“Bom gestar”: implementação de um grupo para gestantes

Samira Ribeiro, Renata Bernardes Lacerda, Bruna Veludo de Oliveira, Bruna Stephanie Sousa Malaquias, Álvaro da Silva Santos

Resumo


Trata-se de um relato de experiência, cujo objetivo foi relatar a experiência vivenciada na implementação da educação em saúde em um grupo de gestantes, discutindo fatores facilitadores e dificultadores para sua realização. O grupo foi criado em 2017, no interior de MG, ocorrendo semanalmente com duração de uma hora e meia. Foram oferecidos encontros com temas pertinentes à gravidez. Embora houve baixa adesão do público alvo, foi possível observar a ampliação do conhecimento das participantes por meio da troca de experiências, sobretudo na desmitificação da gestação e formação de multiplicadores de saberes na unidade realizada. Além disso, para as graduandas foi possível vivenciar a prática, bem como aprofundamento de estudos teóricos.


Palavras-chave


Atenção primaria à saúde; Gravidez; Promoção da saúde; Educação em saúde

Referências


Ministério da Saúde (Br). Portaria nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa de Saúde da Família (PSF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011 [citado em 30 set 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html

Roecke S, Almeida NEFPA, Marcon SS. O trabalho educativo do enfermeiro na estratégia saúde da família. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 30 set 2017]; 22(1):157-65. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n1/pt_19.pdf

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013.

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2012. (Caderno de Atenção Básica; n. 32).

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013 [citado em 14 ago 2017]. (Cadernos de Atenção Básica; n. 32). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_pre_natal_baixo_risco.pdf

Henriques AHB, Lima GMB, Trigueiro JVS, Saraiva AM, Pontes MGA, Cavalcanti JRD, et al. Grupo de gestantes: contribuições e potencialidades na complementaridade da assistência pré-natal. Rev Bras Promoç Saúde [Internet]. 2015 [citado em 14 ago 2017]; 28(1):23-31. Disponível em: http://www.redalyc.org/pdf/408/40842428004.pdf

Neves PR, Salim N, Soares GCF, Gualda DMR. Experiências de mulheres participantes de um grupo de gestantes: estudo descritivo. Online Braz J Nurs. [Internet]. 2013 [citado em 14 ago 2017]; 12(4):862-71. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Glauce_Soares/publication/269653014_Experiences_of_women_in_a_pregnant_group_A_descriptive_study/links/575f3a9108aed884621bb072/Experiences-of-women-in-a-pregnant-group-A-descriptive-study.pdf

Maron LC, Cabral FB, Sand ICPVD, Hildebrandt LM. Motivos e repercussões da participação de gestantes em grupo operativo no pré-natal. Rev Enferm UFSM. [Internet]. 2014 [citado em 14 ago 2017]; 4(3):519-28. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/10827

Martins QPM, Ferreira GSM, Aragão AEA, Gomes FMA, Araújo LM, Ferreira FIS. Conhecimentos de gestantes no pré-natal: evidências para o cuidado de enfermagem. Sanare (Sobral) [Internet]. 2015 [citado em 14 ago 2017]; 14(2):65-71. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/827/498

Silva LJ, Silva LR. Mudanças na vida e no corpo: vivências diante da gravidez na perspectiva afetiva dos pais. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2009 [citado em 14 ago 2017]; 13(2):393-401. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v13n2/v13n2a22.pdf

Teixeira FV, Linhares AEP, Guimarães RX, Cavalcante MMB, Lopes AIN, et al. Oficinas educativas para um grupo de gestantes acerca do período gravídico. Sanare (Sobral) [Internet]. 2015 [citado em 14 ago 2017]; 15(1):119-25. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/937/566

Miranda DB, Bortolon FCS, Matão MEL, Campos PHF. Parto normal e cesária: representações de mulheres que vivenciaram as duas experiências. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2008 [citado em 30 set 2017]; 10(2):337-46. Disponível em: https://revistas.ufg.br/fen/article/view/8032

Domingues RMSM, Dias MAB, Nakamura-Pereira M, Torres JÁ, d’Orsi E, Pereira APE, et al. Processo de decisão pelo tipo de parto no Brasil: da preferência inicial das mulheres à via de parto final. Cad Saúde Pública [Internet]. 2014 [citado em 30 set 2017]; 30(Sup): S101-S116. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0101.pdf

Gonçalves MEP, Cardoso SR, Rodrigues AJ. Corpo estranho em via aérea. Pulmão(Rio J.) [Internet]. 2011 [citado em 31 set 2017]; 20(2):54-8. Disponível: http://www.sopterj.com.br/wp-content/themes/_sopterj_redesign_2017/_revista/2011/n_02/10.pdf

Fonseca MJ. Relato de experiência vivenciado com a promoção de saúde de um grupo de gestantes: conhecendo sobre a depressão puerperal. [Trabalho de conclusão de curso]. Florianópolis, SC: Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC; 2014.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i2.3006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.