Abordagem familiar e projeto terapêutico singular na estratégia saúde da família: estudo de caso com idosos

Ana Luisa Nunes Marques, Fernanda Carolina Camargo, Joyce Mara Gabriel Duarte, Ana Jecely Alves Pereira Lima, Francielle Thaisa Morais Martins, Hayanny Pires Netto Guimarães, Luana Rodrigues Rosseto Felipe, Matheus Marques e Marques, Simone Almeida dos Santos

Resumo


Trata-se de estudo de caso único, descritivo-narrativo, orientado pelo Modelo Calgary de Avaliação Familiar que teve como objetivo analisar a implementação da abordagem familiar na estratégia saúde da família e elaboração do projeto terapêutico singular. Foram realizadas visitas domiciliares; entrevistados seis agentes comunitários de saúde e analisados indicadores da equipe - entre junho e agosto/2017. O caso analisado foi composto por uma família de idosos que cuidam de idosos. Evidenciou-se duas categorias: “O Contexto sócio epidemiológico do território” e “A Família e o Projeto Terapêutico Singular”. Apresentou-se: higiene pessoal e limpeza da casa precárias, dificuldades no manejo do regime medicamentoso, vínculos frágeis e conflituosos com a família estendida, ausência de integração em atividades comunitárias. Construções compartilhadas em equipe orientaram a elaboração do Projeto Terapêutico Singular. Conferência familiar, diálogos que geraram compromissos, painel com atividades domésticas, integração ao grupo comunitário de ginásticas e estreitamento de vínculos com equipe de saúde compuseram intervenções. Conclui-se que o caso relatado contribui para orientar o trabalho interprofissional com famílias para produção de cuidados na atenção básica.


Palavras-chave


Estratégia Saúde da Família; Internato e Residência; Relações familiares; Envelhecimento

Referências


Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Documento orientador de apoio aos debates da 15ª Conferência Nacional de Saúde [Internet]. Brasília, DF: CNS; 2015 [citado em 7 ago 2015]. Disponível em: http:// conselho.saude.gov.br/web_15cns/docs/05mai15_Documento_Orientador_15CNS.pdf

Silva LA, Casotti CA, Chaves SCL. A produção científica brasileira sobre a Estratégia Saúde da Família e a mudança no modelo de atenção. Ciên Saúde Colet. [Internet]. 2013 [citado em 11 maio 2018]; 18(1):221-32. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000100023

Santos DS, Mishima SM, Merhy EE. Processo de trabalho na Estratégia Saúde da Família: potencialidades da subjetividade do cuidado para a reconfiguração do modelo de atenção. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2018 [citado em 11 maio 2018]; 23(3):861-70. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018233.03102016

Ministério da Saúde (Br). Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica [Internet]. D.O.U., Brasília, 22 set 2017 [citado em 10 abr 2018]. 183(seção1):68. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&data=22/09/2017&pagina=68

Silva MCLSR, Silva L, Bousso RS. A abordagem à família na Estratégia Saúde da Família: uma revisão integrativa da literatura. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2011 [citado em 11 maio 2018]; 45(5):1250-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500031

Trad LAB. Família contemporânea e saúde: significados, práticas e políticas públicas. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2010.

Pareja JMD, Guerra FF, Vieira SR, Teixeira KMD. A produção do espaço e sua relação no processo de saúde – doença familiar. Saúde Soc. [Internet]. 2016 [citado em 11 maio 2018]; 25(1):133-44. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902016152797

Yin RK. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman; 2015.

Wright LM. Enfermeiras e famílias: um guia para avaliação e intervenção na família. São Paulo: Rocca; 2008.

Ayres JRC. Sujeito, intersubjetividade e práticas de saúde. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2011 [citado em 11 maio 2018]; 6(7):63-72. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232001000100005

Cecilio HPM, Santos KS, Marcon SS. Modelo Calgary de avaliação da família: experiência em um projeto de extensão. Cogitare Enferm. [Internet]. 2014 [citado em 11 maio 2018]; 19(3):536-44. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/viewFile/32729/23239

Santos JAD, Cunha ND, Brino SMS, Brsail CHG. Ferramenta de abordagem familiar na atenção básica: um relato de caso. J Health Sci Inst. [Internet]. 2016 [citado em 11 maio 2018]; 34(4):249-52. Disponível em: https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2016/04_out-dez/V34_n4_2016_p249a252.pdf

Alves AP, Lima CMS, Rocha WNF, Borges CFN, Silva DP, Brasil CHG, et al. Ferramentas de abordagem familiar na Estratégia Saúde da Família: relato de caso da Equipe Vila Greyce em Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. EFDeportes.com. [Internet]. 2015 [citado em 11 maio 2018]; 19(202):1-8. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd202/abordagem-familiar-na-estrategia-saude.htm

Santos AL, Cecilio HPM, Teston EF, Marcon SS. Conhecendo a funcionalidade familiar sob a ótica do doente crônico. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 11 maio 2018]; 21(4):879-86. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072012000400019

Santos LG, Cruz AC, Mekitarian FFP, Angelo M. Family interview guide: strategy to develop skills in novice nurses. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2017 [citado em 11 maio 2018]; 70(6):1129-36. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0072

Santos A, Oliveira J, Oliveira B, Medeiros S. Quando a família é a principal doença. Rev Port Med Geral Fam. [Internet]. 2013 [citado em 11 maio 2018]; 29:120-5. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpmgf/v29n2/v29n2a08.pdf

Santos JAD, Cunha ND, Brito SMS, Brasil CHG. Ferramenta de abordagem familiar na atenção básica: um relato de caso. J Health Sci Inst. [Internet]. 2016 [citado em 11 maio 2018]; 34(4):249-52. Disponível em: https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2016/04_out-dez/V34_n4_2016_p249a252.pdf

Duhamel F, Dupuis F, Turcotte A, Martinez AM, Goudreau J. Integrating the Illness Beliefs Model in clinical practice: a Family Systems Nursing knowledge utilization model. J Fam Nurs. [Internet]. 2015 [citado em 15 out 2016]; 21(2):322-48. DOI: https://doi.org/10.1177/1074840715579404

Angelo M, Cruz AC. Autoeficácia do enfermeiro para o relacionamento com a família. Rev Ref. 2015; 3(IV):151-5.

Campos ACV, Rezende GP, Ferreira EF, Vargas AMD, Gonçalves LHT. Funcionalidade familiar de idosos brasileiros residentes em comunidade. Acta Paul Enferm. [Internet]. 2017 [citado em 12 jul 2018]; 30(4):358-67. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201700053

Bolina AF, Tavares DMS. Living arrangements of the elderly and the sociodemographic and health determinants: a longitudinal study. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2016 [citado em 22 maio 2018]; 24:e2737. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0668.2737

Santos SC, Tonhom SFR, Komatsu RS. Saúde do idoso: reflexões acerca da integralidade do cuidado. Rev Bras Promoç Saúde [Internet]. 2016 [citado em 12 jul 2018]; 29(Supl):118-27. DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2016.sup.p118

Rocha EN, Lucena AF. Projeto Terapêutico Singular e Processo de Enfermagem em uma perspectiva de cuidado interdisciplinar. Rev Gaúch Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 12 jul 2018]; 39:e2017-0057. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2018.2017-0057

Jorge MSB, Diniz AM, Lima LL, Penha JC. Apoio matricial, projeto terapêutico singular e produção do cuidado em saúde mental. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2015 [citado em 12 jul 2018]; 24(1):112-20. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015002430013




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i1.2997

Apontamentos

  • Não há apontamentos.