Intervenção educativa no manejo de resíduos de serviços de saúde na atenção básica

Anna Luiza Salathiel Simões, Lais Elias Teodoro, Maysa Alvarenga Ferreira, Karina Santos da Silva, Álvaro da Silva Santos

Resumo


Este estudo tem como objetivo descrever a experiência de uma intervenção quanto ao gerenciamento de resíduos de serviços de saúde em uma unidade de saúde da família. Trata-se de um relato de experiência, dividido em 4 etapas: conhecimento da rotina, atualização do Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde, educação permanente e avaliação, realizados no período de março a junho de 2018.A equipe considerava-se despreparada para seguir as etapas do manejo de resíduos de serviços de saúde propostos pelo Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde da unidade. As ações foram realizadas através da educação continuada com as duas equipes e reuniões com os profissionais da rede e outros funcionários da unidade. Após a intervenção foi observado modificações no hábito relacionado ao manejo dos resíduos de serviços de saúde e intenção de continuidade de melhorar o gerenciamento dos resíduos, sendo satisfatório o manejo dos resíduos após a intervenção.


Palavras-chave


Resíduos de Serviços de Saúde; Educação Continuada em Enfermagem; Estágios; Atenção Primária à Saúde

Referências


Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n. 222, de 28 de março de 2018. Dispõe sobre os requisitos de Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde. D.O.U., Brasília, DF; 20 mar 2018. Seção 1, p. 61.

Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais. Panorama de resíduos sólidos no Brasil: 2016 [Internet]. São Paulo: ABRELPE; 2016 [citado em 21 nov 2018]. 49p. Disponível em: http://www.mpdft.mp.br/portal/pdf/comunicacao/junho_2018/panoramaanexos2016.pdf

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n. 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. D.O.U., Brasília, DF; 10 dez 2004. Seção 1, p. 49.

Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução n. 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. D.O.U., Brasília, DF; 04 maio 2005. Seção 1, p. 63-5.

Oliveira LL, Souza PM, Clementino FS, Paiva SC, Rocha FDLJ. Resíduos dos serviços de saúde: desafios e perspectivas na atenção primária. Rev Enferm UERJ [Internet]. 2014 [citado em 24 out 2018]; 22(1):29-34. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v22n1/v22n1a05.pdf

Oliveira LP, Mendonça IVS, Gomes SCS, Caldas AJM. Fatores associados ao manejo adequado de resíduos de serviços de saúde entre profissionais de enfermagem. Rev Baiana Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 21 out 2018]; 32:e25104. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/25104

Alves SB, Souza ACS, Tripple AFV, Rezende KCD, Rezende FR, Rodrigues EG. Manejo de resíduos gerados na assistência domiciliar pela estratégia de saúde da família. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2012 [citado em 21 out 2018]; 65(1):128-34. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v65n1/19.pdf

Ministério da Saúde (Br). Portaria nº 198/GM em 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2004 [citado em 21 out 2018]. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/1832.pdf

Andrigue KCK, Trindade LL, Amestoy SC. Formação acadêmica e educação permanente: influências nos estilos de liderança de enfermeiros. Rev Pesqui Cuid Fundam. [Internet]. 2017 [citado em 21 nov 2018]; 9(4):971-7. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5534 DOI: http://dx.doi. org/10.9789/2175-5361.2017.v9i4. 971-977

Sá ACMGN, Ferreira ERO, Xavier JC, Alves CM. Contribuições da educação permanente para qualificação da assistência de enfermagem em um hospital público. Rev Bras Ciênc Saúde [Internet]. 2018 [citado em 21 out 2018]; 22(1):87-94. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/rbcs/article/view/32575

Peixoto LS, Pinto ACS, Izu M, Tavares CMM, Rosas AMMTF. Percepção de enfermeiros em relação ao treinamento em serviço oferecido pelo serviço de educação permanente. Rev Pesqui Cuid Fundam. [Internet]. 2015 [citado em 21 out 2018]; 7(2):2323-35. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/download/3541/pdf_1541 DOI: 10.9789/2175-5361.2015.v7i2.2323-2335

Carvalho, MF, Pereira LR, Nascimento E, Andrade RD. Plano de gerenciamento de resíduos de saúde: identificando a opinião da equipe de um ambulatório. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2016 [citado em 21 out 2018]; 10(5):4304-10. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11177/12716. DOI: 10.5205/reuol.9284-81146-1-SM.1005sup201618

Fialho LM, Poluha RL, Soares BLL, Sousa BM, Freitas-Anceles JFS, Melo Neto CLM, et al. Intervenção educacional no gerenciamento de resíduos com base na odontologia sustentável. Rev Odontol Araçatuba [Internet]. 2016 [citado em 21 out 2018]; 37(1):41-5. Disponível em: http://apcdaracatuba.com.br/revista/2016/01/trabalho5.pdf

Mendes WC, Figueiredo MLF, Salmito MA, Araújo EC, Araújo TME. Conhecimento e prática de trabalhadores, profissionais de gestores sobre os resíduos de serviços de saúde. Rev Pesqui Cuid Fundam. [Internet]. 2015; [citado em 21 out 2018]; 7(4):3216-26. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3684/pdf_1697. DOI: 10.9789/2175-5361.2015.v7i4. 3216-3226




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i4.3323

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.