Sobre os propósitos das ocupações de pessoas em cuidados paliativos oncológicos em um contexto hospitalar

Ana Catarina das Neves Chagas, Luísa Sousa Monteiro Oliveira, Vanessa do Socorro Mendes da Silva, Victor Augusto Cavaleiro Corrêa

Resumo


Esta é uma pesquisa qualitativa realizada em 2019 em Belém do Pará, tendo como objetivo compreender os propósitos das ocupações de pessoas em cuidados paliativos oncológicos em um contexto hospitalar. Aplicou-se: entrevista aberta com cada participante e a Escala de Performance Paliativa. A interpretação de dados foi realizada por meio dos pressupostos da análise de conteúdo. Participaram 17 pessoas, das quais 13 eram mulheres. Na Escala de Performance Paliativa verificou-se prevalência da pontuação em 50 (41%). Todas as pessoas entrevistadas atribuíram propósito às suas ocupações, das quais antes da hospitalização, voltava-se à satisfação pessoal e a sentir-se saudáveis. Já na hospitalização, os propósitos ocupacionais passaram a ser de recuperação da saúde e sobrevivência/subsistência, questão que mostrou-se como lacuna. As pessoas participantes puderam exteriorizar sentimentos, histórias de vida, pensamentos e hábitos. A ocupação para o indivíduo em contexto paliativo reflete diretamente na sua qualidade de vida, e a valorização dos aspectos ocupacionais está diretamente associada ao alívio do sofrimento.


Palavras-chave


Oncologia; Cuidados paliativos; Atividades cotidianas.

Referências


Calmon MV, Musso MAA, Dell’Antonio LR, Zandonade E, Amorim MHC, Miotto MHMB. Impact of oral health problems on the quality of life of women with breast cancer. RGO [Internet]. 2019 [citado em 01 ago 2020]; 67:1-10. DOI: https://doi.org/10.1590/1981-86372019000393680

Silva MRO. O sentido atribuído à experiência da comunicação do diagnóstico de câncer nos discursos de pessoas idosas sob a ótica do pensamento de Merleau-Ponty e Heidegger [Internet]. [dissertação]. Manaus: Universidade Federal do Amazonas; 2018 [citado em 18 jan 2021]. 90p. Disponível em:

https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/6810/6/Disserta%c3%a7%c3%a3o_MarcioSilva_PPGPSI

Dantas MMF, Amazonas MCLA. A experiência do adoecer: os cuidados paliativos diante da impossibilidade da cura. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [citado em 24 set 2018]; 50(Supl 6):47-53. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v50nspe/pt_0080-6234-reeusp-50-esp-0047.pdf

Brandão Neto MG. A vivência hospitalar na concepção de pacientes oncológicos: sentidos nos discursos à luz da análise existencial de Viktor Frankl [Internet]. [dissertação]. Manaus: Universidade Federal do Amazonas; 2017 [citado em 18 jan 2021]. 106p. Disponível em: https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/6141/5/Disserta%c3%a7%c3%a3o_Manoel%20G.%20Brand%c3%a3o%20Neto.pdf

Justino ET, Kasper M, Santos KS, Quaglio RC, Fortuna CM. Palliative care in primary health care: scoping review. Rev Latinoam Enferm. [Internet]. 2020 [citado em 31 jul 2020]; 28:1-11. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.3858.3324

Góis CC, Silva LD, Araújo LAR, Fernandes M, Santos MFN, Silva SS. Cuidados paliativos: conhecendo e disseminando o trabalho do assistente social no campo dos cuidados paliativos [Internet]. In: XVI Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais; 2019; Brasília. Brasília, DF: CFESS, CRESS-DF, ABEPSS, ENESSO; 2019 [citado em 18 jan 2021]. p. 01-10. Disponível em: https://broseguini.bonino.com.br/ojs/index.php/CBAS/article/view/493

Sociedade Brasileira de Pediatria, Departamento Científico de Medicina da Dor e Cuidados Paliativos. Cuidados paliativos pediátricos: o que são e qual sua importância? Cuidando da criança em todos os momentos. Doc Cient. [Internet]. 2017 [citado em 18 jan 2021]; 1:1-9. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2017/03/Medicina-da-Dor-Cuidados-Paliativos.pdf

Carvalho JF. Processos imaginativos de uma paciente com câncer sobre cuidados paliativos [Internet]. [dissertação]. Recife: Universidade Federal de Pernambuco; 2019 [citado em 18 jan 2021]. 93p. Disponível em: https://repositorio.ufpe.br/bitstream/123456789/34451/1/DISSERTA%c3%87%c3%83O%20Josene%20Ferreira%20Carvalho.pdf

Sabino G, Lopes IR, Cardoso JFP, Silva JLT, Soares MRZ. Reflexões sobre a atuação humanizada em pacientes em tratamento de câncer [Internet]. In: XII Simpósio de humanização em saúde: ressignificando o direito ao cuidado; 2019; Londrina. Londrina, PR: UEL; 2019 [citado em 18 jan 2021]. p. 33-4. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/343599878_Reflexoes_sobre_a_atuacao_humanizada_em_pacientes_em_tratamento_de_cancer

Stewart KE, Du Mont J, Polatajko HJ. Applying an occupational perspective to women’s experiences of life after sexual assault: a narrative review. J Occup Sci. [Internet]. 2019 [citado em 01 ago 2020]; 26(4):546-58. DOI: https://doi.org/10.1080/14427591.2018.1516159

Pinho ACC, Silva VSM, Souza AM, Corrêa VAC. Sobre a forma de ocupar-se de cuidar de pessoas sob cuidados paliativos. Cad Bras Ter Ocup. [Internet]. 2019 [citado em 02 ago 2020]; 27(1):118-26. DOI: https://doi.org/10.4322/2526-8910.ctoAO1654

Larson E, Wood W, Clarck F. Ciência ocupacional: desarrollo de la ocupación através de una disciplina acadêmica. In: Crepeau EB, Cohn ES, Schell BAB., organizadores. Willard & Spackman: terapia ocupacional. 10ed. Buenos Aires: Medica Panamericana; 2005. p. 16-26.

