Impacto da ação educativa nos comunicantes de hanseníase em uma unidade municipal de saúde

Jean Vitor Silva Ferreira, Taís dos Passos Sagica, Risângela Patrícia de Freitas Pantoja da Silva, Julliana Santos Ribeiro Lima, Maria Heliana Chaves Monteiro da Cunha, Aline Maria Pereira Cruz Ramos

Resumo


Este é um estudo prospectivo, transversal, descritivo com abordagem quantitativa, desenvolvido de 2017 a 2018, numa unidade municipal de saúde de Belém-PA; e que tem como objetivo avaliar o conhecimento de comunicantes de hanseníase antes e após uma ação educativa, acerca dos sinais e sintomas da doença, os riscos de adoecimento e as formas de prevenção. Fizeram parte da pesquisa 93 comunicantes, das quais 48% acreditava que a doença era transmitida por utensílios, assim como 54% afirmava ser uma patologia letal. Existiam lacunas significativas de conhecimento sobre a hanseníase por parte dos contatos intradomiciliares contatados. Identificou-se impacto positivo da ação educativa, com aumento do nível de conhecimento sobre a hanseníase entre os comunicantes. 


Palavras-chave


Hanseníase; Educação em saúde; Atenção Primária à Saúde; Fatores de risco; Saúde Pública.

Referências


Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Guia prático sobre a hanseníase [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017 [citado em 19 jan 2021]. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2017/novembro/22/Guia-Pratico-de-Hanseniase-WEB.pdf

Ministério da Saúde (Br). Secretaria de Vigilância em Saúde. Hanseníase 2020. Bol Epidemiol. [Internet]. jan 2020 [citado em 19 jan 2021]; esp:1-51. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2020/boletim-epidemiologico-de-hanseniase-2020

World Health Organization. Global leprosy update, 2018: moving towards a leprosy free world. Wkly Epidemiol Rec. [Internet]. 2018 [citado em 19 jan 2021]; 94(35/36):389-412. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/who-wer9435-36

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Diretrizes para vigilância, atenção e eliminação da hanseníase como problema de saúde pública [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016 [citado em 19 jan 2021]. (Manual técnico-operacional). Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/04/diretrizes-eliminacao-hanseniase-4fev16-web.pdf

Cunha MHCM, Silvestre MPSA, Silva AR, Rosário DDS, Xavier MB. Fatores de risco em contatos intradomiciliares de pacientes com hanseníase utilizando variáveis clínicas, sociodemográficas e laboratoriais. Rev Pan-Amazônica Saúde [Internet]. 2017 [citado em 13 maio 2020]; 8(2):23-30. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232017000200003

Freitas BHBM, Silva FB, Jesus JMF, Alencastro MAB. Leprosy educational practices with adolescents: an integrative literature review. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2019 [citado em 13 maio 2020]; 72(5):1397-404. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0458

Costa RMPG, Mendes LCB. Qualidade de vida dos sujeitos com sequelas pela hanseníase e autocuidado: uma revisão integrativa. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2020 [citado em 13 maio 2020]; 19:e45649. DOI: https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v19i0.45649

Caveião C, Peres AM, Zagonel IPS, Amestoy SC, Meier MJ. Teaching-learning tendencies and strategies used in the leadership development of nurses. Rev Bras Enferm. [Internet]. 2018 [citado em 13 maio 2020]; 71(Suppl 4):1531-9. [Thematic Issue: Education and teaching in Nursing]. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0455

Martins JÁ, Nonato L, Vital B. The Delphi technique for consensus checking. A case study on the necessary profile for post-graduation in the “Public Field”. Braz J Develop. [Internet]. 2020 [citado em 13 maio 2020]; 6(3):12350-68. DOI: http://dx.doi.org/10.34117/bjdv6n3-193

Cardoso LO, Bastos FI, Magnanini MMF, Silva CMFP. STROBE initiative: guidelines on reporting observational studies. Rev Saúde Pública [Internet]. 2010 [citado em 13 maio 2020]; 44(3):559-65. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-89102010000300021

Ministério da Saúde (Br). Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 510, de 7 de abril de 2016. [Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes...] [Internet]. Brasília, D.F.: Conselho Nacional de Saúde; 2016 [citado em 19 jan 2021]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html

Organização das Nações Unidas no Brasil. Documentos temáticos: objetivos de desenvolvimento sustentável 1-2-3-5-9-14 [Internet]. Brasília, DF: ONU; 2017 [citado em 19 jan 2021]. Disponível em: https://www.undp.org/content/dam/brazil/docs/publicacoes/documentos-tematicos-ods-07-2017.pdf

