O ensino médico no cuidado em saúde materno-infantil: ambientes de prática, estratégias e desafios

Lineker Fernandes Dias, Giovanna Rodrigues da Cunha Naves, Natália Madureira Ferreira, Mariana Côrtes de Freitas, Ana Flávia Rosa Araújo, Camila Amaro Guedes Santos

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo relatar as estratégias pedagógicas aplicadas em uma escola médica, na disciplina de Saúde Coletiva IV, para ensino de conceitos relativos à Saúde da Mulher e da Criança, na Rede Cegonha. Os docentes da disciplina dividiram os estudantes em pequenos grupos que foram inseridos em cenários de prática como: alojamentos-conjunto pós-parto, Bancos de Leite Humano e demais serviços de cuidado materno-infantil. Percebeu-se, em todas as vivências, que os estudantes expuseram seus entendimentos sobre conceitos relativos à portaria da Rede Cegonha e levantaram questionamentos acerca da organização da rede de serviços visitada. Dessa forma, a estratégia pedagógica aplicada permitiu o desenvolvimento do pensamento crítico dos discentes, particularmente ao se constatar o debate conjunto dos graduandos sobre a aplicação ou não das diretrizes colocadas pela Rede Cegonha nos serviços visitados.


Palavras-chave


Saúde da mulher; Gestantes; Cuidado pré-natal

Referências


Santos RAA, Melo MCP, Cruz DD. Trajetória de humanização do parto no Brasil a partir de uma revisão integrativa de literatura. Cadernos de Cultura e Ciência. 2015;13(2).

Monteschio LVC, Sgobero JCGS, Oliveira RR, Serafim D, Mathias TAF. Prevalência da medicalização do trabalho de parto e parto na rede pública de saúde. Cienc Cuid Saude [Internet]. 2016; 15(4): 591-598. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/33420

Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres. Brasília: Brasil; 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Programa Humanização do Parto: humanização no pré-natal e nascimento. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria 1.459/2011 de 24 de junho de 2011. Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha. Brasília: Diário Oficial da União; 2011.

Paris G, Monteschio LVC, Oliveira RRD, Latorre MRDO, Pelloso SM, Mathias TAF. Tendência temporal da via de parto de acordo com a fonte de financiamento. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. [Internet]. 2014;36(12):548-554. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-72032014001200548& lng=en

Brasil. Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação. Resolução nº. 3, de 20 de junho de 2014. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina. Brasília: Diário Oficial da União; 2014.

Krug R, Vieira M, Maciel M, Erdmann T, Vieira F, Koch M, Grosseman S. O “Bê-Á-Bá” da Aprendizagem Baseada em Equipe. Rev. Bras. Educ. Méd. [Internet]. 2016; 40(4):602-620. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v40n4/1981-5271-rbem-40-4-0602.pdf

Alves M, Marx M, Bezerra M, Landim J. Metodologias Pedagógicas Ativas na Educação em Saúde. Id on Line Rev. Psic. [Internet]. 2017; 10(33):339-346. Disponível em: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/659/927

Onofre N, Albuquerque K. As Metodologias Ativas como Estratégia de Promoção de Saúde no Trabalho Interdisciplinar com Mulheres na Atenção Básica. Rev. Cientifico [Internet] 2016; 16(33): 121-146. Disponível em: https://cientefico.emnuvens.com.br/cientefico/article/view/250/294

Stroher J, Henckes S, Gewehr D, Strohschoen A. Estratégias Pedagógicas Inovadoras Compreendidas como Metodologias Ativas. Rev. Thema [Internet] 2018; 15 (2): 734-747. Disponível em: http://revistathema.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/891/816

Amorim MP, Silva I. Instrumento de Avaliação do Pensamento Crítico em Estudantes e Profissionais de Saúde. Psic., Saúde & Doenças [Internet]. 2014; 15(1):122-137. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/psd/v15n1/v15n1a11.pdf

Baldoino AS, Veras RM. Analysis of Service-learning activities adopted in health courses of Federal University of Bahia. Rev. Esc. Enferm. USP [Internet]. 2016; 50:17-24. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342016001100017& lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000300003.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.068, de 21 de outubro de 2016. Institui diretrizes para a organização da atenção integral e humanizada à mulher e ao recém-nascido no Alojamento Conjunto. Brasília: Diário Oficial da União; 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia do Pré-Natal do Parceiro para Profissionais de Saúde. Brasília: O Ministério; 2016.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i3.3446

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.