Perfil sociodemográfico, morbidades referidas, bem-estar e trabalho remunerado de mulheres: estudo populacional

Marina Mendonça Emílio, Jéssica Carvalho Lima, Vitoria Helena Maciel Coelho, Lislei Jorge Patrizzi Martins, Isabel Aparecida Porcatti de Walsh

Resumo


Estudo transversal de base populacional, realizado em 2014, cujo objetivo foi verificar as associações entre o perfil sociodemográfico, morbidades referidas, indicadores de bem estar e trabalho remunerado, analisando dados do Inquérito de Saúde da Mulher da cidade de Uberaba/MG. As características sociodemográficas foram autorrelatadas. As morbidades referidas foram avaliadas por meio de autorrelato, a partir de uma lista baseada no questionário Índice de Capacidade para o Trabalho e os indicadores de bem estar por meio de algumas questões do Questionário WHOQOL- bref, da Escala de Escala de Rastreamento Populacional de Depressão e do Self-Report Questionnaire. Participaram 1.483 mulheres (533 com e 950 sem trabalho remunerado). Das mulheres que não exerciam trabalho remunerado, 41,9% estava na faixa estaria de 60 anos ou mais, 51,26% em união estável, apresentaram média de escolaridade de 7,76 (±5,23) anos e de renda per capita de 815,98 (±1082,75) reais.  A maioria das que exerciam trabalho remunerado (54,6%), estava na faixa etária de 35-59 anos e 303 (56,85%) não estava em união estável, com média de escolaridade de 9,17(±4,90) anos e renda per capita de 788,55 (±766,69) reais. Houve diferenças significativas entre os grupos, indicando mulheres sem união estável e maior escolaridade exercendo trabalho remunerado. As morbidades mais relatadas por todas as mulheres foram as respiratórias, endócrinas/metabólicas e genitourinárias. As que exerciam trabalho remunerado estavam significativamente satisfeitas/muita Satisfeitas com o desempenho das atividades do dia a dia, relataram nada/muito pouco impedimento para realizar atividades devido a dor. Houve maior comprometimento para as donas de casa com relação sentir-se nervosa/tensa/preocupada, cansar com facilidade e apresentar esforço para realizar tarefas habituais.


Palavras-chave


Mulheres; Inquéritos epidemiológicos; Sistema musculoesquelético; Doenças não transmissíveis; Nível de saúde.

Referências


Byles J, Tavener M, Robinson I, Parkinson L, Smith PW, Stevenson D, et al. Transform in gretirement: new definitions of life after work. J Women Aging [Internet]. 2013 [citado em 03 fev 2020]; 25(1):24-44. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/233825663_Transforming_Retirement_New_Definitions_of_Life_After_Work. DOI: 10.1080/08952841.2012.717855

Senicato C, Azevedo RCS, Barros MBA. Transtorno mental comum em mulheres adultas: identificando os segmentos mais vulneráveis. Ciênc Saúde Colet. [Internet]. 2018 [citado em 03 fev 2020]; 23(8):2543-54. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n8/1413-8123-csc-23-08-2543.pdf. DOI: 10.1590/1413-81232018238.13652016

Rocha EKGT, Pinto FM. O desafio conceitual do trabalho doméstico à psicologia do trabalho. Fractal: Rev Psicol. [Internet]. 2018 [citado em 03 fev 2020]; 30(2):145-53. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/fractal/v30n2/1984-0292-fractal-30-02-145.pdf DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v30i2/5874

Fiorin PC, Oliveira CT, Dias ACG. Percepções de mulheres sobre a relação entre trabalho e maternidade. Rev Bras Orientaç Prof. [Internet]. 2014; 15(1):25-35. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v15n1/05.pdf

Assunção AÁ, Abreu MNS. Factor associated with self-reported work-related musculo skeletal disorders in Brazilian adults. Rev Saúde Pública [Internet]. 2017 [citado em 20 ago 2018]; 51(Suppl 1):10s. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v51s1/0034-8910-rsp-S1518-87872017051000282.pdf. DOI: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2017051000282

Silva VM, Pereira IVS, Rocha MJL, Caldeira AP. Morbidity in users of Family Health teams in the northeast of Minas Gerais based on the International Classification of Primary Care. Rev Bras Epidemiol. [Internet]. 2014 [citado em 03 fev 2020]; 17(4):954-67. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v17n4/1415-790X-rbepid-17-04-00954.pdf. DOI: 10.1590/1809-4503201400040013