Costa EF, Oliveira LSM, Corrêa VAC, Folha OAAC. Ciência ocupacional e terapia ocupacional: algumas reflexões. Rev Interinst Bras Ter Ocup. [Internet]. 2017 [citado em 02 ago 2020]; 1(Supl 5):650-63. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ribto/article/view/9687

Baltazar HMC, Pestana SCC, Santana MRR. Contributo da intervenção da terapia ocupacional nos cuidados paliativos. Cad Bras Ter Ocup. [Internet]. 2016 [citado em 30 jun 2018]; 24(Supl 2):261-73. Disponível em: http://www.cadernosdeto.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/1335

Castôr KS, Moura EC, Pereira EC, Alves DC, Ribeiro TS, Leal PC. Cuidados paliativos: perfil com olhar biopsicossocial dentre pacientes oncológicos. BrJP [Internet]. 2019 [citado em 02 ago 2020]; 2(1):49-54. DOI: https://doi.org/10.5935/2595-0118.20190010

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011. 229p.

Wilcock AA. The occupational brain: a theory of human nature. J Occup Sci. [Internet]. 1995 [citado em 20 dez 2019]; 2(Supl 1):68-72. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14427591.1995.9686397

Reed K, Hocking C, Smythe L. The interconnected meanings of occupation: the call, being-with, possibilities. J Occup Sci. [Internet]. 2010 [citado em 18 dez 2019]; 17(Supl 3):140-9. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/14427591.2010.9686688

Mogollón J. Sentido y significado de las ocupaciones de las mujeres del Cabildo Indígena de Suba. Perspectivas desde Terapia Ocupacional. Rev Ocup Hum. [Internet]. 2016 [citado em 22 dez 2019]; 16(1):32-43. DOI: https://doi.org/10.25214/25907816.14

Trujillo AR, Camacho LHS, Ferrer LC, Esquivel EIP, Vizcaya SXR, Sarmiento JJU, et al. Ocupación: sentido, realizacion y libertad: diálogos ocupacionales en torno al sujeto, la sociedade y el medio ambiente. Bogotá: Editorial Universidad Nacional de Colombia; 2011. 162p.

Ohnishi N, Kataoka T, Okamura H. Relationships between roles and mental states and role functional QOL in breast cancer outpatients. JPN J Clin Oncol. [Internet]. 2011 [citado em 20 nov 2019]; 41(9):1112-8. DOI: https://doi.org/10.1093/jjco/hyr104

Rosen GA. A evolução da medicina social. In: Nunes ED, organizador. Medicina social: aspectos históricos e teóricos. 3ed. São Paulo: Global; 1983. p. 26-82.

Silva AA. A compreensão da experiência do adoecer pela perspectiva de pessoas com câncer hospitalizadas: um olhar fenomenológico existencial [Internet]. [dissertação]. Recife: Universidade Católica de Pernambuco; 2015 [citado em 18 jan 2021]. 88p. Disponível em: http://tede2.unicap.br:8080/bitstream/tede/227/1/aline_agustinho_silva.pdf

Law M. The environment: a focus for occupational therapy. Can J Occup Ther. [Internet]. 1991 [citado em 29 dez 2019]; 58(4):171-9. DOI: https://doi.org/10.1177/000841749105800404

Alves LC, Rodrigues RN. Determinantes da autopercepção de saúde entre idosos do Município de São Paulo, Brasil. Rev Panam Salud Pública [Internet]. 2005 [citado em 06 dez 2019]; 17(Supl 5-6):333-41. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2005.v17n5-6/333-341/

Angeli AAC, Luvizaro NA, Galheigo SM. O cotidiano, o lúdico e as redes relacionais: a artesania do cuidar em terapia ocupacional no hospital. Interface Comum Saúde Educ. [Internet]. 2012 [citado em 26 out 2019]; 16(Supl 40):261-72. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/icse/2012.v16n40/261-272

Maturana H, Porksen B. Del ser al hacer: los orígenes de la biología del conocer. Santiago: Granica; 2008. 240p.

Polanco Cerón N. Transaccionalismo: la ciencia de la ocupación y la actitud pragmática. Rev Chil Ter Ocup. [Internet]. 2019 [citado em 24 out 2019]; 18(Supl 1):159-62. Disponível em: https://revistas.uchile.cl/index.php/RTO/article/view/53688

Cezar VS, Castilho RK, Reys KZ, Rabin EG, Waterkemper R. Educação permanente em cuidados paliativos: uma proposta de pesquisa-ação. Rev Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online). [Internet]. 2019 [citado em 31 out 2019]; 11(Supl 2):324-32. Disponível em: http://ciberindex.com/index.php/ps/article/view/P112010

Pollard N. Is dying an occupation? J Occup Sci. [Internet]. 2006 [citado em 19 dez 2019]; 13(2-3):149-52. DOI: https://doi.org/10.1080/14427591.2006.9726508




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v9i0.4300

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.