natura e de origem vegetal em escolares do ensino fundamental I. Foi organizada uma equipe multidisciplinar que elaborou e implementou projetos e materiais pedagógicos ao longo de quatro anos. Nesse período sete semanas educativas foram realizadas em nove escolas da rede adventista de ensino da região do Vale do Paraíba, SP. Ao todo 303 escolares do 1º ao 5º ano participaram de todas as semanas educativas. Cinco materiais didáticos foram explorados: banners, aventais, concurso, o álbum de figurinhas, mascotes infláveis e o circuito de atividades.Tais projetos e ferramentas educativas poderão servir de base para futuras intervenções de educação alimentar e nutricional na rede adventista de educação e, de outras escolas da rede pública e privada.

Palavras-chave


Educação alimentar e nutricional; Educação em saúde; Ensino fundamental e médio; Tecnologia educacional

Referências


Sociedade Brasileira de Pediatria. Manual de orientação para a alimentação do lactente, do pré-escolar, do escolar, do adolescente na escola [Internet]. Rio de Janeiro: SBP; 2012 [citado em 05 jan 2017]. Disponível em: https://www.sbp.com.br/pdfs/14617a-PDManualNutrologia-Alimentacao.pdf

Gonçalves FD, Catrib AMF, Vieira NFC, Vieira LJES. Promoção da saúde na educação infantil. Interface Comun Saúde Educ. 2008; 12(24):181-92.

Fernandes FM. Alimentação e nutrição entre escolares: caso dos alunos de uma escola do município. [monografia]. Vitória (ES): Universidade Veiga de Almeida; 2006. 49p.

Presidência da República (Brasil). Decreto n° 6.286, de 5 de dezembro de 2007. Institui o Programa Saúde na Escola – PSE, e dá outras providências [Internet]. D.O.U, Brasília, DF, 6 dez 2007 [citado em 16 jan 2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6286.htm

Domene SMA. A escola como ambiente de promoção da saúde e educação nutricional. Psicol USP. 2008; 19(4):505-17.

Gomes JP. As escolas promotoras de saúde: uma via para promover a saúde e a educação para a saúde da comunidade escolar. Educação (Porto Alegre). 2009; 32(1):84-91.

Ministério da Educação (Br). Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais 1ª a 4ª séries: Saúde, Livro 2 [Internet]. Brasília: MEC/SEF; 1997 [citado em 05 fev 2017]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro092.pdf

Ribeiro JM, Glória SP, Silva KLF, Seibert CS. Jogo vitamínico: uma ferramenta no ensino sobre alimentação saudável. RevProd Acad. 2016; 2(2):184-92.

Schimtz BAS, Recine E, Cardoso GT, Silva JRM, Amorim NFA, Bernardon R, et al. A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis: uma proposta metodológica de capacitação para educadores e donos de cantina escolar. Cad Saúde Pública. 2008; 24(2):S312-S322.

Yokota RTC, Vasconcelos TF, Pinheiro ARO, Schmitz BAS, Coitinho DC, Rodrigues MLF. Projeto “a escola promovendo hábitos alimentares saudáveis”: comparação de duas estratégias e educação nutricional no Distrito Federal, Brasil. Rev Nutr. [Internet]. fev 2010 [citado em 16 jan 2017]; 23(1):37-47. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v23n1/a05v23n1.pdf

Piccoli L, Johann R, Correa EM. A educação nutricional nas séries iniciais de escolas públicas estaduais de dois municípios do oeste de Santa Catarina. NutrireRevSocBrasAliment Nutr. 2010; 35(3):1-15.

Borsoi AT, Arruda CRP, Mussio BR. Educação alimentar e nutricional no ambiente escolar: uma revisão integrativa. Rev Ibero-AmEstud Educ. 2016; 11(3):1441-60.

Ramos FP, Santos LAS, Reis ABC. Educação alimentar e nutricional em escolares: uma revisão de literatura. Cad Saúde Pública. 2013; 29(11):2147-2161.

Maia ER, Junior JFL, Pereira JS, Eloi AC, Gomes CC, Nobre MMF. Validação de metodologias ativas de ensino-aprendizagem na promoção da saúde alimentar infantil. Rev Nutr. [Internet]. 2012 [citado em 12 mar 2017]; 25(1):79-88. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v25n1/a08v25n1.pdf

Lannes MM. Promoção de hábitos alimentares saudáveis entre alunos do ensino fundamental da rede adventista do Vale do Paraíba: lições aprendidas em quatro anos de intervenção. [dissertação]. São Paulo (SP): Centro Universitário Adventista de São Paulo/UNASP; 2016. 147 p.

