Fadiga secundária à quimioterapia em mulheres com câncer de mama

Carine Ferreira Lopes, Anna Claudia Yokoyama dos Anjos, Cristiane Soares Campos

Resumo


O objetivo deste estudo foi identificar e compreender as repercussões da fadiga secundária à quimioterapia na qualidade de vida, na perspectiva da mulher com câncer de mama. Trata-se de um estudo descritivo e interpretativo, com orientação teórico-metodológica da antropologia médica, que utilizou como método o estudo de caso etnográfico, empregando entrevistas semiestruturadas e diário de campo, realizado em 2016, no domicílio. Para a participante do estudo, o câncer de mama foi compreendido como algo que deveria experienciar em sua vida. A partir dessa perspectiva, apesar da ocorrência da fadiga secundária a quimioterapia e de outros eventos adversos relacionados, considerou sua qualidade de vida como boa; demonstrando a capacidade de adaptar sua rotina e afazeres às suas novas condições de saúde.


Palavras-chave


Fadiga; Tratamento farmacológico; Qualidade de vida; Neoplasias da mama

Referências


Jesus S, Fitzgeorge L, Unsworth K, Massel D, Suskin N, Prapavessis H, et al. Feasibility of an exercise intervention for fatigued breast cancer patients at a community-based cardiac rehabilitation program. Cancer Manag Res. [Internet]. 2017 [citado em 25 abr 2018]; 9:29-39. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5312692/

Bonassa E, Santana TR. Enfermagem em terapêutica oncológica. 4ed. São Paulo: Atheneu; 2012.

National Comprehensive Cancer Network. Cancer-related fatigue: NCCN clinical practice guidelines in oncology [Internet]. Plymouth Meeting, PA: NCCN; 2017 [citado em 12 abr 2017]. Disponível em: www.nccn.org

World Health Organization, The Whoqol Group. The World Health Organization Quality of Life Instruments (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med. [Internet]. 1995 [citado em 12 abr 2017]; 41:1403-10. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8560308

Públio GB, Silva KO, Sousa Viana GF. Qualidade de vida de pacientes oncológicos submetidos à quimioterapia. Ciênc Desenvolv - Rev Eletr FAINOR. [Internet]. 2014 [citado em 25 abr 2017]; 7(2):244-57. Disponível em: http://srv02.fainor.com.br/revista/index.php/memorias/article/view/329

Caprara A. Uma abordagem hermenêutica da relação saúde-doença. Cad Saúde Pública. [Internet]. 2003 [citado em 25 abr 2017]; 19(4):923-31. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v19n4/16842.pdf

Stake RE. Case studies. In: Denzin NK, Lincoln YS. Strategies of qualitative inquiry. Thousand Oaks: Sage Publications; 2003. p.134-64.

Manzini EJ. Uso da entrevista em dissertações e teses produzidas em um programa de pós-graduação em educação. Rev Percurso. [Internet]. 2012 [citado em 25 abr 2017]; 4(2):149-71. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/Percurso/article/view/18577

Associação Brasileira de Cuidados Paliativos. Consenso Brasileiro de Fadiga. Rev Bras Cuid Pal. 2010;3(2 supl 1):1-32.

Corbin J, Strauss A. Basics of qualitative research. 4ed. Thousand Oaks: Sage Publications; 2014.

Braun V, Clarke V. Using thematic analysis in psychology. Qual Res Psychol. [Internet]. 2006 [citado em 12 mar 2017]; 3(2):77-101. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/235356393_Using_Thematic_Analysis_in_Psychology

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério Brasil 2015 e atualização da distribuição de classes para 2016 [Internet]. [São Paulo]: ABEP; 2016 [acesso em 20 jun 2017]. Disponível em: www.abep.org/Servicos/Download.aspx?id=12

Oliveira TSG, Neris RR, Santos LNT, Teixeira RG, Magnabosco P, Anjos ACY. Perfil de mulheres com câncer de mama tratadas com quimioterapia. Rev Enferm UFPE on line. [Internet]. 2016 [citado em 20 jun 2017]; 10(11):4097-103. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/11496/13361

Amorim M, Siqueira K. Relação entre vivência de fatores estressantes e surgimento de câncer de mama. Psicol Argum. [Internet]. 2017 [citado em 20 jun 2017]; 32(79):143-73. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento/article/view/20523

Milagres MAS. Vivências da mulher e da família frente ao tratamento oncológico. [Dissertação]. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa; 2015.

Anjos ACY, Zago MMF. A experiência da terapêutica quimioterápica oncológica na visão do paciente. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2006 [citado em 20 jun 2017]; 14(1):33-40. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v14n1/v14n1a05.pdf

Trufelli DC, Miranda VC, Santos MBB, Fraile MNP, Pecoroni PG, Gonzaga SRF, et al. Onde está o atraso? Avaliação do tempo necessário para o diagnóstico e tratamento do câncer de mama nos serviços de oncologia da Faculdade de Medicina do ABC. Rev Bras Mastologia. 2007; 17(1):14-7.

Peteet JR. Cancer and the meaning of work. Gen Hosp Psychiatry. [Internet]. 2000 [citado em 12 abr 2017]; 22(3):200-5. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10880715

Rzeznik C, Dall'agnol CM. (Re) descobrindo a vida apesar do câncer. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. 2000 [citado em 25 abr 2017]; 21(Esp):84-100. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/4329

Gomes IP, Lima KA, Rodrigues LV, Lima RAG, Collet N. Do diagnóstico à sobrevivência do câncer infantil: perspectiva de crianças. Texto & Contexto Enferm. [Internet]. 2013 [citado em 20 jun 2017]; 22(3):671-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n3/v22n3a13.pdf

Almeida TG, Comassetto I, Alves KMC, Santos AAP, Silva JMO, Trezza MCSF. Experience of young women with breast cancer and mastectomized. Esc Anna Nery Rev Enferm. [Internet]. 2015 [citado em 20 jun 2017]; 19(3):432-8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n3/en_1414-8145-ean-19-03-0432.pdf

Silva SED, Vasconcelos FER, Geziania SS, Jaques MB, Pantoja NRS, Cavalcante RL, et al. As representações das mulheres mastectomizadas sobre seus corpos ‘alterados’. Rev Eletr Gest Saúde. [Internet]. 2017 [citado em 25 abr 2017]; 1(3):590-602. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/10394/9165

Andrade V, Sawada NO, Barichello E. Quality of life in hematologic oncology patients undergoing chemotherapy. Rev Esc Enferm USP. [Internet]. 2013 [citado em 25 abr 2017]; 47(2):355-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v47n2/en_12.pdf

Padavini RL. Fadiga e qualidade de vida em pacientes sob quimioterapia antineoplásica [Internet]. [Dissertação]. Campo Grande, MS: Universidade Federal do Mato Grosso do Sul; 2014 [citado em 05 abr 2017]. 86p. Disponível em: https://posgraduacao.ufms.br/portal/trabalho-arquivos/download/1335

Ahlberg K, Ekman T, Gaston-Johansson F, Mock V. Assessment and management of cancer-related fatigue in adults. Lancet. [Internet]. 2003 [citado em 05 abr 2017]; 362(9384):640-50. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12944066

Good B. Medicine, rationality, and experience: an anthropological perspective. Nova York: Cambridge University Press; 1994.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v7i3.3754

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.