“Nós ficamos sem chão”: A perda de um filho por câncer

Daiane de Lima, Josiane Razera, Eduarda Lima de Oliveira, Brenda Thamires Comandulli

Resumo


O objetivo desta pesquisa foi compreender a experiência de uma família que vivenciou o luto pela perda de um filho por câncer. A pesquisa teve caráter qualitativo, exploratório e corte transversal, ocorreu no segundo semestre de 2016. Os participantes foram acessados por critério de conveniência. Participaram desta pesquisa, um casal que teve duas filhas, sendo uma falecida em decorrência de câncer. O instrumento utilizado foi uma entrevista semiestruturada. Para análise de dados utilizou-se a técnica de estudo de caso único, considerando as singularidades do caso. Os resultados da pesquisa evidenciaram a dificuldade do casal em abordar o tema da perda da filha, necessitando recorrer à religião e grupos de apoio que possibilitaram a reestruturação familiar. A perda gerou impacto na homeostase familiar, mas possibilitou o fortalecimento do relacionamento entre o casal. A chegada da filha mais nova na família refletiu sentimentos de esperança, ressignificando as expectativas da família.


Palavras-chave


Luto; Morte; Família

Referências


Castro EK, Peloso F, Vital L, Armiliato MJ. Crenças sobre o câncer infantil: percepção de sobreviventes e mães. Psic Teor Prát. [Internet]. 2018 [citado em 7 jan 2019]; 20(2):293-308. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/10735/7251

Tavares MKGS. Glaucoma cortisônico em crianças e adolescentes com leucemia linfóide aguda: proposta de um protocolo para identificação e tratamento precoce. [monografia]. Aracaju: Universidade Federal de Sergipe; 2017. 40p.

Instituto Nacional do Câncer (Brasil). Estimativa 2014: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2014.

Parkes CM, organizador. Luto: estudos sobre a perda na vida adulta. São Paulo: Summus Editorial; 1998. 255p.

Fermo VC, Lourençatto GN, Santos MT, Anders JC, Souza AIJ. O diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil: o caminho percorrido pelas famílias. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2014 [citado em 02 jan 2019]; 18(1):54-9. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=127730129007

Valle ERM. Vivências da família da criança com câncer. In: Gimenes MGG, Moraes MC, Yamaguchi NH, Wanderley KS, Carvalho MMJ, organizadores. Introdução à psiconcologia. São Paulo: Editorial Psy II; 1994.

Oliveira MR, Justa RMDE, Silva MMC, Silva AL, Diógenes MAR, Verde SMML. Câncer infantil: percepções de cuidadoras sobre alimentação, dinâmica familiar e emocional. Rev Bras Promoç Saúde. [Internet]. 2015 [acesso em 02 jan 2019]; 28(4):560-7. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/3938

Nichols MP, Schwartz RC, organizadores. Family therapy: concepts and methods. 4ed. Boston: Allyn & Bacon; 1998. 570p.

Santos DP. Repercussão do câncer infantil na vida de crianças e nos subsistemas familiares: revisão integrativa da literatura. [monografia]. Brasília, DF: Universidade de Brasília; 2016. 23p.

Arruda-Colli MNF, Lima RAG, Perina EM, Santos MA. A recidiva do câncer pediátrico: um estudo sobre a experiência materna. Psicol USP [Internet]. 2016 [citado em 7 jan 2019]; 27(2):307-14. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pusp/v27n2/1678-5177-pusp-27-02-00307.pdf DOI: https://doi.org/10.1590/0103-656420140078

Quintana AM, Wottrich SH, Camargo VP, Quadros Cherer E, Ries PK. Lutos e lutas: reestruturações familiares diante do câncer em uma criança/adolescente. Psicol Argum. [Internet]. 2017 [citado em 15 jan 2019]; 29(65):143-54. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/20035

Finelli LAC, Silva KJ, Santana MR. Percepção da mãe quanto às consequências que o câncer do filho traz ao relacionamento conjugal. Rev Bras Pesqui Ciênc Saúde [Internet]. 2015 [acesso em 07 jan 2019]; 2(1):18-21. Disponível em: http://revistas.icesp.br/index.php/RBPeCS/article/view/27

Gimenes MGG, Moraes MC, Yamaguchi NH, Wanderley KS, Carvalho MMJ, organizadores. Introdução à psiconcologia. São Paulo: Editorial Psy II; 1994. 285p.

