Depressão e envolvimento em atividades prazerosas em idosos submetidos à hemodiálise em um hospital-escola: estudo descritivo

Ana Luiza Rosa Lucas, Heloísa Gonçalves Ferreira

Resumo


Este é estudo quantiqualitativo realizado em julho e junho de 2017 com o objetivo investigar como se dá a manifestação da Prática de Atividades Prazerosas (PAP) em idosos com Doença Renal Crônica e verificar a presença de sintomas depressivos em usuários submetidos à hemodiálise num hospital escola de uma cidade de médio porte em Minas Gerais. Utilizaram-se: questionário sociodemográfico, Escala Brasileira de Atividades Prazerosas para idosos (PAP), Escala de Depressão Geriátrica-15, Escala de Atividades Instrumentais da Vida Diária de Pfeffer e, Roteiro de Entrevista semiestruturado. Nos dados quantitativos se fez análise descritiva e nas questões qualitativa se usou análise de conteúdo. Participaram sete idosos, das quais quatro do sexo feminino e todos com baixa escolaridade. Três idosos apresentaram triagem positiva para depressão. A média da amostra (M=1,1) indicou moderada PAP. Emergiram três categorias: Família como fonte de cuidado e mediação na prática de atividades; A DRC e os impactos negativos na PAP em idosos; e, Adaptações na rotina de PAP por idosos com DRC. Observou-se que a família desses idosos atuou como mediadora, facilitando ou dificultando a PAP. Apesar de existirem diversos impactos negativos para idosos na PAP acarretados pela DRC, alguns participantes relataram ainda uma capacidade de se adaptar frente a estas perdas. A implementação de intervenções que visem amenizar sintomas depressivos e aumentar a PAP nesta população é uma ação necessária.


Palavras-chave


Saúde mental; Idoso; Insuficiência renal crônica

Referências


Bastos MG, Kirsztajn GM. Doença renal crônica: importância do diagnóstico precoce, encaminhamento imediato e abordagem interdisciplinar estruturada para melhora do desfecho em pacientes ainda não submetidos à diálise. J Bras Nefrol. [Internet]. 2011 [citado em 23 jan 2018]; 33(1):93-108. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002011000100013

Bastos M, Bregman R, Kirsztajn GM. Doença renal crônica: frequente e grave, mas também previsível e tratável. Rev Assoc Med Bras. [Internet]. 2010 [citado em 23 jan 2018]; 56(2):248-53. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-42302010000200028

Gaioli CCLO, Furegato AR, Santos JL. Perfil de cuidadores de idosos com doença de alzheimer associado à resiliência. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 23 jan 2018]; 21(1):150-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072012000100017

Paradela E. Depressão em idosos. Med HUPE-UERJ. 2011; 10(2):31-40.

Nascimento LCG, Patrizzi LJ, Oliveira CCES. Efeito de quatro semanas de treinamento proprioceptivo no equilíbrio postural de idosos. Fisioter Mov. [Internet]. 2012 [citado em 23 jan 2018]; 25(2):325-31. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502012000200010

Silva AA, Arrais AR. O psicólogo hospitalar frente à vivência do cuidador-familiar do idoso hospitalizado. Rev SBPH. 2015; 18(1):82-104.

Regis CE, Aranha VC, Laham CF, Santiago A, Moretto MLT, Lucia MCS. Percepção da doença cardiovascular e depressão em idosos na enfermaria de um hospital universitário de São Paulo. Psicol Hosp. (São Paulo). 2010; 8(2):46-69.

Ferreira HG, Barham EJ. O envolvimento de idosos em atividades prazerosas: revisão de literatura sobre instrumentos de aferição. Rev Bras Geriatr Gerontol. [Internet]. 2011 [citado em 23 jan 2018]; 14(3):579-90. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000300017

Ferreira HG, Barham EJ, Fontaine AMGV. A measure to assess Brazilian older people’s involvement in pleasant activities: initial evidence of internal and external validity [abstract]. Clin Gerontol. [Internet]. 2015 [citado em: 23 jan 2018]; 38(5):375-94. DOI: https://doi.org/10.1080/07317115.2015.1067270

