Percepção da qualidade de vida de idosos com ferida crônica

Elayne Gonçalves Rodrigues do Nascimento, Giovanna Gabrielly Custódio Macêdo, Arthur Alexandrino, Karla Karolline Barreto Cardins, Fernanda Teixeira de Souza, Matheus Figueiredo Nogueira

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a percepção da qualidade de vida de idosos com feridas crônicas. Trata-se de estudo exploratório-observacional de natureza quantiqualitativa realizado com 20 idosos do Curimataú Paraibano, entre novembro de 2014 a março de 2015, através de um questionário sociodemográfico, do instrumento WHOQOL-Old e um roteiro de entrevista semiestruturado, analisados por análise descritiva, cálculos de escores e análise de conteúdo, respectivamente. Os resultados demonstraram que a qualidade de vida dos idosos encontra-se regular, com exceção das facetas “Participação social” e “Intimidade”. Os depoimentos obtidos resultaram em três categorias: Percepção subjetiva da qualidade de vida; O impacto físico e emocional da ferida crônica na qualidade de vida; e O comprometimento da autonomia e das relações sociais em idosos com ferida crônica. Os discursos dos participantes enfatizaram os impactos físicos e emocionais da ferida crônica na sua qualidade de vida, sobretudo no comprometimento da autonomia e das relações sociais. Verifica-se a necessidade de implementação de intervenções de enfrentamento e a construção de linhas de cuidado específicas e interprofissionais, com foco na qualificação da assistência.


Palavras-chave


Idoso; Saúde do idoso; Ferimentos e lesões; Qualidade de vida; Assistência integral à saúde.

Referências


Duim E, FHC Sá, YAO Duarte, RCB Oliveira, ML Lebrão. Prevalência e características das feridas em pessoas idosas residentes na comunidade. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 [citado em 24 mar 2020]; 49(Esp):51-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe/1980-220X-reeusp-49-spe-0051.pdf

Vieira CPB, Araújo TME. Prevalência e fatores associados a feridas crônicas em idosos na atenção básica. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2018 [citado em 24 mar 2020]; 52:e03415. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2017051303415

Kim CG. Avaliação e manejo de clientes com distúrbios vasculares e problemas na circulação periférica. In: Hinkle JL, Cheever KH. Brunner & Suddarth: Tratado de Enfermagem Médico-cirúrgica. 13º ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2018. Capítulo 30. p. 852

Almeida WA, Ferreira AM, Ivo ML, Rigotti MA, Barcelos LS, Silva ALNV. Fatores associados à qualidade de vida de pessoas com feridas complexas crônicas. Rev Pesqui. [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 10(1):9-16. DOI: 10.9789/2175-5361.2018.v10i1.9-16

Lentsck MH, Baratieri T, Trincaus MR, Mattei AP, Miyahara CTS. Qualidade de vida relacionada a aspectos clínicos em pessoas com ferida crônica. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2018 [citado em 24 mar 2020]; 52:e03384. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2017004003384

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010 [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2010 [citado em 13 jan 2019]. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm

Fleck MP, Chachamovich E, Trentini C. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Rev Saúde Pública [Internet] 2006 [citado em 20 jan 2019]; 40(5):785-91. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000600007

Pedroso B, Pilatti LA, Gutierrez GL. Cálculo dos escores e estatística descritiva do WHOQOL-OLD pelo Microsoft Excel. Geriatr Gerontol. [Internet]. 2010 [citado em 18 jan 2019]; 4(4):214-9. Disponível em: http://fefnet178.fef.unicamp.br/ojs/index.php/fef/article/viewFile/622/391

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Vieira CPB, Furtado AS, Almeida PCD, Luz MHBA, Pereira AFM. Prevalência e caracterização de feridas crônicas em idosos assistidos na atenção básica. Rev Baiana Enferm [Internet]. 2017 [citado em 22 mar 2019]; 31(3):e17397. DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v31i3.17397

Elias HC, Marzola TS, Molina NPFM, Assunção LM, Rodrigues LR, Tavares DMS. Relation between family functionality and the household arrangements of the elderly. Rev Bras Geriatr Gerontol. [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 21(5):562-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562018021.180081

Melo NCV, Teixeira KMD, Barbosa TL, Montoya AJA, Silveira MB. Arranjo domiciliar de idosos no Brasil: análises a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (2009). Rev Bras Geriatr Gerontol. [Internet]. 2016 [citado em 29 mar 2020]; 19(1):139-51. DOI: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2016.15011

Oliveira ALB, Menezes TMO. Significado da religião/religiosidade para a pessoa idosa. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 71(supl 2):823-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0120

Barbosa KTB, Costa KNFM, Pontes MLF, Batista PSS, Oliveira FMLO, Fernandes MGM. Envelhecimento e vulnerabilidade individual: um panorama dos idosos vinculados à estratégia saúde da família. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2017 [citado em 26 mar 2020]; 26(2):e2700015. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017002700015

Borges EL, Nascimento Filho HM, Pires Júnior JF. Prevalência de lesões crônicas de município da Zona da Mata Mineira (Brasil). Rev Min Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 22:e1143. DOI: http://www.dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20180074

Cortez ACL, Menezes JMMM, Brandão PP, Silva GCB, Dantas EHM. Correlação entre os testes de avaliação da capacidade funcional de idosos participantes de um projeto de inclusão social na cidade de Teresina – Piauí. J Health Sci. [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 20(4):277-82. DOI: http://dx.doi.org/10.17921/2447-8938.2018v20n4p277-282

Martins JJ, Schneider DG, Coelho FL, Nascimento ERP, Albuquerque GL, Erdmann AL, et al. Avaliação da qualidade de vida de idosos que recebem cuidados domiciliares. Acta Paul Enferm. [Internet]. 2009 [citado em 10 fev 2019]; 22(3):265-71. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002009000300005

Silveira PM, Borgatto AF, Silva KS, Oliveira ESA, Barros MVG, Nahas MV. Criação de uma escala de satisfação com a vida por meio da Teoria da Resposta ao Item. J Bras Psiquiatr. [Internet]. 2015 [citado em 22 mar 2019]; 64(4):272-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0047-2085000000089

Gomes E, Donoso MTV, Werli-Alvarenga A, Goveia VR. Compreendendo os significados de se conviver com ferida crônica. Rev Enferm Atenção Saúde [Internet]. 2018 [citado em 22 mar 2019]; 7(2):176-88. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/2396/pdf

Ministério da Saúde (Brasil). Envelhecimento ativo: uma política de saúde [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2005 [citado em 15 fev 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/envelhecimento_ativo.pdf

Leal TS, Oliveira BG, Bomfim ES, Figueredo NL, Souza AS, Santos ISC. Percepção de pessoas com a ferida crônica. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2017 [citado em 22 mar 2019]; 11(3):1156-62. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/13490/16210

Aguiar ACSA, Sadigursky D, Martins LA, Menezes TMO, Santos ALS, Reis LA. Repercussões sociais vivenciadas pela pessoa idosa com úlcera venosa. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2016 [citado em 22 mar 2019]; 37(3):e55302. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983- 1447.2016.03.55302

Santos LSF, Camacho ACLF, Oliveira BGRB, Nogueira GA, Joaquim FL. Influência da úlcera venosa na qualidade de vida dos pacientes: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2015 [citado em 22 mar 2019]; 9(supl 3):7710-22. DOI: 10.5205/reuol.7049-61452-1-ED.0903supl201526




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i3.4010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.