Extensão universitária: relato de experiência em fisioterapia aquática na graduação.

Tulio Fernandes de Almeida, Larissa de Oliveira e Silva, Cláudia Barsand de Leucas

Resumo


O trabalho teve como objetivo descrever a experiência acadêmica no curso de Fisioterapia do Projeto Qualidade de Vida para Todos (PQVT), quanto à aproximação para Fisioterapia Aquática. Apresenta-se relatos dos graduandos do curso de fisioterapia que constam no relatório do final PQVT do 1° semestre do ano de 2017. Como resultado tem-se a articulação da tríade ensino, pesquisa e extensão, como possibilidade de aproximar o graduando de Fisioterapia ao ambiente aquático, e enfatizar a importância sobre uma área com diversas possibilidades de atuação.

Palavras-chave


Fisioterapia; Hidroterapia; Qualidade de vida; Pessoas com deficiência

Referências


Assad MAC. A Interdisciplinaridade e a Fisioterapia. Olho Mágico. 1998; p. 12-13.

Sumiya A. Jeolás LS. Processos de mudança na formação do fisioterapeuta: as transições curriculares e seus desafios. Acta Scientiarum - Human and Social Sciences 2010; 32(1):47-53.

Teixeira RC. Aderência dos cursos de Fisioterapia da região Norte às Diretrizes Curriculares Nacionais. Fisioter Mov. 2012; 25(1):47-54.

Amorim EG. Neta OM. Guimarães J. A deficiência em foco nos currículos de graduação da UFRN: uma abordagem histórica (1960-2015). HOLOS, 2016; 32(2):231-48. Citado em: 05/10/2017 Disponível em: DOI: 10.15628/holos.2016.4000

Leucas CB et al. Projeto de extensão universitária PQVT: Uma experiência multidisciplinar na graduação. In: V Congresso Paradesportivo Internacional, Out- 2016, Belo Horizonte, Brasil. Anais V Congresso Paradesportivo Internacional, 2016; p. 197-201.

Rodrigues MN, Lima SR. Atividades aquáticas para pessoas com deficiência. Revista brasileira de ciências do esporte 2014:369-81.

Feriotti ML. Equipe multiprofissional, transdisciplinaridade e saúde: desafios do nosso tempo. Revista do NESME. 2009; 2(6):113-219.

Gentil DF. Abilio ES. Cordeiro MJJ. Limites e desafios curriculares na formação de profissionais para atuar no Sistema Único de Saúde. Interfaces da Educ. 2015; 6(17):77-96.

Maia FES, Moura ELR, Madeiros EC, Carvalho RRP, Silva SAL, Santos GR. A Importância da inclusão do profissional fisioterapeuta na atenção básica de saúde. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba 2015; 17(3):110-5.

Neto UG. Denari FE. Natação como inclusão para crianças com necessidades educacionais especiais. Londrina – Pr - ISSN 2175-960X. V Congresso Brasileiro Multidisciplinar de Educação Especial.

Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior Resolução CNE/CES n°4, de 19 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Fisioterapia.

Pardo, MS, Candeloro JM. Ensino de Hidroterapia na Graduação. 2014; p. 1-6.

Campion MR. Hidroterapia: princípios e prática. 1° Ed. São Paulo Manole Ltda. 2000; p.4.

Parreira P, Baratella TV. Fisioterapia aquática. 1 ed. São Paulo: Manole. 2011; 317.

Pimenta AR. Programa de atividade aquática adaptada para pessoas com transtorno de espectro autista: avaliação dos efeitos das habilidades aquáticas e nas variáveis comportamentais. Dissertação de mestrado da Universidade do Porto, 2012.

Cunha GFR. Raposo MB. Atividades aquáticas e inclusão na educação infantil: benefícios neuropsicomotores para crianças com paralisia cerebral espástica. Monografia apresentada ao curso de especialização em desenvolvimento humano, educação e inclusão, da Faculdade UAB/UNB. Brasília 2011.

Leucas CB, Almeida TF, Silva LO. Extensão Universitária: Formação

Transdisciplinar na Graduação. In: IV Congresso Nacional de Educação Católica. Belo Horizonte. Anais do IV Congresso Nacional de Educação Católica. 2017; p. 33-36.

Leucas CB. et al. Analisando a qualidade de vida de pessoas com deficiência de um projeto de extensão por meio do Protocolo de Levantamento de Problemas para a Reabilitação. Conecte-se! Belo Horizonte. 2017; p. 85-94.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v6i3.3641

Apontamentos

  • Não há apontamentos.