Henriques IF, Walsh IAP, Meirelles MCCC, Pereira GA, Castro SS. Relation of common mental disorder, physical activity and body mass index in women, population-based study. J Phys Educ. [Internet]. 2017 [citado em 20 ago 2018]; 28:e2819. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/jpe/v28/2448-2455-jpe-28-e2819.pdf. DOI: 10.4025/jphyseduc.v28i1.2819

Tuomi K, Ilmarinen J, Jahkola A, Katajarinne L, Tulkki A. Índice de capacidade para o trabalho. São Carlos: EDUFSCAR; 2005.

Fernandes RCL, Rozenthal M. Avaliação da sintomatologia depressiva de mulheres no climatério com a escala de rastreamento populacional para depressão CES-D. Rev Psiquiatr Rio Gd Sul [Internet]. 2008 [citado em 03 fev 2020]; 30(3):192-200. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rprs/v30n3/v30n3a08.pdf

Gonçalves DM, Stein AT, Kapczinski F. Avaliação de desempenho do Self-Reporting Questionnaire como instrumento de rastreamento psiquiátrico: um estudo comparativo com o Structured Clinical Interview for DSM-IV-TR. Cad Saude Publica [Internet]. 2008 [citado em 03 fev 2020]; 24(2):380–90. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v24n2/16.pdf

Ministério do Trabalho e Previdência Social (Brasil), DATAPREV. Anuário Estatístico da Previdência Social. Brasília, DF: MTPS/DATAPREV; 2014.

Camarano AA, Kanso S. O que estão fazendo os jovens que não estudam, não trabalham e não procuram trabalho? Merc Trab [Internet]. 2012 [citado em 03 fev 2020]; 53:37-44. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/3855/1/bmt53_nt03_jovens.pdf

Mazzonna F. The long lasting effects of education on old age health: evidence of gender differences. Soc Sci Med. [Internet]. 2014 [citado em 03 fev 2020]; 101:129-38. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24560233. DOI: 10.1016/j.socscimed.2013.10.042

Ramos L, Aguas MFF, Furtado LMS. Participação feminina na força de trabalho metropolitano: o papel do status socioeconômico das famílias. Econ Aplic. [Internet]. 2011 [citado em 03 fev 2020]; 15(4):595-611. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ecoa/v15n4/04.pdf

Queiroz VS, Orellana Aragón JA. Alocação de tempo em trabalho pelas mulheres brasileiras. Estud Econ. [Internet]. 2015 [citado em 03 fev 2020]; 45(4):787-819. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ee/v45n4/0101-4161-ee-45-04-0787.pdf. DOI: http://dx.doi.org /10.1590/0101-416145484vqj

Brown GW, Harris T. Social origins of depression: a reply. Psychol Med. 1978; 8(4):577-88.

Senicato C, Lima MG, Barros MBA. Ser trabalhadora remunerada ou dona de casa associa-se à qualidade de vida relacionada à saúde? Cad Saúde Pública [Internet]. 2016 [citado em 20 ago 2018]; 32(8):e00085415. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v32n8/1678-4464-csp-32-08-e00085415.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00085415

Novellino MSF. Os estudos sobre feminização da pobreza e políticas públicas para mulheres. In: XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais [Internet]; 2004; Caxambu. Caxambu, MG: ABEP; 2004 [citado em 03 fev 2020]. 12p. Disponível em: http://www.abep.org.br/publicacoes/index.php/anais/article/viewFile/1304/1268

Theme Filha MM, Szwarcwald CL, Souza Junior PRB. Measurements of reported morbidity and interrelations with health dimensions. Rev Saude Publica [Internet]. 2008 [citado em 03 fev 2020]; 42(1):8. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v42n1/en_6088.pdf

Ministério da Saúde (Br), Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022 [Internet]. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2011 [citado em 03 fev 2020]. 160 p. (Série B. Textos Básicos de Saúde). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

General Assembly (United Nations). Political Declaration of the High-level Meeting of the General Assembly on the Prevention and Control of Non-communicable Diseases [Internet]. New York; 2011 [citado em 03 fev 2020]. Disponível em: https://www.who.int/nmh/events/un_ncd_summit2011/political_declaration_en.pdf