O semáforo dos alimentos: guia para o professor. In: Nutribrinca: nutrição na escola. Unidade 5: Os alimentos com cartão vermelho - alimentos a evitar [Internet]. Porto: Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica; 2008 [citado em 05 mar 2017]. Disponível em: http://www.esb.ucp.pt/nutribrinca/docs/Unidade_5_O_semaforo_dos_alimentos.pdf

United States Department of Agriculture, Center for Nutrition Policy and Promotion. Development of 2010 dietary guidelines forAmericans, consumer messages and new food icon [Internet]. [Virginia]; 2011[citado em 11 fev 2017]. Disponível em: https://choosemyplate-prod.azureedge.net/sites/default/files/printablematerials/ExecutiveSummaryOfFormativeResearch.pdf

Sulton S. The Seventh-day adventist position statement on vegetarian diets. In: Christian Living & Health [Internet]. 2012 dec [citado em 07 fev 2017]. Disponível em: http://www.adventistonline.com/forum/topics/the-seventh-day-adventist-position-statement-on-vegetarian-diets.

Fraser GE. Diet, life expectancy and chronic disease: studies of seventh-day adventists and other vegetarians. Am J ClinNutr. 2004; 79(3):525-6.

Centers for Disease Control and Prevention. 5 A Day Works! [Internet]. Atlanta: U.S. Department of Health and Human Services; 2005 [citadoem 06 abr 2017]. Disponível em: https://www.cdc.gov/nccdphp/dnpa/nutrition/health_professionals/programs/5aday_works.pdf

World Health Organization. Fruit and vegetable promotion initiative. Gegeva; 2003.

Havas S, Hermendinger J, Damron D, Nicklas TA, Cowan A, Beresford SAAB, et al. 5 a day for better health – nine community research projects to increase fruit and vegetable consumption. Public Health Rep. 1995; 110(169):68-79.

Heber D, Bowerman S. Applying science to changing dietary patterns. J Nutr. 2001; 131(11):3078S-3081S.

Monteiro CA. The big issue is ultra-processing. World Nutrition, Journal of the World Public Health Nutrition Association 2010; 1(6):237-69.

Guerra PH, Silveira JAC, Salvador EP. Physical activity and nutrition education at the school environment aimed at preventing childhood obesity: evidence from systematic reviews. J Pediatr. (Rio J.) [internet]. 2016 [citado em 05 abr 2017]; 92(1): 15-23. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jped/v92n1/1678-4782-jped-92-01-00015.pdf

Díaz XM, Mena CP, Valdivia-Moral P, Rodríguez A, Cachón J. Eficacia de un programa de actividad física y alimentación saludable en escolares chilenos. Hacia Promoc Salud. [Internet]. 2015 [citado em 05 abr 2017]; 20(1):83-95. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/hpsal/v20n1/v20n1a06.pdf. DOI: 10.17151/hpsal.2015.20.1.6

Fernandes PS, Bernardo CO, Campos RMMB, Vasconcelos FAG. Avaliação do efeito da educação nutricional na prevalência de sobrepeso/obesidade e no consumo alimentar de escolares do ensino fundamental. JPediatr. (Rio J.) [Internet]. 2009 [citado em 05 abr 2017]; 85 (4): 315-21. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jped/v85n4/v85n4a08.pdf

Harrell TK, Davy BM, Stewart JL, King DS. Effectiveness of a school-based intervention to increase health knowledge of cardiovascular disease risk factors among rural Mississippi middle school children. South Med J. 2005; 98(12):1173-80.

Jiang J, Xia X, Greiner T, Wu G, Lian G, Rosenqvist U. The effects of a 3-year. obesity intervention in schoolchildren in Beijing. Child Care Health Dev. 2007 Sept; 33(5):641-6.

Manios Y, Moschandreas J, Hatzis C, Kafatos A. Health and nutrition education in primary schools of Crete: changes in chronic disease risk factors following a 6-year intervention programme. Br J Nutr. 2002; 88:315-24.

Boog MCF. Programa de educação nutricional em escola de ensino fundamental de zona rural. Rev Nutr. [Internet]. 2010 [citado em 05 abr 2017]; 23(6):1005-1017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rn/v23n6/07.pdf

Iuliano BA, Mancuso AMC, Gambardella AMD. Educação nutricional em escolas de ensino fundamental do município de Guarulhos-SP. Mundo Saúde 2009; 33(3): 264-72.

Monteiro CA, Cannon G, Moubarac J-C, Levy RB, Louzada MLC, Jaime PC. The UN Decade of Nutrition, the NOVA food classification and the trouble with ultra-processing. Public Health Nutrition 2017; 21: 1-13.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2. ed., Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 156p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i0.2924

Apontamentos

  • Não há apontamentos.