O paradoxo do planejamento das ações para a prevenção do HIV/AIDS em uma escola pública

Tiago Sousa Paiva, Marcia Rosa da Costa, Morgana Thais Carollo Fernandes, Camila Neumaier Alves, Luiza Maria de Oliveira Braga Silveira

Resumo


Este estudo tem como objetivo analisar o planejamento das práticas educativas para a prevenção do HIV/Aids realizadas com estudantes de uma escola pública da região sul do Brasil. Esta é uma pesquisa qualitativa desenvolvida com seis profissionais de uma equipe de Estratégia de Saúde da Família envolvidos com atividades educativas em escola pública, através de análise de conteúdo temático e diário de campo, no ano de 2016. Emergiram duas categorias: Organização do conteúdo e materiais educativos; e, Fluxo do planejamento. Evidenciou-se, que os materiais e conteúdos utilizados não dialogavam com a realidade dos estudantes, pois traziam valores distintos da comunidade e que o fluxo do planejamento era unidirecional. Assim, é necessário que os educadores planejem momentos de educação em saúde que dialoguem com a realidade e o contexto dos educandos e que as ações sejam construídas com a participação da comunidade escolar.


Palavras-chave


Promoção da saúde; Doenças sexualmente transmissíveis; Estudantes.

Referências


Gianna MC, Kalichman A, Paula I, Vilma C, Shimma E. Políticas públicas e prevenção das DST/Aids: ontem, hoje e amanhã. In: Paiva V, organizador. Vulnerabilidade e direitos humanos - prevenção e promoção da saúde: da doença à cidadania. 1ed. Curitiba: Juruá; 2012.

Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. HIV AIDS 2018. Boletim Epidemiológico [Internet]. 2018 [citado em 05 mar 2018]; 49(53):1-66. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2018/boletim-epidemiologico-hivaids-2018

Souza PL, Pereira CS, Nogueira MLS, Pereira DB, Cunha GM, Moler FO. Projetos PET-Saúde e Educando para a Saúde: construindo saberes e práticas. Rev Bras Educ Med. [Internet]. 2012 [citado em 05 mar 2018]; 36(1 Supl 1):172-7. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbem/v36n1s1/v36n1s1a24.pdf

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde na escola [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2009 [citado em 5 mar. (Cadernos de Atenção básica; v. 24). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_escola_cab24.pdf

Marques Junior JS, Gomes R, Nascimento EF. Masculinidade hegemônica, vulnerabilidade e prevenção ao HIV/AIDS. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2012 [citado em 05 mar 2018]; 17(2);511–2. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v17n2/a24v17n2.pdf

Ayres JRCM, França Júnior I, Calazans GJ, Saletti Filo HC. O conceito de vulnerabilidade e as práticas em saúde: novas perspectivas e desafios. In: Czeresnia D, Freitas CM. Promoção da saúde: conceitos, reflexões e tendências. Rio de Janeiro: FIOCRUZ; 2003. 176p.

Ayres JRCM, Calazans GJ, Saletti Filho HC, França-Júnior I. O risco, vulnerabilidade e práticas de prevenção e promoção da saúde. In: Campos GWS, Minayo MCS, Akerman M, Drumond Júnior M, Carvalho YM, organizadores. Tratado de saúde coletiva. São Paulo: Hucitec; RJ: Ed Fiocruz; 2006. p. 375-417.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12ed. São Paulo: Hucitec; 2010.

Bardin L. Análise de conteúdo. 3ed. Lisboa: Edições 70; 2011. 229 p.

Paiva V. Fazendo arte com a camisinha: sexualidades jovens em tempos de AIDS. São Paulo: Summus; 2000. 309p.

Paiva V, Calazans G, Segurado AAC. Entre indivíduos e comunidades. In: Paiva V, Calazans G, Segurado AAC, coordenadores. Vulnerabilidade e direitos humanos - prevenção e promoção da saúde: da doença à cidadania. 1ed. Curitiba: Juruá; 2012. p. 9-24.

Freire P. Pedagogia do oprimido. 8ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra; 2013. 218p.

Ferraz DAS, Nemes MIB. Prevenção das DST e Aids na Atenção Primária à Saúde: reflexos sobre as práticas a partir do estudo de uma unidade de saúde da família. In: Paiva V, Calazans G, Segurado AAC, coordenadores. Vulnerabilidade e direitos humanos - prevenção e promoção da saúde: da doença à cidadania. 1ed. Curitiba: Juruá; 2012. p. 271-320.

Foucault M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis, RJ: Vozes; 1987. 288p

Scherer MDA, Marino SRA, Ramos FRS. Rupturas e resoluções no modelo de atenção à saúde: reflexões sobre a Estratégia de Saúde da Família com base nas categorias Kuhnianas. Interface (Botucatu, Online) [Internet]. 2005 [citado em 05 mar 2018]; 9(16):53-66. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v9n16/v9n16a05.pdf

Mendonça LGT. Modelos teóricos como subsídios da prática da promoção da saúde em DST/AIDS no quadro da vulnerabilidade e dos Direitos Humanos. In: Paiva V, Calazans G, Segurado AAC, coordenadores. Vulnerabilidade e direitos humanos - prevenção e promoção da saúde: da doença à cidadania. 1ed. Curitiba: Juruá; 2012. p. 73-100.

Ayres JR, Paiva V, Buchalla CM. Direitos humanos e vulnerabilidade na prevenção e promoção da saúde: uma introdução. In: Paiva V, Calazans G, Segurado AAC, coordenadores. Vulnerabilidade e direitos humanos - prevenção e promoção da saúde: da doença à cidadania. 1ed. Curitiba: Juruá; 2012. p. 9-22.

Silva JM, Silva CRC. HIV/Aids e violência: da opressão que cala à participação que acolhe e potencializa. Saúd Soc. [Internet]. 2011 [citado em 05 mar 2018]; 20(3):635-46. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v20n3/10.pdf

Souza IPM, Jacobina, RR. Educação em saúde e suas versões na história brasileira. Rev Baiana Saúde Pública [Internet]. 2009 [citado em 05 mar 2018]; 33(4):618-27. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2009/v33n4/a010.pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i1.4453

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.