Benzedura na Estratégia Saúde da Família: perspectivas de profissionais da enfermagem

Janaína Aparecida Maia Silva, Luiza Maria de Assunção, Leiner Resende Rodrigues

Resumo


Objetiva-se caracterizar os profissionais de enfermagem e apresentar a sua perspectiva sobre a benzedura junto à Estratégia Saúde da Família em município mineiro. Pesquisa qualitativa de caráter descritivo e exploratório, com aplicação de 44 questionários e realização de sete entrevistas audiogravadas. O tratamento das informações ocorreu por meio de estatística descritiva e mediante análise temática. Este estudo foi aprovado por comitê de ética sob parecer nº 1.774.886. Constatou-se que 90,9% dos informantes são do sexo feminino e 56,9% de cor branca. Da análise temática emergiram duas categorias: Saúde e práticas espirituais; Relações entre Benzedura e Práticas de saúde e cuidado. Concluiu-se que o perfil dos profissionais reafirma a identidade histórica da enfermagem: de cor branca e feminina. A benzedura é percebida como uma alternativa na resolutividade, na hospitalidade/atenção.

 

Descritores: Atenção primária à saúde; Espiritualidade; Humanização da assistência.

Palavras-chave


Atenção primária à saúde; Espiritualidade; Humanização da assistência.

Referências


Ducati A, Dionísio B. Benzedeiras são consideradas profissionais da saúde no Paraná. Jornal Globo-G1 [Internet], 2012 Maio 11 [acesso em 26 Jan 2017]. Disponível em:http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2012/05/benzedeiras-sao-consideradas-profissionais-da-saude-no-parana.html

Melo SCC, Santana RG, Santos DC, Alvim NAT. Práticas complementares de saúde e os desafios de sua aplicabilidade no hospital: visão de enfermeiros. Rev Bras Enferm [Internet] 2013 [acesso em 30 Jan 2018]; 66(6): 840-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n6/05.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672013000600005.

Prefeitura Municipal de Uberaba. Secretaria Municipal de Saúde. Plano Municipal de Saúde 2018-2021. Uberaba: PMU, 2017.

http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo//saude/arquivos/2017/Plano%20Municipal%20de%20Saude%202018-2021%20aprovado%20pelo%20CMS.pdf

Glaser BG, Strauss AL. The discovery of grounded theory: strategies for qualitative research. New York: Aldine de Gruyter; 1967.

Fontanella BJB. et al. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública [Internet] 2008 [acesso em 18 Set 2018]; 24(1): 17-27. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n1/02.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ed. São Paulo: Hucitec; 2017.

Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos [Internet]. Brasília, DF: CNS; 2012 [acesso em 27 Ago 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html.

Lombardi MR, Campos VP. A enfermagem no brasil e os contornos de gênero, raça/cor e classe social na formação do campo profissional. Rev ABET [Internet] 2018 [acesso em 22 Ago 2018]; 17(1): 28-46. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/abet/article/viewFile/41162/20622.

Rodrigues AL, Barrichello A, Morin EM. Os sentidos do trabalho para profissionais de enfermagem: um estudo multimétodos. Rev Adm Empres [Internet] 2016 [acesso em 5 Fev 2018]; 56(2): 192-208. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=155144607005.

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (Brasil), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico, 2010: características gerais da população, religião e pessoas com deficiência [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2012 [acesso em 3 Nov 2017]. p. 89-105. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf.

Lima SRR. Kardec, magos negros, caboclos e preto-velhos: o espiritismo de Robson Pinheiro dos Santos [dissertação]. [Internet]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora, Instituto de Ciências Humanas; 2016 [acesso em 10 Nov 2017]. Disponível em: https://repositorio.ufjf.br/jspui/bitstream/ufjf/5622/1/silasrobertorochalima.pdf.

Carisio CM. Chico Xavier, caridade e o mundo de César: um olhar sobre o modo de gestão da assistência social em Uberaba-MG [dissertação]. [Internet]. Uberlândia: Faculdade de Gestão e Negócios da Universidade Federal de Uberlândia; 2008 [acesso em 26 Mar 2017]. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/11916/1/Camila.pdf.

Camurça MA. O Brasil religioso que emerge do censo 2010: consolidações, tendências e perplexidades. In: Teixeira F, Menezes R. organizadores. Religiões em movimento: o censo de 2010. Petrópolis: Vozes; 2012. p. 63-87.

Cunha LA. Saberes e religiosidades de benzedeiras. Anais dos Simpósios da ABHR [Internet] 2012 [acesso em 12 nov 2018]; 13. Disponível em: http://www.abhr.org.br/plura/ojs/index.php/anais/article/viewFile/565/423

Nascimento LC. et al. Atenção às necessidades espirituais na prática clínica de enfermeiros. Aquichán [Internet] 2016 [acesso em 7 Maio 2018]; 16(2): 179-92. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/aqui/v16n2/v16n2a06.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.5294/aqui.2016.16.2.6.