Malta DC, Oliveira MM, Andrade SSCA, Caiaffa WT, Souza MFM, Bernal RTI. Factors associated with chronic back pain in adults in Brazil. Rev Saude Publica [Internet]. 2017 [citado 20 ago 2018]; 51(Suppl 1):9s. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v51s1/0034-8910-rsp-S1518-87872017051000052.pdf. DOI: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2017051000052

Gomes KRO, Tanaka ACA. Morbidade referida e uso dos serviços de saúde por mulheres trabalhadoras, município de São Paulo. Rev Saude Publica [Internet]. 2003 [citado em 03 fev 2020]; 37(1):75-82. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v37n1/13547.pdf

Schmidt MI, Duncan BB, Azevedo e Silva G, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, et al. Chronic non-communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet [Internet]. 2011 [citado em 03 fev 2020]; 377(9781):1949-61. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21561658. DOI: 10.1016/S0140-6736(11)60135-9

Kelleher CJ, Cardozo LD, Toozs-Hobson PM. Quality of life and urinary incontinence. Curr Opin Obstet Gynecol. 1995; 7:404-8.

Del’Arco APWT, Magalhães P, Quilici FA. SIM Brasil study - women’s gastrointestinal health: gastrointestinal symptoms and impact on the Brazilian women quality of life. Arq Gastroenterol. [Internet]. 2017 [citado em 03 fev 2020]; 54(2):115-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ag/v54n2/1678-4219-ag-s0004280320170000009.pdf. DOI: dx.doi.org/10.1590/S0004-2803.201700000-09

Cezar-Vaz MR, Bonow CA, Couto AM, Gelati TR. Prevalência de sinais e sintomas digestórios em trabalhadoras rurais e fatores associados. Acta Paul Enferm [Internet]. 2015 [citado em 03 fev 2020]; 28(5):460-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v28n5/1982-0194-ape-28-05-0460.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201500077

Mpofu JJ, Moura L, Farr SL, Malta DC, Iser BM, Ivata Bernal RT, et al. Associations between noncommunicable disease risk factors, race, education, and health insurance status among women of reproductive age in Brazil - 2011. Prev Med Rep. [Internet]. 2016 [citado em 03 fev 2020]; 3:333-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27419033. DOI: 10.1016/j.pmedr.2016.03.015

Zambroni-de-Souza PC. Trabalhando com saúde: trabalho e transtornos mentais graves. Psicol Estud. [Internet]. 2006 [citado em 03 fev 2020]; 11(1):175-83. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v11n1/v11n1a20.pdf

Lima SCC. Trabalho doméstico: uma trajetória silenciosa de mulheres. Rio de Janeiro: Virtual Científica; 2003.

Dytz JLG, Lima MG, Rocha SMM. O modo de vida e a saúde mental de mulheres de baixa renda. Saude Debate [Internet]. 2003 [citado em 03 fev 2020]; 63:15-24. Disponível em: https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/3853/1/ARTIGO_ModoVidaSa%C3%BAdeMental.pdf

Inoue A, Kawakami N, Eguchi H, Tsutsumi A. Buffering effect of workplace social capital on the association of job in security with psychological distress in Japanese employees: a cross-sectional study. J Occup Health [Internet]. 2016 [citado em 03 fev 2020]; 58(5):460-9. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5356980/. DOI: 10.1539/joh.16-0129-OA

Treas J, Lippe T, Chloe TT. The happy homemaker?: married women’s well-being in cross-national perspective. Social Forces [Internet]. 2011 [citado em 03 fev 2020]; 90:111-32. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/254964997_The_Happy_Homemaker_Married_Women's_Well-Being_in_Cross-National_Perspective. DOI: DOI: 10.2307/41682634

Butterworth P, Leach LS, Strazdins L, Olesen SC, Rodgers B, Broom DH. The psychosocial quality of work determines whether employment has benefits for mental health: results from a longitudinal national household panel survey. Occup Environ Med. [Internet]. 2011 [citado em 03 fev 2020]; 68(11):806-12. Disponível em: https://oem.bmj.com/content/68/11/806. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/oem.2010.059030

Gomes R. Editorial: Desafios da atenção à saúde integral da mulher. Ciênc Saude Coletiva [Internet]. 2011 [citado em 03 fev 2020]; 16(5):2358. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v16n5/a01v16n5.pdf




DOI: https://doi.org/10.18554/refacs.v8i2.4521

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.