Aprendizagem significativa: a teoria como um arcabouço para elaboração de minicursos por acadêmicos de enfermagem

Júnia Lanny Sousa Silva, Larissa Cândida Melo, Bibiane Dias Miranda Parreira

Resumo


Este estudo tem como objetivo relatar a experiência de acadêmicos de enfermagem integrantes do Programa de Educação Tutorial, quanto ao planejamento e desenvolvimento de minicursos como atividade extracurricular. Procurou-se descrever como são elaboradas essas atividades numa universidade pública, tendo como arcabouço teórico e metodológico a Teoria da Aprendizagem Significativa, proposta por David Ausubel. Essa teoria destaca duas condições para que a aprendizagem seja significativa, sendo que a primeira se refere à integração de novos conhecimentos aos conhecimentos preexistentes do aprendiz e a segunda à necessidade de que o conteúdo apresentado, seja lógico e psicologicamente significativo. Desta forma, vários são os motivos que levam os estudantes a buscarem atividades extracurriculares como os minicursos, e essa busca exige que os mesmos tenham autonomia e responsabilidade, o que tange também, nesse sentido, a busca por conhecimentos novos e coerentes.


Palavras-chave


Educação em enfermagem; Bases de conhecimento; Aprendizagem

Referências


Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf

Pelizzari A, Kriegl ML, Baron MP, Finck NTL, Dorocinski SI. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Rev PEC. [In-ternet]. 2002 [citado em 20 set 2017]; 2(1):37-42. Disponível em: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/storage/materiais/0000012381.pdf

Moreira MA. Afinal o que é aprendizagem significativa? Rev Qurriculum [Internet]. 2012 [citado em 10 jun 2017]; 25(1):29-56. Disponível em: http://publica.webs.ull.es/upload/REV%20QURRICULUM/25%20-%202012/02.pdf

Nedder MM, Levine SA, Galligan C, Avery KR, Eagan-Bengston E, Reilly KM. Blogging as innovative method of peer-to-peer educational sharing. Crit Care Nurse [Internet]. 2017 [citado em 16 set 2017]; 37(1):1-9. Disponível em: http://ccn.aacnjournals.org/content/37/1/e1.full.pdf+html. DOI: 10.4037/ccn2017642.

Hermida PMV, Barbosa SS, Heidemann ITSB. Metodologia ativa de ensino na forma-ção do enfermeiro: inovação na Atenção Bá-sica. Rev Enferm UFMS. [Internet]. 2015 [ci-tado em 25 out 2017]; 5(4):683-691. Dispo-nível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/16920/pdf. DOI: 10.5902/2179769216920

Fernández-Cervilla AB, Dorado-Piris AI, Cabrer-Vives ME, Barquero-González A. Es-tado atual do ensino de terapias complemen-tares na formação superior de enfermagem na Espanha. Rev Latinoam Enferm. [Inter-net]. 2013 [citado em 25 out 2017]; 21(3):1-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n3/pt_0104-1169-rlae-21-03-0679.pdf

Myra Viljoen RN, Isabel Coetzee RN, Tan-ya Heyns RN. Critical care nurses` Reasons for poor attendance at a continuous profes-sional development program. Am J Crit Care [Internet]. 2017 [citado em 10 out 2017]; 26(1):70-6. Disponível em: http://ajcc.aacnjournals.org/content/26/1/70.full.pdf+html. DOI: 10.4037/ajcc2017412




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i1.3537

Apontamentos

  • Não há apontamentos.