Salgado APA, Rocha RM, Conti CC. O enfermeiro e a abordagem das questões religiosas. Rev Enferm UERJ [Internet] 2007 [acesso em 18 Jul 2018]; 15(2): 223-8. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v15n2/v15n2a11.pdf.

Silva TR, Motta RF. A percepção dos usuários sobre a política de saúde na atenção básica. Mudanças [Internet], 2015 [acesso em 21 Jul 2018]; 23(2): 17-25. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/MUD/article/view/4709. DOI: http://dx.doi.org/10.15603/2176-1019/mud.v23n2p17-25.

Braga GP. Espiritualidade no divã: do tabu à universidade [tese]. [Internet]. Porto Alegre (RS): Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2014 [acesso em 12 Maio 2017]. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/94891.

Andrade Pereira VN, Klüppel BLP. A cura pela fé: um diálogo entre ciência e religião. Caminhos [Internet], 2014 [acesso em 10 Jun 2017]; 12(1): 93-104. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/caminhos/article/view/3033. DOI: http://dx.doi.org/10.18224/cam.v12i1.3033.

Soratto MT, Silva DM, Zugno PI, Daniel R. Espiritualidade e resiliência em pacientes oncológicos. Saúde e Pesqui [Internet] 2016 [acesso em 17 Ago 2018]; 9(1): 53-63. Disponível em: https://updoc.site/download/espiritualidade-e-resiliencia-em-pacientes_pdf. DOI: 10.17765/1983-1870.2016v9n1p53-63.

Luz MT. Cultura contemporânea e medicinas alternativas: novos paradigmas em saúde no fim do século XX. Physis (Rio J.) [Internet] 2005 [acesso em 13 Ago 2018]; 15(Supl.): 145-176. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v15s0/v15s0a08.pdf.

Martins SR, Pereira FW, Acosta DF, Amorim CB. Representações sociais de profissionais da saúde acerca das plantas medicinais. Rev Cuba Enferm [Internet], 2017 [acesso em 10 Maio 2018]; 33(2): [aprox. 0 p.]. Disponível em: http://www.revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/1065/258.

Fernandes MG. A medicina centrada na pessoa: o componente espiritual na abordagem pelo médico de família e comunidade [tese]. [Internet]. Rio de Janeiro (RJ): Escola Nacional de Saúde Púbica Sergio Arouca; 2015 [acesso em 24 Maio 2017]. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/13459/1/46.pdf.

Oliveira ATSA, Moreira CT, Machado CA, Vasconcelos Neto J A, Machado MFAS. Crendices e práticas populares: influência na assistência de enfermagem prestada à criança no programa saúde da família. Rev Bras Promoç Saúde [Internet] 2005 [acesso em 17 Jul 2018]; 19(1): 11-8. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=40819104.

Marin RC, Comin FS. Desfazendo o “mau-olhado”: magia, saúde e desenvolvimento no ofício das benzedeiras. Psicol Ciênc Prof [Internet] 2017 [acesso em 28 Out 2017]; 37(2): 446-60.

Soares AN, Morgan BS, Santos FBO, Matozinhos FP, Penna CMM. Crenças e práticas de saúde no cotidiano de usuários da rede básica de saúde. Rev Enferm UERJ [Internet] 2014 [acesso em 13 Maio 2018]; 22(1): 83-8. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/11450.

Medeiros REG, Nascimento EGC, Diniz GMD, Alchieri JC. Na simplicidade a complexidade de um cuidar: a atuação da benzedeira na atenção à saúde da criança. Physis (Rio J.) [Internet] 2013 [acesso em 6 Nov 2017]; 23(4): 1339-57. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/physis/v23n4/16.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312013000400016.

Arrieira ICO, Thofehrn MB, Porto AR, Moura PMM, Martins CL, Jacondino MB. Espiritualidade nos cuidados paliativos: experiência vivida de uma equipe interdisciplinar. Rev Esc Enferm USP [Internet], 2017 [acesso em 2 Jul 2018]; 52: e03312 [8 p.]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v52/0080-6234-reeusp-S1980-220X2017007403312.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2017007403312.

Siqueira KM, Barbosa MA, Brasil VV, Oliveira LMC, Andraus LMS. Crenças populares referentes à saúde: apropriação de saberes sócio-culturais. Texto & Contexto Enferm [Internet] 2006 [acesso em 14 Jul 2018]; 15(1): 68-73. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v15n1/a08v15n1.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072006000100008.

Tesser CD, Pezzato LM, Silva EN. Medicalização social e odontologia: possíveis aproximações. Saúde Soc [Internet] 2015 [acesso em 12 Ago 2018]; 24(4): 1349-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v24n4/1984-0470-sausoc-24-04-01349.pdf. DOI: 10.1590/S0104-12902015136108.




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i1.3982

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.