Carter B, McGoldrick M, organizadores. As mudanças no ciclo de vida familiar: uma estrutura para terapia familiar. 2ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 1995. 512p.

Creswell JW. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3ed. Porto Alegre: Artmed; 2010. 296p.

Yin RK. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4ed. Porto Alegre: Bookman; 2010.

Vinuto J. A amostragem em bola de neve na pesquisa qualitativa: um debate em aberto. Temáticas [Internet]. 2014 [citado em 12 jan 2019]; 22(44):203-20. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/tematicas/article/view/2144

Consonni EB, Petean EBL. Perda e luto: vivências de mulheres que interromperam a gestação por malformação fetal letal. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2013 [citado em 12 jan 2019]; 18(9):2663-70. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v18n9/v18n9a21.pdf

Andrade ML, Mishima-Gomes FKT, Barbieri V. Recriando a vida: o luto das mães e a experiência materna. Psic Teor Prát. [Internet]. 2017 [citado em 20 dez 2018]; 19(1):21-32. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/8318/6582

Borges AA, Lima RAG, Dupas G. Segredos e verdades no processo comunicacional da família com a criança com câncer. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2016 [citado em 10 jan 2019]; 20(4):e-20160101. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=127746815020

Benedetti GMDS, Higarashi IH, Sales CA. Experiences of mothers and fathers of children and adolescents with cancer: a phenomenological-existential Heideggerian approach. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2015 [citado em 29 dez 2018]; 24(2):554-62. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v24n2/0104-0707-tce-24-02-00554.pdf DOI://dx.doi.org/10.1590/0104-07072015002702014

Lima MJV, Freire JC. Uma leitura ética do cuidado na morte e no morrer. In: Encontros Universitários da UFC; 2016; Fortaleza. Fortaleza: UFC; 2016. p. 2268.

Morelli AB, Scorsolini-Comin F, Santos MA. Impacto da morte do filho sobre a conjugalidade dos pais. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2013 [citado em 15 jan 2019]; 18(9):2711-20. Disponível em: https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232013001700026&script=sci_arttext.

Borges ADVS, Silva EFD, Toniollo PB, Mazer, SM, Valle ERMD, Santos, MAD. Percepção da morte pelo paciente oncológico ao longo do desenvolvimento. Psicol Estud. [Internet]. 2006 [citado em 12 jan 2019]; 11(2):361-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v11n2/v11n2a14.pdf

Azeredo NSGD. O cuidado com o luto para além das portas das unidades de terapia intensiva: uma aposta e uma proposta. [tese]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2016. 195p.

Morelli AB, Scorsolini-Comin F. Repercussões da morte do filho na dinâmica

conjugal de casais religiosos. Temas Psicol. [Internet]. 2016 [citado em 12 jan 2019]; 24(2):565-77. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v24n2/v24n2a10.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.9788/TP2016.2-10

Aguiar Porto RL, Silva MRO, Castro EHB. A experiência do câncer infantil. Amazônica [Internet]. 2017 [citado em 15 jan 2019]; 19(2):100-19. Disponível em: http://periodicos.ufam.edu.br/amazonica/article/view/4538

Langaro F, Araújo BB, Boldt LC, Costa MCT. Influências da espiritualidade em pessoas que estão em processo de luto antecipatório. REMAP Rev Multidiscip Amapá [Internet]. 2018 [acesso em 12 jan 2019]; 1(1):139-55. Disponível em: http://periodicos.ifap.edu.br/index.php/REMAP/article/view/180

Monteiro MC, Magalhães AS, Machado RNA. A morte em cena na UTI: a família diante da terminalidade. Temas Psicol. [Internet]. 2017 [citado em 14 jan 2019]; 25(3):1285-99. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v25n3/v25n3a17.pdf DOI: http://dx.doi.org/10.9788/TP2017.3-17Pt

Ribeiro FS, Gabriel MR, Lopes RDCS, Vivian AG. Abrindo espaço para um segundo bebê: impacto na constelação da maternidade. Psicol Clin. [Internet]. 2017 [citado em 18 jan 2019]; 29(2):155-72. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-56652017000200002&lng=pt&nrm=iso




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i4.3534

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.