Integralidade na atenção primária à saúde

Mônica de Fátima Freires da Silva, Eliél Martins da Silva, Sarah Lidiane Santos da Silva Oliveira, Gina Andrade Abdala, Maria Dyrce Dias Meira

Resumo


Este é um ensaio reflexivo cujo objetivo foi resgatar o sentido atribuído à integralidade na prática da Atenção Primária à Saúde no Brasil. O estudo abrangeu um histórico conceitual e sua aplicação na assistência à saúde. A integralidade constitui um desafio contínuo devido à complexidade da sua operacionalização. Envolve diferentes atores e estratégias de articulação em diferentes cenários que se configuram em redes, seja no plano assistencial, na gestão ou na construção de políticas públicas.

Palavras-chave


Integralidade em saúde; Atenção primária à saúde; Gestão em saúde; Saúde pública

Referências


Presidência da República (Brasil). Lei n. 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências [Internet]. D.O.U., Brasília, DF; 20 set 1999 [citado em 03 set 2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde [Internet]. 3ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2010 [citado em 03 set 2016]. 60 p. (Série B. Textos Básicos de Saúde, v.7). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_3ed.pdf

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde: revisão da Portaria MS/GM nº 687 de 30 março de 2006 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2014 [citado em 05 set 2016]. 30 p. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_promocao_saude_pnaps.pdf.

Andrade SR, Mello ALSF, Locks MTR, Mattia D, Hoeller F, Erdmann AL. Melhores práticas na Atenção Básica à Saúde e os sentidos da integralidade. Esc Anna Nery [Internet]. 2013 [citado em 03 set 2016]; 17(4):620-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v17n4/1414-8145-ean-17-04-0620.pdf.

Mello GA, Viana ALA. Uma história de conceitos na saúde pública: integralidade, coordenação, descentralização, regionalização e universalidade. Hist cienc Saude-Manguinhos [Internet]. 2012 [citado em 10 out 2016]; 19(4):1219-39 Disponível em: http://pesquisa.bvs.br/brasil/resource/pt/his-28641

Oliveira IC, Cutolo LRA. Humanização como expressão de integralidade. Mundo Saúde [Internet]. 2012 [citado em 07 set 2016]; 36(3):502-6. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/humanizacao_expressao_integralidade.pdf.

Ribeiro MS, Pompeu DA, Souza MGG. Grupo de pesquisa na enfermagem brasileira em saúde mental e psiquiatria. Arq Ciênc Saúde [Internet]. 2016 [citado em 11 out 2016]; 23(1):58-62. Disponível em: http://www.cienciasdasaude.famerp.br/index.php/racs/article/view/264

Ministério da Saúde (Br). Coordenação Geral de Saúde Mental. Reforma Psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil. In: Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas [Internet]; nov 2005; Brasília, DF. Brasília, DF: OPAS; 2005 [citado em 15 maio 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf

Duarte EOS, Nasi C, Camatta MW, Schneider JF. Characterization of the assistance practices in mental healthcare networking: an integrative review. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 08 set 2016]; 33(4):191-9. Disponível em: http://www.ufrgs.br/periodicos/periodicos-1/revista-gaucha-de-enfermagem

Lima IFS, Lobo FS, Acioli KLBO, Aguiar ZN. Integralidade na percepção dos trabalhadores de uma unidade básica de saúde da família. Rev Esc Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 08 set 2016]; 46(4):944-52. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v46n4/23.pdf.

Rodrigues ES, Moreira MIB. A interlocução da saúde mental com atenção básica no município de Vitoria/ES. Saúde Soc. [Internet]. 2012 [citado em 09 set 2016]; 21(3):599-611. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v21n3/07.pdf

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de análise de situação de saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2011[citado em 09 set 2016]. 160p. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

Malta DC, Moura L, Prado RR, Escalante JC, Schmidt MI, Duncan BB. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2014 [citado em 09 set 2016]; 23(4): 599-608. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/ress/v23n4/2237-9622-ress-23-04-00599.pdf

Pinafo E, Carvalho BG, Nunes EFPA. Descentralização da gestão: caminho percorrido, nós críticos e perspectivas. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2016 [citado em 09 set 2016]; 21(5):1511-24. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n5/1413-8123-csc-21-05-1511.pdf

Arantes LJ, Shimizu HE, Merchán-Hamann E. Contribuições e desafios da estratégia saúde da família na atenção primária à saúde no Brasil: revisão da literatura. Ciênc Saúde Coletiva. [Internet]. 2016 [citado em 10 out 2016]; 21(5):1499-509. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n5/1413-8123-csc-21-05-1499.pdf

Almeida DB, Melo CMM. Avaliação da gestão na atenção básica nas dimensões da integralidade. Rev Baiana Saúde Pública [Internet]. 2012 [citado em 09 set 2016]; 36(3):816-30. Disponível em: http://inseer.ibict.br/rbsp/index.php/rbsp/article/view/557

Fracolli LA, Zoboli ELP, Granja GF, Ermel RC. Conceito e prática da integralidade na atenção básica: a percepção das enfermeiras. Rev Esc Enferm. [Internet]. 2011 [citado em 12 set 2016]; 45(5):1135-41. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n5/v45n5a15.pdf

Bedin DM, Scarparo HBK. Integralidade e saúde mental no SUS à luz da teoria da complexidade de Edgar Morin. Psicol Teor Prát. [Internet]. 2011 [citado em 12 set 2016]; 13(2):195-208. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-36872011000200015

Kalichman AO, Ayres JRCM. Integralidade e tecnologias de atenção à saúde: uma narrativa sobre contribuições conceituais à construção do princípio da integralidade no SUS. Cad Saúde Pública [Internet]. 2016 [citado em 10 out 2016]; 32(8):1-13. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v32n8/1678-4464-csp-32-08-e00183415.pdf

Moraes MCL. Promoção da saúde: visitando conceitos e ideias. REFACS. [Internet]. 2017 [citado em 08 mar 2017]; 5(1):75-9. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i0.2925

Apontamentos

  • Não há apontamentos.