Organização Mundial da Saúde. Estratégia global para a hanseníase 2016-2020: aceleração rumo a um mundo sem hanseníase [Internet]. Nova Deli, Índia: OMS; 2016 [citado em 19 jan 2021]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/208824/9789290225201-pt.pdf

Grazzinelli MF, Souza V, Fonseca RMGS, Fernandes MM, Carneiro ACLL, Godinho LK. Educational group practices in primary care: interaction between professionals, users and knowledge. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 [citado em 13 maio 2020]; 49(2):282-9. DOI: https://doi.org/10.1590/S0080-623420150000200014

Lages DS, Kerr BM, Bueno IC, Niitsuma ENA, Lana FCF. A baixa escolaridade está associada ao aumento de incapacidades físicas no diagnóstico de hanseníase no Vale do Jequitinhonha. HU Rev. [Internet]. 2018 [citado em 13 maio 2020]; 44(3):303-9. DOI: https://doi.org/10.34019/1982-8047.2018.v44.14035

Moura ADA, Albuquerque ERO, Chaves ES, Souza AR, Lima GG, Chaves CS. Perfil dos portadores de hanseníase de um centro de referência de um estado brasileiro. Rev Enferm UERJ [Internet]. 2016 [citado em 13 maio 2020]; 24(6):29625. DOI: https://doi.org/10.12957/reuerj.2016.9625

Marques MS, Cabral JF, Terças AC, Santana DP, Silva JH. Perfil clínico e epidemiológico da hanseníase no município de Tangará da Serra, Mato Grosso. RENOME [Internet]. 2017 [citado em 13 maio 2020]; 6(2):34-47. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/renome/article/view/1228

Santos DAS, Spessatto LB, Melo LS, Olinda RA, Lisboa HCF, Silva MS. Prevalência de casos de hanseníase. Rev Enferm UFPE online [Internet]. 2017 [citado em 13 maio 2020]; 11(10):4045-55. DOI: 10.5205/reuol.10712-95194-3-SM.1110sup201706

Souza AO, Martins MGT. Aspectos afetivos e comportamentais do portador de hanseníase frente ao estigma e preconceito. Rev Inic Cient Univ Vale Rio Verde [Internet]. 2018 [citado em 13 maio 2020]; 8(1):104-13. Disponível em: http://periodicos.unincor.br/index.php/iniciacaocientifica/article/view/2984/3337

Nardi SMT, Pedro HSP, Loureiro LA, Marciano LHSC, Sousa ACC, Paschoal VDA. Rede virtual: ferramenta para analisar o conhecimento dos voluntários do MORHAN sobre hanseníase. REFACS [Internet]. 2016 [citado em 19 jan 2021]; 4(2):162-71. DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v4i2.1068

Araújo WA, Assunção MLB, Araújo IS, Temoteo RCA, Souza EC, Almeida GS, et al. Educação em saúde na Estratégia Saúde da Família: contribuições práticas do enfermeiro. Enferm Brasil [Internet]. 2018 [citado em 13 maio 2020]; 17(6):645-53. DOI: http://dx.doi.org/10.33233/eb.v17i6.2231

Janini JP, Bessler D, Vargas AB. Health education and health promotion: impact on quality of life of elderly. Saúde Debate [Internet]. 2015 [citado em 13 maio 2020]; 39(105):480-90. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-110420151050002015

Santili PGJ, Rocha Tonhom SF, Marin MJS. Educação em saúde: algumas reflexões sobre sua implementação pelas equipes da estratégia saúde da família. Rev Bras Promoç Saúde [Internet]. 2017 [citado em 13 maio 2020]; 29(Supl):102-10. DOI: http://dx.doi.org/10.5020/18061230.2016.sup.p102

Goiabeira YNLA, Mesquita LLS, Ericeira VVL, Corrêa LBD, Inácio AS, Lopes MBS. Atuação do enfermeiro no processo do cuidar do paciente com hanseníase. Cientefico [Internet]. 2019 [citado em 13 maio 2020]; 19(40):1-15. Disponível em: https://revistacientefico.adtalembrasil.com.br/cientefico/article/view/622

Nóbrega MM, Brito KKG, Antas EMV, Carvalho OS, Santana EMF, Silva MA, et al. Autocuidado em indivíduos com hanseníase: avaliação de práticas na rede de atenção secundária à saúde. Cogitare Enferm. [Internet]. 2020 [citado em 13 maio 2020]; 25:e65339. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v25i0.65339




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v9i0.4520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.