Ottaviani C, Thayer JF, Verkuil B. Physiological concomitants of perseverative cognition: a systematic review and metaanalysis. Psychol Bull. [Internet]. 2016 [citado em 23 jan 2018]; 142(1):231-59. DOI: http://dx.doi.org/10.1037/bul0000036

Yesavage JA, Sheikh JI. Geriatric depression scale (GDS): recente evidence and development of a shorter version. Rev Clin Gerontol. [Internet]. 1986 [citado em 23 jan 2018]; 5(1):165-73. DOI: http://dx.doi.org/10.1300/J018v05n01_09

Almeira OP, Almeida AS. Confiabilidade da versão brasileira da Escala de Depressão em Geriatria (GDS) versão reduzida. Arq Neuropsiquiatr. [Internet]. 1999 [citado em 23 jan 2018]; 57(2):421-26. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1999000300013

Rider K, Gallagher-Thompson D, Thompson L. California Older Person’s Pleasant Events Schedule: a tool to help older adults increase positive experiences. Clin Gerontol. 2016; 39(1):64-83.

Pfeffer RI, Kurosaki TT, Harrah CH, Chance JM, Filos S. Measurement of functional activities in older adults in the community. J Gerontol. 1982; 37(7):323-9.

Assis LO. Propriedades psicométricas do questionário de atividades de vida diária de Pfeffer. [tese]. Belo Horizonte, MG: Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG; 2012.124p.

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. The Mini-mental state examination in a general population: impact of educational status. Arq Neuropsiquiatr. [Internet]. 1994 [citado em 23 jan 2018]; 52(1):1-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1994000100001

Braun V, Clarke V. Using thematic analysis in psychology. Qual Res Psychol. [Internet]. 2006 [citado em 23 jan 2018]; 3(2):77-101. Disponível em: http://eprints.uwe.ac.uk/11735/2/thematic_analysis_revised_-_final.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1191/1478088106qp063oa

Nifa S, Rudnicki. Depressão em pacientes renais crônicos em tratamento de hemodiálise. Rev SBPH. 2010; 13(1):64-75.

d'Orsi E, Xavier AJ, Ramos LR. Trabalho, suporte social e lazer protegem idosos da perda funcional: estudo epidoso. Rev Saúde Pública [Internet]. 2011 [citado em 23 jan 2018]; 45(4):685-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102011000400007

Ferreira, HG, Barham EJ. Relations between elderly people’s involvement in pleasant events, depression, functionality and sociodemographic variables. Paidéia. [Internet]. 2018 [citado em 23 jan 2018]; 28:e2815. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/1982-4327e2815

Pinto JM, Neri AL. Doenças crônicas, capacidade funcional, envolvimento social e satisfação em idosos comunitários: estudo Fibra. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2013 [citado em: 23 jan 2018]; 18(12):3449-60. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013001200002

Cruz VFES, Tagliamento G, Wanderbroocke AC. A manutenção da vida laboral por doentes renais crônicos em tratamento de hemodiálise: uma análise dos significados do trabalho. Saúde Soc. [Internet]. 2016 [citado em 23 jan 2018]; 25(4):1050-63. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902016155525

Coutinho MPL, Costa, FG. Depressão e insuficiência renal crônica: uma análise psicossociológica. Psicol Soc. 2015; 27(2):449-59.

Gutierrez BAO, Lima VL. A influência da rede de suporte social nos aspectos biopsicossociais de pessoas idosas hospitalizadas. Rev Kairós. 2012; 5(6):355-72.

Caldas CP. Envelhecimento com dependência: responsabilidades e demandas da família. Cad Saúde Pública. [Internet]. 2003 [citado em 23 jan 2018]; 19(3):773-81. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000300009

Reitzes DC, Mutran EJ. Grandparent identity, intergenerational family identity, and well-being. J Gerontol B Psychol Sci Soc Sci. 2004; 59(4):213-9.

Neri AL. O legado de Paul B. Baltes à psicologia do desenvolvimento e do envelhecimento. Temas Psicol. 2006; 14(1):17-34.

Freitas ER, Barbosa AJG, Neufeld CB, organizadores. Terapia cognitivo-comportamentais com idosos. Novo Hamburgo: Sinopsys; 2016. 448p.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i4.3292

Apontamentos

  • Não há apontamentos.